R.B. 6/SET/11 ''Menos pessimista''


R.B.

"Menos pessimista"

 

São Paulo, 6 de setembro de 2011 (TERÇA-FEIRA).


Mercados:

 

HOJE

-    A BOVESPA pode subir, em um movimento de recuperação após 2 pregões consecutivos de fortes perdas, influenciada pela melhora do ''humor'' nas demais bolsas mundiais e pela manutenção das boas perspectivas para a economia brasileira.

-    O DÓLAR deve seguir, retornando à sua ''trajetória natural'' após 4 pregões consecutivos de alta, seguindo a manutenção do ''crescente e constante'' fluxo positivo de recursos externos oriundos de exportações, captações e ''investimentos''.

 

ONTEM

-    BOVESPA -2,7%, já abriu em queda e, acompanhando o ''humor'' negativo das bolsas da Europa, manteve a trajetória descendente ao longo de todo pregão, com baixo volume de negócios (R$ 3,3bi) e também prejudicada pelo recuo das commodities.

-    DÓLAR 0,9% à R$ 1,65, já abriu em alta e, também seguindo o ''humor negativo'' das demais bolsas mundiais, manteve a trajetória ascendente ao longo de toda a sessão, para fechar em alta pelo quarto pregão consecutivo e também no maior patamar desde 29/MAR/11.

-    Na ÁSIA, seguindo as perdas das bolsas de NY na ultima sexta-feira, JAPÃO -1,9%, com destaques de queda para as ações das montadoras, como Honda (-4,7%) e Nissan (-3,7%), CHINA –2,0%, no pior patamar em quase 14 meses, com os investidores preocupados com os balanços corporativos a serem divulgados esta semana e o impacto das novas medidas de aperto monetário na liquidez do mercado e CORÉIA –4,4%, pressionada por ações de refinarias, de montadoras e de estaleiros.

-    Na EUROPA, com baixos volumes de negócios, devido ao feriado em NY, porem pressionadas pelos ''temores'' de rebaixamento da ''nota'' da Itália, diante das fracas previsões macroeconômicas e para o orçamento, além de incertezas sobre a capacidade do país de conseguir financiamento no mercado, INGLATERRA –3,6%, FRANÇA –4,7% e ALEMANHA –5,3%, novamente com destaques de queda para as ações de bancos, como Royal Bank of Scotland (-12,0%), Société Générale (-8,6%), Barclays (-6,7%) e HSBC Holdings (-3,8%).

-    Nos EUA, S&P, DJ e NASDAQ não operaram devido à feriado local.


Economia:
 
Ainda ajudando a justificar a redução da Selic na reunião do Copom da semana passada, Mantega, ministro da Fazenda, afirmou, durante uma reunião com Dilma, que é ''preocupante" o cenário econômico internacional, citando inclusive declarações de Christine Lagarde, diretora-gerente do FMI, sobre a iminência de uma recessão global, porem reiterou que o Brasil está preparado para enfrentar a crise, destacando as reservas internacionais e o depósito compulsório dos bancos no BC brasileiro.
 
''Menos pessimista'' que o FMI, Jean-Claude Trichet, presidente do BC Europeu, afirmou que (1) as exigências de capital de bancos europeus devem ficar bem abaixo de 200bi de euros e (2) um comitê da União Européia e do FMI deu ao governo da Grécia mais tempo para tomar as decisões necessárias para manter em curso o programa de ajuda oferecido ao país pelas duas instituições.
 
Visivelmente ''contrariado'' com a decisão do Copom de reduzir a selic em –0,5% na reunião da semana passada, o ''mercado'' elevou, desta vez de 6,31% para 6,38%, suas ''apostas'' para o IPCA deste ano e reduziu, desta vez de 3,79% para 3,67%, suas previsões para o PIB deste ano.
 
Dando novos sinais positivos da economia interna, (1) nos 8 primeiros meses deste ano a atividade do comércio em todo o país registrou expansão de 9,5% na comparação com o mesmo período de 2010, com destaque positivo para o setor de material de construção, que apresentou uma expansão de 11,8% na mesma base de comparação, (2) a abertura de filiais de empresas de outros Estados no RJ cresceu 16% no primeiro semestre deste ano, na comparação com igual período de 2010 e (3) em JUL/11 o volume de financiamentos de veículos foi 14,6% maior que em JUL/10.

Política:
 
100% alinhado com as pretensões do governo Dilma, Sérgio Cabral, o governador do RJ, criticou o fim da CPMF e a falta de recursos para a Saúde, isto estrategicamente antes de se reunir com Mantega no Ministério da Fazenda.
 
O Judiciário, que abriu um conflito com o Executivo ao reivindicar recursos para um aumento salarial no próximo ano, foi o Poder que mais ampliou seu quadro de funcionários e os gastos com pessoal nos últimos anos.
 
Graças ao governador de Pernambuco, Eduardo Campos, a campanha da mãe dele, a deputada Ana Arraes, para a vaga de ministro do Tribunal de Contas da União vem ganhando adesões de peso no governo e na oposição, ainda que por motivos diferentes.
 
-    O PT negocia o apoio do PSD, novo partido de Kassab, o prefeito de SP, em pelo menos três capitais do país para a eleição de 2012.

Crítica:
 
Como fruto da falta de investimentos do Brasil em educação, 95% do estudantes de tecnologia da informação já estão empregados e, embora o setor empregue 1,2 milhão de pessoas, pesquisas apontam um déficit de mais de 90 mil profissionais na área e, mantendo-se o quadro atual, em 2013 este número chegará a 200 mil vagas em aberto.
 
Enquanto os italianos saem às ruas para defender a manutenção das mamatas e das mordomias que o governo dá à sua população, segundo a ONU a fome que avança pela Somália já afeta mais da metade da população do país e pode matar até 750 mil somalis nos próximos quatro meses.

PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br

Conheça e indique nosso novo Blog ( http://relatoriobrasil.blogspot.com )

Nenhum comentário:

Postar um comentário