R.B. 7/NOV/13 ‘’5 crenças sinceras’’


R.B.

"5 crenças sinceras"

 

São Paulo, 7 de novembro de 2013 (QUINTA-FEIRA).


Mercados:

 

HOJE

-    A BOVESPA pode subir, tentando uma recuperação após 2 pregões consecutivos de queda, influenciada positivamente pela divulgação de boas noticias corporativas, como o resultado da mineradora Vale, e também influenciada pela valorização internacional das commodities.

-    O DÓLAR pode cair, devolvendo uma parte das fortes altas acumuladas nos últimos pregões, acompanhando a provável melhora do ''humor'' na Bovespa e também influenciado pelas declarações de Carlos Hamilton, diretor de Política Monetária do BC, de que a autoridade avalia prorrogar para 2014 o programa de intervenções diárias no mercado de câmbio.

 

ONTEM

-    BOVESPA –0,8%, já abriu em queda e, mesmo com a valorização das ações na Europa e nos EUA, manteve-se em território negativo ao longo de ''quase'' todo pregão, pressionada principalmente pela baixa das ações de construtoras, como PDG (-8,9%), Brookfield (-5,6%) e Rossi (-5,1%), e influenciada pelo crescimento dos ''temores'' de que a deterioração das contas públicas no país pode levar a um rebaixamento da ''nota'' do Brasil.

-    DÓLAR 0,1% à R$ 2,28, abriu em queda, para na mínima recuar –0,3%, porem passou a subir na parte da tarde e novamente fechou o dia no maior patamar desde 11/SET/13, mesmo com um leilão de venda do BC, acompanhando o ''humor negativo'' na Bovespa.

-    Na ÁSIA, com poucos negócios e sem uma tendência única, JAPÃO 0,8%, elevando a alta acumulada no ano para 37,9%, CORÉIA 0,1% e CHINA –0,8%, na espera por mais ''pistas'' para avaliar os próximos passos do Fed (o BC dos EUA) e também aguardando um importante encontro das lideranças políticas chinesas no próximo sábado.

-    Na EUROPA, atingindo os maiores patamares em 5 anos, INGLATERRA 0,1%, FRANÇA 0,8% e ALEMANHA 0,3%, beneficiadas pela divulgação de resultados corporativos melhores do que o esperado do conglomerado financeiro ING e da empresa de recursos humanos Adecco, cujas ações avançaram 3,5% e 3,6% respectivamente.

-    Nos EUA, com o DJ fechando no maior patamar da história, S&P 0,4%, DJ 0,8% e NASDAQ 0,2%, com destaques de alta para as ações da Microsoft (4,2%) e também impulsionadas pela divulgação de dados econômicos positivos sobre a Europa, como as encomendas à indústria na Alemanha, que aumentaram mais do que o esperado em SET/13 na comparação mensal.


Economia:

 

Como o brasileiro não tem educação financeira e o governo Dilma não inspira confiança para investimentos no setor produtivo da economia, em OUT/13 os depósitos na caderneta de poupança superaram os saques em R$ 4,5bi, patamar que é o maior para os meses de outubro desde o início da série histórica do BC (em 1995), com isto nos 10 primeiros meses deste ano o ingresso líquido de recursos na poupança já soma R$ 53,4bi, superando todo o montante registrado nos 12 meses de 2012 (R$ 49,7bi).

 

Aumentando a desconfiança com o governo Dilma, existem ''5 crenças sinceras'' do governo petista que assustam o mercado, são elas (1) aumento do gasto social não é aumento de gasto, (2) a situação das contas brasileiras é melhor que a dos países desenvolvidos, (3) a piora fiscal se deve, basicamente, à desaceleração da economia, (4) os artifícios utilizados para cumprir as metas fiscais foram todos legais e (5) a inflação está dentro da meta.

 

Reflexo da redução da credibilidade externa do Brasil, em OUT/13 o fluxo cambial brasileiro ficou negativo de US$ -6,2bi, o que representa a maior saída líquida desde DEZ/12 e o pior resultado para o mês desde OUT/97, quando somou déficit de US$ -6,4bi.

 

Na terça-feira a presidenta Dilma mandou sua equipe econômica defender a politica fiscal do governo, porem ontem Mantega, ministro da Fazenda, afirmou que não se compromete com o cumprimento da meta de economia do setor público para este ano, de R$ 110,9bi, o que equivalente a 2,3% do PIB.

 

Revelando mais um ''errinho de Mantega'', que como sempre deve ser colocado na conta de um de seus subordinados, a área econômica do governo Dilma cometeu equívocos de proporções inéditas nas projeções de despesas, principalmente na área social, já que os programas de Previdência e amparo aos trabalhadores tiveram seus gastos subestimados em mais de R$ 20bi, o que representa 1 ano de Bolsa Família.

 

''Apostando'' no Brasil, (1) a Pirelli anunciou que investirá cerca de R$ 1bi para ampliar sua produção no país nos próximos 4 anos, (2) a rede de supermercados Condor irá investir aproximadamente R$ 500mi em um plano de expansão até 2016, o que inclui a primeira operação fora do Paraná e (3) a marca italiana Zucchi, de roupa de cama, mesa e banho, em menos de 20 dias no país já abriu 3 lojas e anunciou que até 2018 quer ter mais 20 pontos de venda.

 

Segundo Aldo Mendes, diretor de Política Monetária do BC, a criação de novos instrumentos de pagamentos, como movimentação de recursos via celular, moedeiros eletrônicos e cartões pré-pagos, irá ajudar a reduzir o custo do crédito e das tarifas bancárias no país.

 

-    A Vale subiu 1,4%, diante das perspectivas otimistas sobre o resultado da mineradora no terceiro trimestre, que foi divulgado na noite de ontem e que veio acima do esperado pelo ''mercado'' ao atingir R$ 7,9bi no terceiro trimestre, valor 139,4% maior que no mesmo período do ano passado.


Política:

 

Rejeitando a transparência, que aliás em política só é negada quando existe corrupção, a Comissão de Constituição e Justiça do Senado rejeitou ontem, por 10 a 9, uma proposta para que sejam divulgadas periodicamente na internet a lista de doadores de campanhas políticas, inclusive com o senador Aécio Neves, presidente do PSDB e provável candidato a Presidência, sendo um dos que votaram contra a proposta.

 

Com a ajuda de parte da base aliada, inclusive do PT, a oposição no Senado conseguiu aprovar, na noite de ontem, um requerimento para votar uma emenda à Proposta de Emenda à Constituição do Orçamento Impositivo destinando mais dinheiro para a área da Saúde.

 

Engrossando ainda mais a base aliada de Dilma, ontem os partidos PP e o PROS concluíram a criação do terceiro maior bloco da Câmara (com 65 parlamentares), já com convite feito pela presidenta Dilma para que o PROS assuma um ministério na reforma ministerial que ocorrerá em DEZ/13 e já com o compromisso do bloco de apoiar a reeleição da presidenta.

 

Com o espaço para alianças tradicionais bastante restrito, a dupla formada pelo governador Eduardo Campos, do PSB, e pela ex-senadora Marina Silva, do REDE, buscará no mundo artístico apoio ao projeto eleitoral deles.

 

Como que trazendo a censura de volta, a nova versão do Marco Civil da Internet, em discussão na Câmara dos Deputados, prevê que todo conteúdo publicado na rede que envolva questões de direitos autorais seja tirado do ar após uma simples notificação e sem a necessidade de decisão judicial.


Crítica:

 

O governo Dilma estimula a compra de carros particulares, já que reduz impostos como o IPI e facilita o financiamento, porem uma bicicleta de passeio com roda aro 26 e câmbio de 21 marchas, vendida a R$ 600 no Brasil, poderia custar menos de R$ 360 se não fosse o peso dos impostos e, como alternativa para resolver o problema da mobilidade nas grandes cidades, os defensores das bicicletas estão defendendo a redução da carga de impostos que é de 40,5%.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br


Conheça e indique nosso Blog http://relatoriobrasil.blogspot.com

Conheça e indique minha página no Facebook http://facebook.com/Alfredosequeirafilho


Nenhum comentário:

Postar um comentário