R.B. 2/JUN/14 ''Ideia errada''


R.B.

"Ideia errada "

 

São Paulo, 2 de junho de 2014 (SEGUNDA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, tentando uma recuperação após fechar o pregão anterior no menor patamar desde 16/ABR/14 e acompanhando a melhora do ‘’humor’’ nas demais bolsas mundiais e (2) o DÓLAR pode cair, devolvendo parte da alta acumulada no pregão anterior, diante da manutenção do fluxo positivo de recursos externos e também dos leilões de venda do BC.

 

Sexta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -1,9% (aos 51.239pts), prejudicada por fatores internos, como a divulgação de dados piores do que o esperado da economia brasileira, para fechar o mês de MAI/14 acumulando uma baixa de -0,7%, o que interrompeu uma sequência de 2 meses no azul e (2) o DÓLAR subiu 0,9% à R$ 2,24, acompanhando a piora do ‘’humor’’ na Bovespa, para fechar o mês registrando uma alta de 0,1%.

 

Também na sexta-feira, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão -0,3% e China -0,1%, devolvendo uma parte dos ganhos mensais, diante da divulgação de que gastos das famílias japonesas recuaram -4,6% em ABR/14 contra o mesmo período de 2013, (2) da EUROPA, sem uma tendência única, Inglaterra -0,4%, França -0,2% e Alemanha 0,1%, divididas entre a perspectiva de novos estímulos monetários na zona do euro e o recuo das ações das mineradoras, diante da queda dos preços dos metais e (3) dos EUA, devolvendo quase todos os ganhos da abertura, S&P 0,2%, DJ 0,1% e NASDAQ -0,1%, influenciadas por dados econômicos mistos e por uma maior movimentação no mercado de fusões e aquisições.

 

Surpreendendo de forma negativa o ‘’mercado’’, no primeiro trimestre deste ano o PIB brasileiro cresceu 0,2% frente aos últimos três meses de 2013, quando havia registrado uma alta de 0,4%, e 1,9% na comparação com o mesmo período de 2013, o que indica que a indústria e os investimentos continuam sofrendo com a falta de confiança na condução política e econômica do país.

 

Segundo os críticos já prevendo sua derrota para um candidato da oposição, na última sexta-feira, ao comentar mais um resultado pífio do PIB brasileiro, a presidenta Dilma, admitindo o país vive um problema seriíssimo de expectativa, ‘’garantiu’’ que após as eleições a confiança do empresariado vai voltar.

 

‘’Campeão mundial’’ na arte de colocar sua culpa na conta dos outros e mostrando mais uma vez que só conhece a fórmula do consumo para impulsionar a economia, Mantega, ministro brasileiro da Fazenda, afirmou que o crescimento do PIB no primeiro trimestre, de apenas 0,2%, foi causado por juros e inflação mais altos, que por sua vez levaram a uma queda nos gastos das famílias.

 

Apesar do resultado ‘’pífio’’ do PIB brasileiro, em ABR/14, por conta da falta de capacidade de execução de obras e projetos do executivo, União, Estados e municípios fecharam o mês com um superávit nas suas contas de R$ 16,9bi, o que (1) representa o melhor resultado para o período desde 2011, (2) superou as projeções dos analistas (R$ 15bi) e (3) representa 2,60% do PIB.

 

Os programas assistencialistas do governo Federal causam um baixo interesse desses brasileiros por um emprego formal, o que é uma das explicações para a pequena taxa de desemprego, de 4,9% em ABR/14, já que 17 milhões de brasileiros responderam ao IBGE que não gostariam de trabalhar, número 5,7% maior do que o apurado no mesmo período de 2013.

 

Com a ‘’ideia errada’’ de que os investimentos em imóveis são 100% seguros e sempre rentáveis, cada vez mais pessoas, iludidas pelos resultados do passado, tem comprado apartamentos na planta com a pretensão de alugar ou vender após a conclusão da obra, com isto, preparando uma bolha que vai explodir depois da copa, um imóvel de 45 m² em SP já chega a custar R$ 1mi.

 

Diante do estímulo irresponsável do governo Dilma para que a população consuma cada vez mais, da elevação da taxa básica de juros e dos aumentos menores dos salários, segundo um estudo do banco Credit Suisse a parcela da renda das famílias brasileiras comprometida com encargos de dívidas subirá para nível recorde.


Política:

 

Apesar de Lula, antes de se tornar presidente, se referir ao agora aliado como ‘’filhote da ditadura’’, na sexta-feira Maluf se encontrou pré-candidato do PT ao governo de SP, Alexandre Padilha, e assim selou oficialmente uma aliança entre PT e PP, garantindo assim um minuto a mais no horário eleitoral gratuito ao candidato petista.

 

Enquanto o PT se alia e aprofunda as parce3rias com figuras como Maluf, Collor e Sarney, por motivos variados, desde falta de sintonia com o PT a até resistência a presidenta Dilma, quase uma dezena de ex-ministros de Lula já aderiu a outras candidaturas, como Eduardo Campos, Marina Silva, Roberto Amaral, Fernando Bezerra Coelho, Cristovam Buarque, José Viegas, Nelson Jobim, Miro Teixeira, Geddel Vieira Lima e Roberto Rodrigues.

 

Com dinheiro público, em clima de campanha e ao som de samba, a presidenta Dilma inaugurou um corredor de ônibus no RJ e pediu hospitalidade, e não violência, durante a Copa, ressaltando que o evento deixará "um legado" de obras para o povo, ao contrário do que muitos dizem.

 

Uma nova Comissão Parlamentar de Inquérito criada para investigar os negócios da Petrobras começará a trabalhar nesta segunda-feira em meio a divergências entre aliados do governo e a oposição sobre o momento mais adequado para chamar o ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa para depor à CPI.

 

Os principais partidos da oposição se movimentam para tentar suspender o decreto editado pela presidente Dilma Rousseff que obriga os órgãos do governo a promover consultas populares, por meio de nove conselhos, sobre grandes temas, antes que propostas legais venham a ser adotadas e se transformem em políticas públicas.

 

Terceiro colocado na corrida ao Palácio do Planalto, Eduardo Campos, do PSB, ainda enfrenta problemas para colocar de pé seus palanques nos principais Estados do país, como SP e RJ, o que é um reflexo do que integrantes de sua própria equipe classificam como dificuldades de um partido "nanico em estrutura".


Crítica:

 

No último trimestre o PIB brasileiro cresceu apenas 0,2% (metade do trimestre anterior), o investimento e a indústria continuam em queda vertiginosa, a competividade tupiniquim caiu 16 posições no ranking mundial e já estamos entra as 10 piores do mundo, a educação está na penúltima posição do ranking mundial, a taxa de homicídios piorou para os níveis de 1980 e assim já somos o segundo 2ª pior do mundo, agora até o Magazine Luiza, que turbinada pelos bilhões do BNDES enaltecia o futuro florescente da economia brasileira, anunciou que vai fechar 9 lojas.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil 


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário