R.B. 19/ABR/13 ‘’A ousadia de denunciar anonimamente’’


R.B.

"A ousadia de denunciar anonimamente"

 

São Paulo, 19 de abril de 2013 (SEXTA-FEIRA).


Mercados:

 

HOJE

-    A BOVESPA pode seguir em alta, dando sequencia o movimento de ''caça de barganhas'' que se justifica diante da forte baixa acumulada pela bolsa brasileira no ano (-12,8%) e também diante da redução das ''apostas'' de elevação da taxa de juros.

-    O DÓLAR deve cair, em um ''ajuste técnico'', interno e externo, após as recentes altas que internamente ocorreram devido ao aumento menor que o esperado da Selic e externamente ocorreram devido aos sinais de incertezas econômicas nos países do ''primeiro mundo''.

 

ONTEM

-    BOVESPA 0,5%, abriu em queda, para na mínima recuar –0,7%, porem passou a subir na parte da tarde, mesmo com as perdas das bolsas de NY, em um movimento de ''caça de barganhas'', principalmente nas ações da Petrobrás (3,8%).

-    DÓLAR 0,6% à R$ 2,01, já abriu em alta e manteve a trajetória ascendente ao longo de todo pregão, seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana e influenciado pela avaliação do ''mercado'' de que a elevação da Selic foi ''muito suave''.

-    Na ÁSIA, novamente sem uma tendência única, CHINA 0,2%, em um movimento de recuperação técnica, porem JAPÃO –1,2% e CORÉIA –1,2%, prejudicadas pelos temores com o crescimento global e o recuo dos preços das commodities, depois que dados recentes da China e dos Estados Unidos vieram abaixo das expectativas do mercado e levaram a um amplo movimento de venda de ações nesta semana.

-    Na EUROPA, devolvendo os ganhos acumulados na abertura, INGLATERRA –0,1%, FRANÇA –0,1% e ALEMANHA –0,4%, já que a tentativa de recuperação de perdas recentes não se sustentou após a divulgação de mais dados corporativos e econômicos fracos na região e nos EUA.

-    Nos EUA, também não sustentando a valorização inicial, para fecharem em queda pelo segundo pregão consecutivo, S&P –0,7%, DJ –0,6% e NASDAQ –1,2%, pressionadas por balanços fracos, como o da Verizon Communications e o do Morgan Stanley, e por dados decepcionantes da economia do país, como o aumento acima do esperado dos pedidos de auxílio-desemprego.


Economia:

 

Como a taxa básica de juros subiu ''apenas'' 0,25%, ontem os DIs futuros, que projetavam 0,5%, fecharam o pregão com uma das maiores quedas diárias dos últimos anos, com isto certamente a alta de ''apenas'' 0,25% da taxa básica de juros causou prejuízos aos ''investidores'' que apostavam em uma elevação maior.

 

A elevação de ''apenas'' 0,25% da Selic também desagradou o ''mercado'', que logo afirmou que a ''dose'' do Copom nos juros básicos deveria ser mais intensa para combater a inflação, com isto teve até quem teve ''a ousadia de denunciar anonimamente'' que o BC não é independente.

 

Como que ''ensaiado'', Nelson Barbosa, o Ministro interino da Fazenda na ausência de Mantega, ''comemorou'' a alta de ''apenas'' 0,25% da taxa básica de juros, dizendo que a Selic em 7,5% não vai prejudicar os investimentos e a aceleração do crescimento econômico brasileiro.

 

Respondendo à aqueles que tem ''a Ousadia de denunciar anonimamente'' que o BC agiu politicamente ao elevar Selic em ''apenas'' 0,25%, Gilberto Carvalho, o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, afirmou ontem que "alguns setores" inventam uma "propaganda" sobre a inflação.

 

Corroborando com a tese do Copom de que um aumento muito forte da Selic poderia prejudicar a recuperação da economia, apesar de o índice de produção industrial ter crescido de 46,1pts em FEV/13 para 52,9pts em MAR/13, o resultado foi o menor para o mês de março desde o início da série mensal, em 2010.

 

Quiçá já se antecipando à elevação da taxa básica de juros, em MAR/13 o número de empresas e de consumidores que procuraram por crédito cresceu respectivamente 7,7% 8,9%, ambos na comparação com FEV/13.

 

Mostrando que, sob o efeito do inicio da safra e da desoneração de tributos anunciada pelo governo, a inflação dos alimentos finalmente está perdendo ''força'', o preço médio da cesta básica caiu -0,22% em SP na última semana, retornando à trajetória de queda.

 

Ajudando a facilitar a vida da população e a aumentar os lucros das teles, ontem Paulo Bernardo, ministro das Comunicações, ''avisou'' que está pronto o projeto de lei que irá regulamentar os pagamentos eletrônicos por meio de telefones celulares.

 

-    A Gol subiu 10,7%, após o Distrito Federal ter reduzido a alíquota de ICMS sobre combustível de aviação, de 25% para 12%.


Política:

 

''Mostrando serviço'' enquanto o chefe passeia, Nelson Barbosa, ministro interino da Fazenda, afirmou ontem que a pasta de Mantega pretende enviar neste ano para o Congresso o projeto de reforma do PIS e da Cofins, para que um novo regime de tributação entre em vigor em 2014.

 

Fazendo algo muito importante para o trabalhador e para a iniciativa privada, ontem foi aprovado em uma Comissão Especial da Câmara uma medida provisória que prevê a isenção de Imposto de Renda sobre a Participação nos Lucros e Resultados de até R$ 6.000.

 

Perdendo mais uma ótima oportunidade para ficar calado, ontem Edison Lobão, o ministro de Minas e Energia, afirmou que, apesar de não ser um órgão de socorro, a Petrobrás pode associar-se ao grupo do empresário Eike Batista, do grupo EBX, se for de seu interesse.

 

Confirmando que a candidatura de Eduardo Campos, do PSB, pode nas eleições presidenciais de 2014 tirar mais apoio e votos do tucano Aécio Neves do que da petista Dilma, ontem Roberto Magalhães, ex-governador de Pernambuco e presidente do DEM no Nordeste, aproveitou uma visita de cortesia ao prefeito do Recife para anunciar seu apoio à candidatura do atual governador de Pernambuco.

 

Confirmando pela ''enésima vez'' a desunião no PSDB, José Aníbal, Bruno Covas, e Julio Semeghini, secretários do governador Alckmin, se uniram para derrotar o vereador Andrea Matarazzo, aliado de Serra, na eleição para a presidência do diretório do PSDB da capital paulista.


Crítica:

 

Enquanto nos EUA os detetives da CIA se esforçam para, usando tecnologia, encontrar os responsáveis pelo insano ataque terrorista em Boston, na Venezuela a ''justiça eleitoral'' do país, colocando a culpa na tecnologia, alega que não é possível fazer a recontagem dos votos que reelegeram o sucessor da Chávez para novo ditador do país, já que as urnas são eletrônicas.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br


Conheça e indique nosso Blog http://relatoriobrasil.blogspot.com

Conheça e indique minha página no Facebook http://facebook.com/Alfredosequeirafilho


Nenhum comentário:

Postar um comentário