R.B. 9/MAI/11 ‘’Acordo de bons amigos’’


R.B.

"Acordo de bons amigos"

 

São Paulo, 9 de maio de 2011 (SEGUNDA-FEIRA).


Mercados:

 

HOJE

-    A BOVESPA deve subir, ainda tentando recuperar as perdas acumuladas no mês (-2,6%) e no ano (-7,1%), impulsionada principalmente pelas ações de bancos, de empresas ligadas ao consumo doméstico e da construção civil, principalmente se as expectativas de uma inflação um pouco menor se confirmarem e se o mercado externo se acalmar.

-    O DÓLAR pode cair, dando sequencia ao ''ajuste técnico'' iniciado no pregão de sexta-feira, com 'boas chances'' de voltar a ser negociado abaixo dos R$ 1,60, principalmente diante do elevado patamar da taxa real de juros da economia brasileira (cerca de 6,2%).

 

SEXTA-FEIRA

-    BOVESPA 1,6%, já abriu em alta e, finalmente recuperando-se após 4 pregões consecutivos de queda, manteve a trajetória ascendente ao longo de todo pregão, ''comemorando'' a geração de empregos mais robusta nos EUA e a inflação (IPCA) mais baixa no Brasil.

-    DÓLAR –0,5% à R$ 1,61, já abriu em queda e, também se ajustando aposta 4 pregões consecutivos de alta, manteve a trajetória descendente ao longo de todo pregão, acompanhando a melhora do ''humor'' na Bovespa, o fluxo positivo de recursos externos e o avanço das cotações das commodities.

-    Na ÁSIA, seguindo as perdas das bolsas de NY no dia anterior e também prejudicadas pelo recuo das commodities, JAPÃO -1,5%, com destaques de queda para exportadoras do setor automobilístico, como Honda (-4,2%) e Toyota (-2,4%), diante da valorização do iene frente ao dólar, CHINA –1,6%, pressionada pelo recuo das ações de empresas de carvão e de metais e CORÉIA -1,5%, com destaque de queda para as ações da Samsung Heavy Industries (-5,4%).

-    Na EUROPA,em um movimento de recuperação após 3 dias consecutivos de baixa, INGLATERRA 1,0%, FRANÇA 1,3% e ALEMANHA 1,6%, impulsionadas pela alta das ações dos bancos, como Commerzbank (1,7%), UBS (1,6%) e Credit Agricole (2,2%), e pelos dados melhores do que o esperado das economias dos EUA e da Alemanha, aonde a produção industrial cresceu acima das projeções.

-    Nos EUA, recuperando parte das perdas dos 4 pregões consecutivos de baixa, S&P 0,4%, DJ 0,4% e NASDAQ 0,5%, impulsionada por dados que mostraram que a economia local criou 244 mil empregos em ABR/11, o maior aumento do número de postos de trabalho em quase 1 ano.


Economia:
 
Ainda se recuperando da pneumonia, Dilma, que voltou a trabalhar cedo na sexta-feira, convocou alguns assessores logo cedo para afinar o discurso e tentar evitar visões "pessimistas" e "alarmistas" sobre a notícia de que em ABR/11 o IPCA acumulado dos últimos 12 meses ficou em 6,51%, batendo o teto da meta de inflação.

 

A pior crise financeira nos últimos 70 anos eclodiu nos países ricos, porem agora esses governos cobram, justamente das economias em desenvolvimento, um abandono das políticas de estímulo ao crescimento, elevação de taxas de juros e cortes de gastos, tudo isto para permitir que os países ricos, que patinam para sair da crise, evitem a "importação da inflação" e possam apresentar crescimento sustentável.

 

''Acalmando o mercado'', o IPCA de ABR/11 ficou em 0,77%, ante 0,79% em MAR/11 e 0,82% da mediana das ''apostas'', acumulando com isto uma alta de 6,51% nos últimos 12 meses, patamar acima do ''teto'' da meta do BC (6,5%) para este ano.

 

Para fazer frente a Ambev, que inclusive já comprou a sua maior concorrente nos EUA (a Anheuser-Busch), a Heineken, terceira maior cervejaria do mundo em termos de volume, estuda fazer uma oferta para a compra da Schincariol, a segunda maior cervejaria do Brasil.

 

Ajudando no controle da inflação, diante do avanço da safra e a consequente oferta maior de álcool, o preço do produto despencou nas usinas paulistas na semana passada, porem essa redução ainda não chegou ao bolso do consumidor, já que os postos não repassaram esta redução.

 

Indicando mais uma vez como são ''mui hermanos'', o governo da presidente Cristina Kirchner, da Argentina, aplica uma saraivada de medidas protecionistas que restringem ou atrasam a entrada de produtos brasileiros no mercado argentino.

 

Mostrando a força do agronegócio brasileiro, a Agrishow, a maior Feira Internacional de Tecnologia Agrícola em Ação da América Latina que ocorreu em Ribeirão preto, recebeu mais de 146 mil visitantes e movimentou pelo menos R$ 1bi em negócios nos 5 dias do evento.

 

-    A Ambev subiu 1,4%, após a agência de classificação de risco de crédito Fitch Ratings elevar sua ''nota'' para a empresa para um patamar acima do patamar atribuído ao Brasil, elogiando o compromisso continuado da empresa com uma forte estrutura de capital e o panorama favorável para o seu crescimento no Brasil.

-    A Tim disparou 7,8%, após anunciar que deve trocar suas ações preferenciais por ordinárias, o que foi saudado por investidores, já que essa troca tende a melhorar a liquidez dos papéis da empresa.

-    A Lojas Americanas disparou 9,4%, após anunciar que no primeiro trimestre deste ano seu lucro líquido foi 28,1% maior que no mesmo período de 2010.


Política:
 
Em um ''acordo de bons amigos'' entre governo e oposição, os rombos que o ano eleitoral de 2010 deixou nas contas do PT e do PSDB serão integralmente cobertos por recursos públicos em 2011, graças à manobra do Congresso que, em JAN/11, elevou em R$ 100 milhões os repasses da União para o Fundo Partidário.
 
Após perder, em poucos meses, 1 governador, 17 deputados federais, 1 vice-governador, o prefeito da principal capital do país e 2 senadores, o DEM prepara uma guinada à direita para tentar fisgar o eleitorado conservador e estancar a sangria causada pela criação do PSD.
 
Apesar de se declarar oficialmente ''neutro e independente'', o PSD do prefeito Kassab nasce com claro viés pró-governo, já que das 23 unidades da federação onde está formado, em 12 o comando é de aliados da presidenta petista.
 
Diante de mais um impasse entre os aliados de Serra e os aliados de Alckmin, o PSDB adiou para a próxima quinta-feira a eleição do novo diretório estadual do partido em SP.

Crítica:
 
Mostrando porque os jovens brasileiros se interessam cada vez menos pela educação formal, segundo uma pesquisa recente feita com 5.505 docentes, mais da metade deles (53%) admitiu ter dificuldades em lidar com tecnologia na escola por várias razões.
 
Indicando que o crime pode compensar, segundo uma pesquisa recente divulgada pelo Ministério da Justiça, dos cerca de 50 mil homicídios ocorridos no Brasil todos os anos, apenas quatro mil crimes (8%) têm o autor (ou os autores) descoberto e preso.

PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br

Conheça e indique nosso novo Blog ( http://relatoriobrasil.blogspot.com )

Nenhum comentário:

Postar um comentário