R.B. 28/FEV/14 ‘’A situação é muito mais critica’’


R.B.

"A situação é muito mais critica"

 

São Paulo, 28 de fevereiro de 2014 (SEXTA-FEIRA).


Mercados:

 

HOJE

-    A BOVESPA deve seguir em alta, passando a acumular valorização no mês de FEV/14 e reduzindo as perdas acumuladas no ano (-7,6%), em um movimento mais amplo de ''caça de barganhas'' que, caso o cenário externo não atrapalhe, pode levar a bolsa brasileira a recuperar o patamar dos 50.000pts até o final de MAR/14.

-    O DÓLAR pode seguir em queda, mesmo após fechar o pregão anterior no menor patamar desde 17/DEZ/13 e assim já acumular uma baixa de –1,4% no ano, acompanhando a esperada melhora do ''humor'' na Bovespa e também influenciado pelos leilões de venda do BC.

 

ONTEM

-    BOVESPA 2,2%, já abriu em alta e manteve a trajetória ascendente ao longo de todo pregão impulsionada (1) pelo bom desempenho das bolsas de NY, (2) pela avaliação positiva do resultado da Vale, cujas ações avançaram 1,1%, (3) pela recuperação das ações da Petrobrás, cujas ações subiram 2,6%, (4) pelo resultado acima do esperado do PIB brasileiro no quarto trimestre de 2013 e (5) pelos sinais do Copom de que a alta de 0,25% da Selic, ocorrida no dia anterior, pode ser a última deste ciclo.

-    DÓLAR –1,4% à R$ 2,32, abriu em leve alta, para na máxima avançar 0,2%, porem logo passou a cair, acompanhando a melhora do ''humor'' na Bovespa, seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana e influenciado pelo fluxo positivo de recursos externos.

-    Na ÁSIA, ainda sem uma tendência única, JAPÃO –0,3%, com a falta de incentivos para que o movimento comprador se estabelecesse antes do discurso da presidente do FED (''BC'' dos EUA), Janet Yellen, no Senado e CHINA 0,3%, influenciada positivamente pela redução dos temores em relação ao setor imobiliário do país e com destaques de alta para as ações de empresas dos setores de energia elétrica e de defesa.

-    Na EUROPA, sem uma tendência única e com baixa volatilidade, INGLATERRA 0,2%, FRANÇA –0,1% e ALEMANHA –0,7%, reagindo de forma cautelosa a indicadores econômicos divergentes, a informes de resultados de empresas e ao noticiário sobre a evolução da crise política na Ucrânia.

-    Nos EUA, recuperando as perdas da abertura e com o S&P fechando o pregão no maior patamar da história, S&P 0,5%, DJ 0,5% e NASDAQ 0,6%, com os investidores (1) ''animados'' com a divulgação de indicadores econômicos positivos, como as encomendas de bens duráveis, que recuaram menos do que o esperado, e (2) ''aliviados'' com o discurso de Janet Yellen, presidente do FED (''BC' local), que afirmou que poderá reconsiderar o plano de reduzir gradualmente seu programa de estímulo à economia caso a perspectiva econômica mude significativamente para pior.


Economia:

 

Acima do esperado (0,5%), o PIB brasileiro cresceu 0,7% no ultimo trimestre de 2013 e assim acumulou uma alta de 2,3% no ano passado, resultado que (1) supera a alta de 1% de 2012, (2) deve estancar a recente onda de revisões para baixo nas projeções de crescimento em 2014, (3) leva a média de crescimento dos 3 primeiros anos de governo para 2,0%, o que representa a pior média desde o governo Collor e (4) é o pior entre os principais emergentes.

 

Mostrando como a burocracia atrapalha o crescimento do Brasil, o governo terá de enfrentar uma verdadeira "via-crúcis" para conseguir licitar 158 áreas de portos neste ano, como pretende, já que, além das dificuldades que já atravessa no Tribunal de Contas da União, onde três processos diferentes impedem a realização das concorrências, o número de ações na Justiça contra as concorrências só aumenta.

 

Apresentando um ótimo resultado e impulsionadas pela expansão do crédito imobiliário, as vendas de imóveis usados na cidade de SP subiram 29,8% no ano passado e, apesar da maioria dos economistas ''apostarem'' que o ritmo não deve se manter nos próximos anos, em 2013 os preços fecharam com uma alta de 25,9% na comparação com 2012, número muito superior ao IPCA do período (5,91%).

 

Podendo contribuir com o fim do ciclo de alta dos juros, o IGP-M, índice que reajusta a maioria dos contratos de aluguel, subiu 0,38% em FEV/14, patamar abaixo do auferido em JAN/14 (0,48%) e também aquém da média das ''apostas do mercado'' (0,40%).

 

Como fruto do aumento da renda entre os mais pobres, em JAN/14 o mercado farmacêutico brasileiro comercializou cerca de R$ 4,9bi em medicamentos, o que representa um incrível crescimento de 14,9% na comparação com o resultado de JAN/13.

 

Influenciada pelas recentes elevações da Selic e engordando ainda mais o lucro dos grandes bancos brasileiros, em JAN/14 a taxa média de juros cobrada do consumidor chegou a 39,9% ao ano, o que é o maior patamar desde MAR/12, quando estava em 41,2%.

 

-    A BRF subiu 2,1%, porem após o fechamento do pregão de ontem a empresa anunciou que no quarto trimestre de 2013 seu lucro líquido recuou -60% na comparação com o mesmo período de 2012, por gastos financeiros mais elevados e despesas operacionais não recorrentes em um ambiente de vendas mais fracas no mercado interno.


Política:

 

Embora esvaziado devido à chegada do Carnaval, o Congresso assistiu ontem mais uma troca de críticas entre petistas e tucanos sobre o resultado do PIB, já que petistas como a senadora Gleisi Hoffmann, ex-ministra da Casa Civil, foi à tribuna exaltar atacar aqueles a quem classificou de "pessimistas" e os tucanos, como o senador Aloysio Nunes Ferreira, 100%engajado na campanha de Aécio Neves à Presidência, lembrou que é lamentável contentar-se com um aumento do PIB que na América Latina só fica à frente da Venezuela.

 

Se aproximando cada vez mais de Lula, a Justiça Federal decidiu abrir ação criminal contra Rosemary Nóvoa de Noronha, a ex-chefe do Gabinete da Presidência da República em SP e também suposta amante do ex-presidente, por tráfico de influência e corrupção passiva em um esquema de venda de pareceres técnicos de órgãos públicos federais.

 

Mostrando para Dilma e para a oposição que não é impossível o PMDB sair da base aliada e, como um rato que abandona um barco que está afundando, rumar para a oposição nas eleições presidenciais deste ano, causou surpresa no governo o programa de televisão dos peemedebistas veiculado na noite de ontem, já que o até agora principal partido aliado não fez uma aposta explícita no governo petista e sugeriu que seus eleitores façam "escolhas" sem citar nominalmente a presidenta.


Crítica:

 

Mostrando que ''a situação é muito mais critica'' do que as ''autoridades'' querem informar, ontem o órgão técnico que determina a quantidade de água que pode ser retirada do sistema Cantareira, que está no menor nível de sua história (16,6%), decidiu que a Sabesp precisa reduzir a captação para abastecer a Grande SP, o que por sua vez tornará inevitável um racionamento.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br


Conheça e indique nosso Blog http://relatoriobrasil.blogspot.com

Conheça e indique minha página no Facebook http://facebook.com/Alfredosequeirafilho


Nenhum comentário:

Postar um comentário