R.B. 29/ABR/14 ''Lenta porem cada dia mais inevitável queda do governo Dilma''


R.B.

"Lenta porem cada dia mais inevitável queda do governo Dilma"

 

São Paulo, 29 de abril de 2014 (TERÇA-FEIRA).


Mercados e Economia:

 

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, acompanhando o desempenho positivo das demais bolsas mundiais e provavelmente com o mercado comemorando a ‘’lenta porem cada dia mais inevitável queda do governo Dilma’’ e (2) o DÓLAR pode seguir em queda, ainda com ‘’boas chances’’ de fechar o mês ‘’testando o suporte’’ dos R$ 2,20, seguindo a esperada melhora do ‘’humor’’ na Bovespa e também pressionado pelos leilões de venda do BC.

 

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -0,1%, recuperando quase todas as perdas registradas na abertura, já que na mínima do dia recuou -1,2%, dividida entre o desempenho positivo da Petrobrás (3,1%) e o desempenho negativo das ações da Vale (-2,8%) e (2) o DÓLAR caiu -0,2% à R$ 2,22, acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana e influenciado pelos leilões de venda do BC.

 

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão -1,0% e China -1,6%, com os investidores analisando os balanços fiscais e o desenvolvimento com as tensões na Rússia sobre a Ucrânia, (2) da EUROPA, Inglaterra 0,2%, França 0,4% e Alemanha 0,5% , beneficiadas por notícias sobre fusões e aquisições no setor farmacêutico e por resultados melhores do que o esperado da alemã Bayer e (3) dos EUA, após uma sessão volátil, S&P 0,3%, DJ 0,5% e NASDAQ 0,1%, com os investidores otimistas com dados positivos da economia e das empresas do país, porem atentos à nova rodada de sanções dos EUA e da União Europeia à Rússia.

 

-    Ligeiramente menos pessimista, o ‘’mercado’’ reduziu, de 6,51% para 6,50%, suas ‘’apostas’’ para a inflação medida pelo IPCA neste ano e elevou, desta vez de 1,63% para 1,65%, suas previsões para o desempenho da economia brasileira em 2014.

-    Mais otimista que o ‘’mercado’’, que fala em 1,65%, e que o FMI, que fala em 1,8%, Mantega, ministro da Fazenda, ‘’garantiu’’ que este ano a economia brasileira vai crescer 2,3%.

 

Apesar do governo tupiniquim não investir quase nada em educação financeira, a CVM, com o objetivo de atrair a classe média "emergente", quer criar um novo tipo de fundo de investimento que (1) vai concorrer com a poupança, (2) será administrado e oferecido aos clientes de modo eletrônico, (3) só poderá investir em papéis de renda fixa, no limite de 95%, com o mesmo grau de risco da União ou superior e (4) terá liquidez diária.

 

Até o final da semana passada, em ABR/14 as vendas de veículos novos no Brasil já registravam alta de 30% sobre MAR/14, porem mesmo assim, confirmando os ‘’rumores’’ existentes, Mantega, ministro brasileiro da Fazenda, confirmou ontem que o governo Dilma estuda programas de apoio à indústria automotiva, ressaltando que este setor tem relevância na economia e na geração de empregos.

 

Sem nenhuma reforma descente e sofrendo com os incontáveis casos de fraude, segundo um estudo internacional da seguradora Allianz, a Previdência Social tupiniquim, que está na segunda pior posição em um ranking com 50 países, será insustentável se o governo não aumentar a idade mínima para a concessão dos benefícios.

 

Principalmente por conta da emissão líquida de R$ 3,21bi em títulos federais, estimuladas pelo elevado patamar da Selic, e pela apropriação de juros de R$ 18,5bi, em MAR/14 a dívida pública mobiliária federal interna aumentou 0,77% frente a FEV/14, atingindo R$ 1,99tri.

 

‘’Sem medo de correr riscos’’, o Brasil vai tentar fechar ainda hoje um acordo com a Argentina pelo qual oferecerá garantias para o financiamento de exportações de até US$ 3bi por ano ao país vizinho e em contrapartida exigirá que os argentinos assumam a dívida com os exportadores brasileiros.

 

-    A Vale caiu -2,8%, já que o preço do minério de ferro na China recuou -5% após o regulador bancário local pedir às autoridades e a bancos para acelerarem investigação sobre acordos de financiamento a compras da commodity, numa tentativa de minimizar riscos de calotes.

-     A Petrobrás subiu 3,1%, já que o ‘’mercado’’ voltou a repercutir a perspectiva de que a presidenta Dilma perderá mais pontos na pesquisa eleitoral que será divulgada hoje. 


Política:

 

Diante da provável e esperada queda da presidenta nas pesquisas de intenção de voto que serão divulgadas nesta semana, aumentam cada dia mais os ‘’rumores’’ de que Lula será candidato do PT e que a única saída possível para Dilma é mudar os rumos da política econômica, algo ‘’quase impossível’’ para quem conhece a cabeça da presidenta.

 

‘’Coberto de razão’’, Joaquim Barbosa, presidente do Supremo Tribunal Federal, afirmou que lamenta profundamente que o ex-presidente Lula tenha escolhido um órgão da imprensa estrangeira para questionar a lisura do trabalho realizado pelos membros da mais alta Corte da Justiça do País, ressaltando que a desqualificação do Supremo Tribunal Federal, pilar essencial da democracia brasileira, é um fato grave que merece o mais veemente repúdio.

 

O ministro de Relações Institucionais, Ricardo Berzoini, se reuniu ontem com os líderes governistas no Senado para tratar da estratégia do Palácio Planalto em relação à CPI da Petrobras e a decisão dos governistas foi indicar os nomes dos integrantes e instalar a CPI assim que a notificação do Supremo Tribunal Federal com a decisão da ministra Rosa Weber chegar ao Senado, o que deve ocorrer na próxima semana.

 

Mostrando o quanto é ‘’companheiro dos seus companheiros’’, o ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha, pré-candidato do PT ao governo de SP, disse que seus advogados interpelarão judicialmente o deputado federal e agora ex-petista André Vargas para dar explicações sobre as declarações que constam em relatório da Polícia Federal na Operação Lava-Jato.

 

Obviamente com viés político, o governo federal anunciou ontem que vai lançar, em JUN/14, a terceira etapa do programa habitacional “Minha casa, minha vida”, que beneficia famílias de baixa renda.


Crítica:

 

Apoiando-se na velha política do ‘’pão e circo’’, Haddad, prefeito de SP, encaminhou à Câmara Municipal um projeto de lei que declara feriado na capital paulista nos 6 dias de jogos da Copa do Mundo na maior cidade do país e, para ajudar a entorpecer a população, o ‘’nobre’’ mandatário também quer liberar a venda de bebida alcoólica no estádio durante a Copa, o que aliás já estava previsto no acordo com a Fifa.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com


Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com

Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil 


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário