R.B. 10/JUN/14 ''A copa não pegou''


R.B.

"A copa não pegou"

 

São Paulo, 10 de junho de 2014 (TERÇA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em alta, ampliando a ainda pequena valorização acumulada no ano (5,4%), ainda ‘’comemorando’’ a queda de Dilma nas pesquisas, mesmo diante de realização de lucros nas demais bolsas mundiais e (2) o DÓLAR pode seguir em queda, rumo aos R$ 2,20, com o BC atuando na ponta vendedora para segurar a inflação e o fluxo positivo de recursos externos aumentando pelo mesmo motivo que leva à valorização da Bovespa.

 

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 2,1%, para fechar o pregão anterior no maior patamar desde 14/MAI/14 (aos 54.247pts), mais uma vez ‘’animada’’ pelos sinais de queda de Dilma nas pesquisas de intenção de votos, o que novamente beneficiou as ações das estatais Petrobrás (2,2%) e Banco do Brasil (2,9%), e também acompanhando o desempenho ascendente das demais bolsas mundiais e (2) o DÓLAR caiu -0,8% à R$ 2,23, registrando a terceira baixa consecutiva, influenciada pelos leilões de venda do BC e assim como a bolsa brasileira refletindo o otimismo dos investidores com as pesquisas eleitorais.

 

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 0,3% e China 0,1%, embaladas (a) por indicadores positivos das exportações da chinesas, (b) pelo crescimento do índice de confiança do consumidor japonês e (c) pela revisão da expansão do PIB do primeiro trimestre de 5,9% para 6,7%, (2) da EUROPA, novamente nos maiores patamares dos últimos 6 anos, Inglaterra 0,2%, França 0,2% e Alemanha 0,2%, com os investidores otimistas com a recuperação econômica global e com destaques de alta para as ações dos bancos e (3) dos EUA, mais uma vez com o DJ e o S&P nos maiores patamares da história, porem com um volume de negócios reduzido, S&P 0,1%, DJ 0,1% e NASDAQ 0,3%, desta vez beneficiadas pelo entusiasmo gerado por notícias sobre fusões e aquisições, como da Merck & Co que concordou em comprar a Idenix Pharmaceuticals Inc por US$ 3,85bi.

 

Ainda mostrando pessimismo, o ‘’mercado’’ reduziu, desta vez de 1,50% para 1,44%, suas previsões para o crescimento do PIB brasileiro em 2014 e, mesmo com o enfraquecimento da atividade econômica, manteve em 6,47% suas ‘’apostas’’ para o IPCA, que é o índice de inflação oficial, deste ano.

 

Como, segundo um estudo da OCDE, produz pouco e também é pouco instruído, o trabalhador brasileiro, que tem apenas 57% da população jovem com diploma de segundo grau, trabalha mais do que a média dos habitantes dos países ricos, cuja média de jovens com diploma de segundo grau é de 82%, mas é mais pobre do que todos, já que seu suor não agrega muito à economia.

 

Apesar de o Copom ter parado de subir a Selic, que é a taxa básica de juros da economia brasileira (atualmente em 11% ao ano), diante da falta de educação financeira dos brasileiros e dos estímulos do governo para o consumo descontrolado, (1) os juros médios cobrados dos consumidores pessoa física subiram de 88,61% ao ano em ABR/13 para 100,76% ao ano em MAI/14 e (2) a inadimplência dos brasileiros avançou 9,56% em MAI/14 na comparação com MAI/13, o que representa a maior variação anual registrada desde o início da série histórica.

 

Principalmente devido ao vigor dos mercados de ações, a estabilidade das economias industrializadas (EUA e Europa) e às políticas monetárias favoráveis da parte dos BC, a riqueza privada no planeta cresceu 14,6% de 2012 para 2013 e atualmente existem mais milionários no mundo hoje do que em qualquer momento do passado.

 

‘’Apostando’’ no crescimento da economia brasileira, a fabricante de pneus Michelin anunciou ontem a aquisição da empresa brasileira de tecnologia Sascar, que é especializada em gerenciamento de frotas e rastreamento de cargas, por R$ 1,6bi.


Política:

 

Com status de maior partido aliado da presidenta Dilma, o PMDB, que tem vice-presidente Michel Temer, define hoje em convenção nacional se continuará ao lado da petista na disputa à reeleição e, mesmo com a esperada confirmação do apoio, a sigla já prepara críticas a algumas das propostas defendidas pelos petistas e pelo governo, como (1) a rejeição a qualquer projeto de regulação da mídia, (2) a discordância em relação ao formato de reforma política defendido pelo PT e (3) o veto ao decreto de Dilma que obriga órgãos do governo a fazer consultas públicas antes de decidir sobre temas de interesse da sociedade.

 

Dando uma excelente noticia para a oposição, segundo uma pesquisa divulgada ontem, no Estado de SP, que tem o maior PIB e o maior número de eleitores do Brasil, (1) a rejeição da presidenta Dilma chega a 46% e só 23% apoiam seu governo, (2) 83% da população quer mudança, (3) e tanto Aécio Neves, do PSDB, quanto Eduardo Campos, do PSB, venceriam a petista num segundo turno, respectivamente por 46% a 34% e por 43% a 34%.

 

Ontem a Comissão de Ética Pública da Presidência da República decidiu abrir processo para apurar denúncias de que Marcelo Fiche, ex-assessor de Mante, o ministro da Fazenda, que segundo denúncias teria recebido irregularmente dinheiro de empresa que prestava serviços à pasta.


Crítica:

 

Mostrando que ''a copa não pegou'', (1) dos quase 3 milhões de ingressos vendidos até agora, 60% foram comprados por brasileiros e 40% para estrangeiros, (2) entre os estrangeiros os norte-americanos, que em tese preferem outros esportes, lideram a compra de ingressos, seguidos por argentinos, que moram aqui do lado e são fanáticos, e finalmente dos alemães e ingleses, que movimentam a maior parte do dinheiro do futebol, (3) supondo que cada ''gringo'' que venha ao Brasil veja apenas 3 jogos da Copa, fechamos a conta, aliás bem otimista, com cerca de 400mil turistas gringos vindo ao nosso país por conta deste evento futebolístico, (4) segundo o site oficial do Ministério do Turismo, em 2012 o Brasil recebeu 5,67 milhões de turistas, o que dá 472mil turistas por mês e (5) portanto, como durante a copa quem não gosta de futebol muito provavelmente não virá ao Brasil, teremos um déficit de 72mil ''gringos'' apenas na questão do turismo, isto sem falar nos bilhões gastos desnecessariamente em estádios.

 

Diante do enorme descaso das autoridades brasileiras com a educação, o Brasil tem o pior desempenho do mundo no Pisa, que é o exame internacional que compara o desempenho acadêmico de alunos de 15 anos, entre os 36 países analisados pela OCDE.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil 


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário