R.B. 31/JUL/14 ''Pouco compromisso com os investimentos dos seus clientes''


R.B.

"Pouco compromisso com os investimentos dos seus clientes"

 

São Paulo, 31 de julho de 2014 (QUINTA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, tentando uma recuperação após 4 pregões seguidos de baixa, diante do aumento das ‘’apostas’’ de que Dilma voltará a cair nas próximas pesquisas de intenções de voto, e (2) o DÓLAR pode cair, influenciado pela provável intensificação dos leilões de venda do BC, que com isto tenta segurar a inflação.

 

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -0,4%, sem conseguir segurar os ganhos da abertura, com os investidores aguardando uma nova pesquisa eleitoral no Brasil e digerindo dados muito positivos da economia norte-americana, que por este motivo pode passar por uma redução de estímulos antes do esperado e (2) o DÓLAR subiu 1,0% à R$ 2,25, diante dos ‘’temores’’ de elevação da taxa de juros nos EUA, o que deixaria os títulos do governo da maior economia do mundo mais atraentes do que aplicações em emergentes.

 

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 0,2% e China 0,2%, sustentadas pela divulgação de bons resultados corporativos e pela expectativa de bons dados econômicos da região, (2) da EUROPA, Inglaterra -0,5%, França -1,2% e Alemanha -0,6%, novamente prejudicadas pelas preocupações com a escalada do conflito entre Rússia e Ucrânia, que causaram novas sanções da União Europeia para a economia russa e (3) dos EUA, próximas da estabilidade e sem uma direção definida, S&P 0,1%, DJ -0,2% e NASDAQ 0,4%, depois de que o Fed (‘’BC’’ dos EUA) apresentou uma avaliação pouco clara sobre a maior economia do mundo, como quem está tentando manter o controle do acelerador, não pisar no freio, e apenas deixar que a economia avance em velocidade de cruzeiro por um tempo.

 

Com Dilma e seus ministros 100% focados para trabalhar na campanha de reeleição, no primeiro semestre deste ano o superávit primário ficou em apenas R$ 17,2bi, o que representa o menor valor para o período desde 2000 e cerca da metade do auferido no primeiro semestre do ano passado.

 

Apesar de ressaltar que costura com bancos públicos e privados um financiamento de R$ 6,5bi ao setor, Arno Augustin,, secretário do Tesouro Nacional, afirmou ontem que não haverá participação do Tesouro na segunda rodada de socorro às distribuidoras de energia elétrica.

 

Sofrendo com o péssimo desempenho da economia e com a elevação da taxa de juros, no primeiro semestre deste ano a inadimplência das empresas brasileiras subiu 6,1% na comparação com o mesmo período do ano passado.

 

Dando um importante sinal de recuo da inflação, causado principalmente pelo fraco desempenho da economia, em JUL/14 o IGP-M registrou deflação de -0,61%, o que representa o terceiro recuo mensal consecutivo e também ficou abaixo da média das ‘’apostas do mercado’’, que estavam em -0,50%.

 

-    A Petrobras subiu 1,2%, já antecipando uma nova queda de Dilma nas pesquisas de intenção de voto.

-   A Cielo caiu -4,8%, após seu resultado do segundo trimestre acusar maiores despesas operacionais, embora lucro líquido tenha crescido, apoiado em forte resultado operacional.

-    A Telefônica Brasil subiu 2,5%, já que o lucro líquido da empresa no segundo trimestre deste ano foi duas vezes maior que o obtido um ano antes, impulsionado por ganhos fiscais resultantes da entrada em vigor da medida provisória 627.

-    O Santander subiu 2,2%, já que apesar do banco mostrar ‘’pouco compromisso com os investimentos dos seus clientes’’, posto que demitiu um analista que falou que em caso de reeleição de Dilma a bolsa iria cair, a referida instituição financeira confirmou que está negociando a compra do Banco Bonsucesso para aumentar suas operações em crédito consignado.

-    A Gerdau caiu -2,5%, após anunciar que no terceiro trimestre deste ano seu lucro liquido foi -2,0% menor que no mesmo período do ano passado e que, diante do desempenho negativo das suas operações siderúrgicas e de minério de ferro no Brasil, vai cortar em R$ -500mi seus investimentos previstos para este ano.


Política:

 

Mostrando que quer continuar com a ‘’farra’’ dos gastos públicos, ontem a presidenta Dilma afirmou que, caso seja eleita, vai manter os seus 39 ministérios, o que contraria o que tem dito seu adversário Aécio Neves, já que o tucano ‘’garante’’ que em caso de vitória irá reduzir pela metade o número de pastas.

 

Indicando que dificilmente Lula conseguirá eleger outro ‘’poste’’ em SP, como fez com Haddad na última eleição para prefeito, segundo uma pesquisa divulgada ontem Alckmin, que é do PSDB, lidera a disputa pelo governo de SP com 50% das intenções de voto, seguido pelo empresário Paulo Skaf, do PMDB, que tem 11%, e pelo ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha, do PT, que tem apenas 5%.

 

Na disputa pelo Senado em SP, o tucano Serra tem 30% das intenções de voto, seguido do petista Suplicy, com 23%, e Gilberto Kassab, do PSD, com apenas 5%.

 

Segundo a mais recente pesquisa sobre a eleição para governador do RJ, que aliás não tem nenhuma opção decente entre os candidatos, Garotinho, do PR, lidera 21% das intenções de voto, seguido de Marcelo Crivella, do PRB, com 16% e do governador Luiz Fernando Pezão, do PMDB, com 15%, já o petista Lindberg Farias está em último, com 11%.


Crítica:

 

Como já era esperado, apesar do apoio irrestrito dos ‘’companheiros do Mercosul’’, a Argentina, colhendo os frutos de um governo irresponsável, corrupto e incapaz, fracassou na ultima tentativa de negociação com seus credores e por este motivo deve ser oficialmente declarada ‘’caloteira’’.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil 



Nenhum comentário:

Postar um comentário