R.B. 19/FEV/13 ‘’As pedras do caminho’’


R.B.

"As pedras do caminho"

 

São Paulo, 19 de fevereiro de 2013 (TERÇA-FEIRA).


Mercados:

 

HOJE

-    A BOVESPA pode subir, acompanhando a melhora do ''humor'' nas demais bolsas mundiais, que nos últimos 12 meses apresentam um desempenho bem melhor que o da bolsa brasileira, e ''aliviadas'' com novos sinais de recuo da inflação, que por sua vez deve reduzir os ''temores'' de elevação da taxa básica de juros.

-    O DÓLAR deve cair, ao menos no curto prazo mantendo os R$ 1,95 como ''suporte'', já que, apesar das ''bravatas'' de Mantega, ao que tudo indica voltou a predominar no mercado a percepção de que um real mais valorizado interessa ao BC como forma de conter a inflação.

 

ONTEM

-    BOVESPA –0,5% (aos 57.563pts), já abriu em queda e, pressionada pelo forte recuo nas ações da OGX (-4,3%) e da MPX (-1,6%), manteve a trajetória descendente ao longo de todo pregão, com baixo volume de negócios (R$ 7,0bi) para um dia de vencimento de opções.

-    DÓLAR –0,1% à R$ 1,96, abriu ''de lado'' e, também com baixo volume de negócios e pouca volatilidade devido ao feriado nos EUA, manteve a trajetória indefinida ao longo de todo pregão, com os investidores acompanhando de perto os dados sobre a inflação no país.

-    Na ÁSIA, sem uma tendência única, JAPÃO 2,1%, próximas das máximas de 4 anos, ''comemorando'' o fato de que o governo local evitou críticas diretas de seus pares do G-20 sobre seus agressivos planos econômicos que enfraqueceram o iene (que é a moeda local), CHINA –0,5%, em baixa na primeira sessão após o feriado do Ano Novo Lunar, diante da falta de um novo catalisador que influencie positivamente os investidores e CORÉIA 0,1%, com os robustos ganhos em telecomunicações compensados por perdas em ações de varejo.

-    Na EUROPA, sem uma tendência única, INGLATERRA –0,2%, FRANÇA 0,2% e ALEMANHA 0,4%, com os investidores repercutindo o noticiário econômico pouco otimista da região e o desfecho do inócuo encontro do G-20, no último final de semana.

-    Nos EUA, S&P, DJ e NASDAQ não operaram hoje devido ao feriado do Dia do Presidente.


Economia:

 

Com o objetivo de influenciar nas expectativas de mercado, tentando afastar percepções de interferência sobre a condução da política econômica, Dilma orientou a equipe econômica, especialmente Mantega, a deixar claro que o BC tem total autonomia para decidir subir os juros quando considerar necessário.

 

Influenciado pelos recentes sinais de recuo da inflação, o ''mercado'', pela primeira vez após 7 semanas consecutivas de alta, reduziu suas ''apostas'' para o IPCA deste ano, desta vez de 5,71% para 5,65%, porem também diminuiu suas projeções para o crescimento do PIB de 2013, desta vez de 3,09% para 3,08%.

 

Sem apontar ''as pedras do caminho'', que certamente aparecerão, segundo uma pesquisa da consultoria PricewaterhouseCoopers, até 2050 a economia brasileira será a quarta maior do mundo, ficando atrás apenas de China, EUA e Índia.

 

Ajudando a engordar as margens de lucro do setor, com a desculpa de ampliar acesso a banda larga no país, o Ministério das Comunicações publicou um decreto que prevê a desoneração de investimentos em infraestrutura e redes de banda larga em todo país.

 

Mostrando otimismo com a economia brasileira, ontem o Santander Brasil lançou novos pacotes de serviços combinados para pessoa física, programa no qual espera ter um milhão de novas contas correntes em 2013.

 

Segundo um levantamento feito pela associação de corretores, em DEZ/12 as ações judiciais referentes ao não pagamento de alugueis em SP caíram -16,6% na comparação com NOV/12 e, mostrando que esta queda se manter, o indicador do Serasa usado para antever com 6 meses de antecedência a trajetória dos níveis de atraso de pagamentos aponta para normalização dos níveis de inadimplência em 2013.

 

Com um faturamento 14,7% maior que em JAN/12, em JAN/13 as receitas das exportações do agronegócio brasileiro atingiram no mês passado US$ 6,58bi, valor recorde para o mês de janeiro na série histórica elaborada pelo Ministério da Agricultura.

 

Confirmando mais uma vez que foi uma ''grande roubada'' fazer um acordo para construir uma refinaria em conjunto com a Venezuela, após 7 anos ''enrolando'', estatal venezuelana PDVSA propôs à Petrobras entregar petróleo cru, em vez de dinheiro, como pagamento por sua participação na refinaria Abreu e Lima.

 

Dando mais um sinal de controle da inflação, o IPC registrou alta de 0,83% na segunda quadrissemana de FEV/13, patamar abaixo do apurado na primeira leitura do mês (1,01%), inferior a segunda medição de JAN/13 (0,96%) e também aquém da média das ''apostas do mercado'' (0,85%).

 

A Avon viu sua receita encolher 5% no ano passado, para US$ 10,72bi, e assim perdeu a liderança do setor de vendas diretas para sua concorrente Amway, que se tornou a maior ao crescer 3,7% no mesmo período, para US$ 11,3bi.

 

-    A MPX caiu -1,6%, diante de ''rumores'' de que Eike Batista, dono da empresa de energia, teria colocado seu controle à venda.

-    A JBS subiu 2,0%, após o Cade anunciar que deve avaliar nos próximos dias o crescimento, por meio de aquisições, do frigorífico e seus impactos nos preços pagos aos pecuaristas e cobrados dos consumidores pela carne bovina.


Política:

 

Mostrando, pela enésima vez, um enorme desrespeito aos eleitores, ontem, no primeiro dia após o ''feriadão'' de Carnaval, tanto o Senado como a Câmara Federal estavam com seus plenários praticamente vazios e nenhuma votação ou projeto foram discutidos.

 

Após um trabalho intenso de Ideli Salvatti, a ministra das Relações Institucionais, o governo finalmente obteve um consenso dos líderes de sua base aliada no Congresso Nacional para que a votação do Orçamento deste ano aguarde uma manifestação do Supremo Tribunal Federal sobre a forma de análise de mais de 3 mil vetos presidenciais pelo Parlamento.

 

Ajudando a desunir ainda mais os tucanos, o deputado federal Sérgio Guerra, presidente nacional do PSDB, defendeu na noite de ontem a realização de prévias neste ano para a escolha do candidato do partido à Presidência da República, em 2014.

Crítica:

 

Apesar de ainda não ter uma adesão obrigatória, já que ficará a critério de cada escola incluir ou não a matéria na sua grade de ensino, já foi muito positiva a noticia de que a educação financeira fará parte do currículo do ensino fundamental das escolas públicas em, no máximo, 3 anos.


PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br


Conheça e indique nosso Blog http://relatoriobrasil.blogspot.com

Conheça e indique minha página no Facebook http://facebook.com/Alfredosequeirafilho


Nenhum comentário:

Postar um comentário