R.B. 26/SET/11 "Caras novas"


R.B.

"Caras novas"

 

São Paulo, 26 de setembro de 2011 (SEGUNDA-FEIRA).


Mercados:

 

HOJE

-    A BOVESPA pode subir, tentando uma recuperação após recuar -6,9% na semana passada, acompanhando a melhora do ''humor'' nas demais bolsas mundiais e a valorização dos preços das commodities.

-    O DÓLAR deve cair, devolvendo uma parte da forte valorização acumulada na semana passada (5,5%), influenciado pelas declarações da equipe econômica de que está atenta aos efeitos inflacionários da desvalorização do real.

 

SEXTA-FEIRA

-    BOVESPA -0,1%, abriu em queda, para na mínima recuar -0,8% e, em mais um pregão marcado pela volatilidade, na máxima chegou a avançar máxima avançar 0,9%, porem voltou a cair no final da sessão, já que investidores e analistas permaneceram pessimistas a respeito dos desdobramentos da crise européia.

-    DÓLAR -3,5% à R$ 1,84, já abriu em queda e, influenciado pelos leilões de venda do BC e pelas declarações de Mantega, que afirmou que as medidas para conter a valorização do real podem ser retiradas, manteve a trajetória descendente ao longo de todo pregão.

-    Na ÁSIA, ainda prejudicadas por temores de uma nova recessão no mundo desenvolvido, com a promessa de estabilidade financeira do G20 falhando em impressionar os investidores, JAPÃO -2,0%, CORÉIA -5,7% e CHINA -0,4%, prejudicadas pela forte queda dos preços dos metais.

-    Na EUROPA, revertendo uma abertura negativa, para recuperarem uma pequena parte das perdas acumuladas na semana, INGLATERRA 0,5%, FRANÇA 1,0% e ALEMANHA 0,6%, com destaques de alta para as ações dos bancos, como BNP Paribas (11,0%)e  Société Générale (6,9%), amparados por esperanças de mais medidas do BC Europeu para aliviar a crise de dívida da região. Os bancos franceses tiveram uma forte recuperação.

-    Nos EUA, também revertendo uma abertura negativa, S&P 0,6%, DJ 0,3% e NASDAQ 1,1%, após o G20, que é o grupo formado pelos países mais ricos do mundo, prometer uma resposta "forte e coordenada" à crise econômica mundial e às turbulências dos mercados.


Economia:
 
Prestes a embarcar para o Brasil após passar alguns dias dando ''lições de economia aos países do primeiro mundo'' nos EUA, Mantega, ministro da Fazenda, afirmou que "não há necessidade" de o país tomar novas medidas contra as turbulências econômicas.
 
Atento aos inevitáveis efeitos inflacionários decorrentes da rente valorização do dólar frente ao real, Tombini, presidente do BC, afirmou que vai esperar o mercado de câmbio se estabilizar para avaliar melhor o impacto do real fraco na inflação, ressaltando que, embora a alta do dólar eleve a competitividade do produto nacional, variações muito fortes da moeda não beneficiam as empresas brasileiras.
 
Elevando o montante total acumulado nos 8 primeiros meses do ano para US$ 44,1bi, cifra bem superior ao de igual período de 2010 (US$ 17,1bi), o Brasil recebeu em AGO/11 US$ 5,6bi em investimentos estrangeiros diretos, já descontadas repatriações de capital aos países de origem.
 
Confirmando mais uma vez que o Copom estava correto ao reduzir a selic em -0,5% para estimular a economia interna, em JUL/11 as vendas do comércio varejista da região metropolitana de SP recuaram -1,1% na comparação ao mesmo mês do ano passado.
 
Indicando que o patamar é interessante para investimentos de longo prazo, com o Ibovespa acumulando uma desvalorização de -23,1% neste ano, segundo um levantamento da consultoria Economática as empresas brasileiras com ações na Bolsa de Valores perderam cerca de US$ -378bi, em termos de valor de mercado, desde o final do ano passado.
 
Prejudicado principalmente pelos embargos da Rússia e também pela valorização do real, por uma margem de 1,7% o Brasil perdeu, no primeiro semestre deste ano, o posto de líder mundial nas exportações de carne bovina para os EUA.
 
-    Abaixo do resultado anterior (0,25%) e dentro do esperado (0,22%), o IPC apresentou variação de 0,22% na terceira quadrissemana de SET/11.

Política:
 
Mostrando que a justiça brasileira serve à Collor da mesma forma como serve à Sarney,  Arnaldo Versiani, ministro do Tribunal Superior Eleitoral, rejeitou pedido para que o senador alagoano fosse impedido de disputar eleições, por causa de irregularidades ocorridas na campanha de 2010, quando o referido ex-presidente usou indevidamente o jornal "Gazeta de Alagoas", que lhe pertence, para fraudar uma pesquisa eleitoral.
 
Para reforçar sua escolha, os defensores da candidatura do ministro Fernando Haddad à Prefeitura de SP tem ressaltando que Dilma jamais havia disputado uma eleição, tinha perfil técnico e quase nenhuma ligação com as bases do PT quando foi escolhida por Lula para disputar a presidência do Brasil.
 
Disposta a unir a base aliada, Ideli Salvatti, a ministra das Relações Institucionais, admite que o governo ainda quer a criação de um imposto para financiar investimentos em saúde no País e arrecadar mais R$ 45bi por ano.
 
Indicando que a disputa pela prefeitura de SP pode ser uma corrida de ''caras novas'', Alckmin, governador de SP, rasgou inúmeros elogios ao tucano Bruno Covas, que é seu secretário de Meio Ambiente e esteve com o governador no lançamento de um programa que irá custear ligações de esgoto para até 800 mil pessoas de baixa renda.

Crítica:
 
Mostrando que defende os interesses privados e não públicos, Marcelo Guaranys, diretor-presidente da Agência Nacional de Aviação Civil, afirmou que São Paulo não precisa de um terceiro aeroporto, ressaltando que a demanda dos próximos 20 anos será coberta por Guarulhos e Viracopos e que a Copa do Mundo de Futebol será como no Natal, quando o aeroporto fica mais cheio, mas todo mundo chega ao seu destino tranquilamente, o que também indica que o referido servidor publico não deve andar de avião nesta época do ano.
 
Com a ''desculpa esfarrapada'' de que a carga tributária no Brasil já é muito elevada, ''especialistas'' acreditam que os novos impostos sobre os cidadãos mais ricos, já anunciados na França e na Espanha, apoiados por alguns grandes milionários, como Warren Buffett nos EUA e Liliane Bettencourt na França, não devem ser aprovados no Brasil.

PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br

Conheça e indique nosso novo Blog ( http://relatoriobrasil.blogspot.com )

Nenhum comentário:

Postar um comentário