R.B. 6/JUN/14 "É canalhice"


R.B.

"É canalhice"

 

São Paulo, 6 de junho de 2014 (SEXTA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, acompanhando o desempenho positivo das principais bolsas mundiais e também ‘’comemorando’’ a nova queda de Dilma nas pesquisas de intenção de voto e (2) o DÓLAR pode voltar a cair, acompanhando a espera melhora do ‘’humor’’ na Bovespa, ainda devolvendo ganhos recentes e também influenciado pelo pacote de estímulo anunciado na Europa.

 

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -0,5%, revertendo uma abertura positiva, na qual chegou a subiu 0,8%, para fechar em território negativo pelo segundo dia consecutivo, com baixo volume de negócios (R$ 5,1bi) e com destaque de queda para as ações da Petrobrás (-1,7%) e (2) o DÓLAR caiu -0,6% para R$ 2,26, influenciado pelos leilões de venda do BC e acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana.

 

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, em um pregão de pouca volatilidade, Japão 0,1% e China 0,1%, com os investidores avaliando dados econômicos domésticos e também ficando no aguardo da decisão de política monetária do BC, (2) da EUROPA, próximas dos maiores patamares dos últimos 6 anos, Inglaterra 0,1%, França 1,1% e Alemanha 0,2%, refletindo positivamente a decisão do BC Europeu de tornar a taxa de depósito em território negativo pela primeira vez na história da zona do euro e de apresentar um pacote de medidas de liquidez e (3) dos EUA, com o DJ e o S&P nos maiores patamares da história, S&P 0,6%, DJ 1,0% e NASDAQ 1,1%, acompanhando a melhora do ‘’humor’’ nas bolsas da Europa e com os investidores agora aguardando a divulgação do relatório de emprego do país em MAI/14, que será conhecido nesta sexta-feira.

 

Reduzindo a possibilidade de novas altas da taxa básica de juros após as eleições presidenciais e inclusive indicando que ela pode começar a cair em 2015, na ata da última reunião do Copom o BC ressaltou que está preocupado com a queda no crescimento do PIB do país e indicou que acredita que a inflação está perdendo força no Brasil.

 

Na comparação entre ABR/14 e MAI/14, o Índice de Confiança da Indústria recuou -5,1%, o Índice de Confiança de Serviços caiu -5,7% e o Índice de Confiança do Comércio retrocedeu -4,4% e, apesar de Lula dizer que "é canalhice" afirmar que existe falta confiança no Brasil no exterior, recomendando que Dilma e Mantega viajem mais pelo mundo para atrair investimentos, (1) na comparação entre JAN/14 e MAI/14 as importações de bens de capital, usados para modernizar e ampliar a capacidade produtiva das empresas, registraram queda de -2,3% e (2) nos 5 primeiros meses deste ano as vendas de máquinas agrícolas recuaram -19,7% na comparação com o mesmo período de 2013.

 

Como reflexo da elevação da taxa de juros, que desestimula o consumo, e também do crescimento da desconfiança da população na economia, em MAI/14 os depósitos superaram os resgates na caderneta de poupança em R$ 2,8bi, o que representa o maior saldo positivo mensal em 2014 e mais uma vez indica que o brasileiro, com péssima educação financeira, não conhece outras opções de investimento que, com a mesma segurança da poupança, rendem bem mais que os 6,58% ao ano da poupança, como os fundos DI (7,90%) e os de renda fixa (7,57%).

 

Contrariando a opinião de Mantega, o ‘’sábio ministro’’ brasileiro da fazenda, a agência de classificação de risco Moody's alertou ontem para uma deterioração dos ativos dos bancos públicos brasileiros nos próximos trimestres, ressaltando que o principal motivo para isto é o rápido crescimento de empréstimos de baixa qualidade em suas carteiras que, aliado a baixa atividade econômica do país, se expandiram a uma taxa média anual composta de 24% na última década.

 

Mostrando, pela enésima vez, que seu ponto forte não é a economia, ontem Mantega, ministro da fazenda, se esqueceu de falar sobre poupança interna e investimento, algo que qualquer economista sabe que ajuda a segurar a inflação, para dizer apenas que o Brasil poderia ter taxas maiores de crescimento caso apenas houvesse mais crédito disponível no mercado.

 

Com fábricas parcialmente paradas devido à redução da demandas e à queda nas exportações, a produção de veículos no Brasil recuou -18% entre JAN/14 e MAI/14 na comparação com o mesmo período de 2013, porem, diante de resistências do BC, que teria de liberar os recursos para formação do fundo, e da avaliação técnica dos bancos de que a medida não teria grandes efeitos no mercado neste momento, o governo decidiu engavetar o projeto de criação de um fundo de crédito bancário, de até R$ 5bi, para financiar a aquisição de carros novos.

 

-    O Pão de Açúcar subiu 2,6%, após o grupo francês Casino, que comanda a empresa no país, aprovar a criação da empresa de comércio eletrônico CNova, que englobará todos os sites de vendas pela internet do grupo no Brasil, França, Colômbia, Tailândia e Vietnã.


Política:

 

Confirmando a fragilidade de Dilma e praticamente enterrando a possibilidade de reeleição no primeiro turno, porem também indicando que os eleitores ainda não escolheram seu candidato de oposição, segundo a última pesquisa divulgada as intenções de voto na atual presidenta do país recuaram de 37% para 34%, já Aécio Neves, do PSDB, caiu de 20% para 19% e Eduardo Campos, do PSB, recuou de 11% para 7%.

 

Fazendo propaganda eleitoral durante seu horário de expediente, ontem a presidenta Dilma prometeu entregar pelo menos mais 3 milhões de novas moradias por meio da terceira etapa do programa Minha Casa, Minha Vida, o que é apenas mais um lançamento dentro de um grande pacote de lançamentos de novas versões de programas já vigentes, com vistas às eleições deste ano.

 

Como não tem candidato viável em SP, Eduardo Campos, pré-candidato do PSB à Presidência da República, sinalizou para a ex-senadora Marina Silva, sua vice na sua chapa à sucessão no Palácio do Planalto, que não vai intervir no diretório estadual do partido para impedir uma aliança para a reeleição do governador tucano Alckmin.

 

Com o apoio de 1.600 líderes do PMDB do RJ, ontem Aécio Neves, candidato do PSDB à presidência, do lançamento do “Aezão”, movimento criado pelo presidente regional do PMDB, Jorge Picciani, em apoio às pré-campanhas do tucano e do governador peemedebista Luiz Fernando Pezão à reeleição.


Crítica:

 

Enquanto o governo tupiniquim estimula sua população, já bastante endividada e pagando empréstimos cuja taxa de juros muitas vezes é superior a 100% ao ano, a consumir ainda mais, nos EUA, que tem uma população economicamente muito mais avançada do que a brasileira, segundo uma pesquisa recente 54% da população não pretende viajar nas férias de verão deste ano e quase um terço dos ouvidos apontaram razões econômicas para a decisão.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil 


Nenhum comentário:

Postar um comentário