R.B. 3/ABR/14 ''Rever e reformular''


R.B.

"Rever e reformular"

 

São Paulo, 3 de abril de 2014 (QUINTA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em alta, ainda diante das ''apostas'' de que Dilma vai cair mais nas próximas pesquisas de intenção de voto para presidente e que isto, no mínimo, pode ''finalmente'' causar a demissão de Mantega, e (2) o DÓLAR pode cair, devolvendo os ganhos acumulados no pregão de ontem, diante da expectativa de aumento do fluxo positivo de recursos externos, causado pela nova elevação da Selic.

 

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 2,8%, para fechar o dia no maior patamar desde 29/NOV/13 (aos 51.701pts), com ótimo volume de negócios (R$ 9,9bi) e impulsionada principalmente por compras de investidores estrangeiros e (2) o DÓLAR subiu 0,4% à R$ 2,27, acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana, em um dia de ajuste à queda de mais de -3% registrada em MAR/14.

 

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 1,0% e China 0,3%, diante dos sinais de que a deflação da economia japonesa, que já dura cerca de 15 anos, pode estava chegando ao fim, (2) da EUROPA, com pouca volatilidade, Inglaterra –0,2%, França 0,1% e Alemanha 0,2%, divididas entre a divulgação de dados piores do que o esperado do mercado de trabalho dos EUA e melhores do que o esperado sobre a inflação na zona do euro e (3) dos EUA, S&P 0,3%, DJ 0,2% e NASDAQ 0,2%, com o S&P superando o maior patamar da história pela oitava vez no ano, diante da redução dos temores de fim dos estímulos monetários após a divulgação de dados piores do que o esperado do mercado de trabalho do país.

 

Ontem, conforme esperado por mais de 80% do ''mercado'' e diante da manutenção da pressão inflacionária, o Copom subiu, pela nona vez consecutiva, a taxa Selic, desta vez de 10,75% para 11,00% ao ano, o que representa o maior patamar desde NOV/11, ressaltando que a decisão foi unânime e que irá monitorar a evolução do cenário macroeconômico até sua próxima reunião, para então definir os próximos passos na sua estratégia de política monetária.

 

Segundo Christine Lagarde, diretora-gerente do FMI, as autoridades do BC Europeu, que se reúnem hoje, devem afrouxar a política monetária para combater a inflação perigosamente baixa, que pode golpear a produção e os gastos do consumidor na Zona do Euro.

 

Mostrando mais uma vez o quanto fala besteira, mesmo com o país sem energia elétrica suficiente, sem mão de obra qualificada e também sem infraestrutura necessária, Mantega, ministro da Fazenda, afirmou ontem que a economia brasileira poderá crescer até 5% ao ano quando a "crise mundial amainar".

 

Reclamando da falta de investimentos em infraestrutura e educação, os empresários reunidos no Panamá para o Fórum Econômico Mundial para a América Latina dizem estar preocupados com a sustentabilidade e o futuro da economia brasileira.

 

Mais uma vez alertando que ''o gato subiu no telhado'', ontem o Ministério de Minas e Energia informou que as bacias hidrográficas onde se encontram os maiores reservatórios do país estão atravessando uma situação "desfavorável" e que a predominância de chuvas, em MAR/14, ficou "abaixo do padrão normal" nas regiões Norte, Sudeste e Centro-Oeste, as principais para geração de energia hídrica.

 

Principalmente diante da péssima eficiência da maquina publica, que é lenta, grande e sucateada, em 2013, pela quinta vez consecutiva, o Brasil, superado até pela Argentina (24º), ficou em ultimo lugar entre 30 países de um estudo que analisa o retorno de valores arrecadados com tributos em qualidade de vida para a sua população.


Política:
 
Agradando a oposição e até mesmo membros da base aliada, o senador tucano Aécio Neves, candidato do PSDB à presidência, afirmou ontem que (1) vai haver segundo turno", (2) quem for para o segundo turno derrota Dilma e (3) em sua hipotética gestão vai propor logo no primeiro dia o fim da reeleição.
 
Por conta de um acordo fechado pelo PT com a oposição e o presidente do Senado, o peemedebista Renan Calheiros, foi adiada para a semana que vem a definição sobre a criação de uma CPI para investigar a Petrobras.
 
Após ver sua aprovação cair de 55% para 20%, o peemedebista Sergio Cabral, governador do RJ, deixou ontem o cargo e, depois de sonhar com a Vice-Presidência da República, ainda não sabe se terá forças para tentar uma vaga no Senado.
 
Mesmo após uma maioria de 6 ministros votar pelo fim das doações feitas por pessoas jurídicas para campanhas eleitorais, diante de um pedido de vista do ministro Gilmar Mendes, a conclusão deste julgamento foi adiada e assim qualquer mudança só passará a valer nas eleições municipais de 2016.


Crítica:
 
Mostrando mais uma vez que devemos ''rever e reformular'' nossos hábitos de consumo, segundo um estudo da ONU, em média, cada habitante da Terra desperdiça quase 300 quilos de alimentos por ano e, ao mesmo tempo, mais de 800 milhões de pessoas passam fome, o que representa cerca de 10% da população do planeta.
PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog http://relatoriobrasil.blogspot.com 


Nenhum comentário:

Postar um comentário