R.B. 27/MAI/11 ''Muito cacique e pouco índio''


R.B.

"Muito cacique e pouco índio"

 

São Paulo, 27 de maio de 2011 (SEXTA-FEIRA).


Mercados:

 

HOJE

-    A BOVESPA deve seguir em alta, para fechar em território positivo pelo quarto pregão consecutivo, ainda acompanhando a melhora do ''humor'' nas demais bolsas mundiais e beneficiada por boas noticias da economia brasileira, que apresenta sinais de queda da inflação e manutenção do crescimento.

-    O DÓLAR pode voltar a cair, com ''boas chances'' de testar o ''suporte'' de R$ 1,60 até o final deste mês, influenciado pelas ''apostas'' de que na próxima reunião do Copom a Selic ainda subirá 0,25%, o que tornará ainda mais atraente para ''investimentos externos'' a taxa real de juros da economia brasileira (atualmente em cerca de 6,2%).

 

ONTEM

-    BOVESPA 1,1%, abriu ''de lado'', para na mínima recuar -0,2%, porem, com bom volume de negócios (R$ 6,9bi), passou a subir com consistência nas 2 ultimas horas do pregão, acompanhando a melhora do ''humor'' nas bolsas de NY e a valorização das commodities.

-    DÓLAR -0,7% à R$ 1,61, já abriu em queda e, mesmo com os leilões de compra do BC, manteve a trajetória descendente ao longo de todo pregão, ainda influenciado pelo forte fluxo positivo de recursos externos.

-    Na ÁSIA, ainda sem uma tendência única, JAPÃO 1,5%, impulsionada por boas noticias corporativas, como um plano de recompra de ações da Canon (5,8%) e os ganhos anunciados pela Softbank (3,3%), CHINA -0,2%, a sexta sessão seguida de queda, ainda prejudicada por preocupações sobre as perspectivas da economia doméstica e CORÉIA 2,8%, em um movimento de ''caça de barganhas'' após atingir o menor patamar em 2 meses.

-    Na EUROPA, com os investidores voltando a colocar em dúvida a capacidade da Grécia de lidar com seus problemas fiscais, INGLATERRA -0,1%, FRANÇA -0,3% e ALEMANHA -0,8%, também acompanhando o abertura negativa das bolsas de NY e com destaques de queda para ações de bancos, como Alpha (-4,6%) e UniCredit (-2,9%).

-    Nos EUA, revertendo uma abertura negativa, para fecharem em alta pelo segundo pregão consecutivo, S&P 0,4%, DJ 0,1% e NASDAQ 0,8%, com papéis de empresas ligadas a consumo liderando os ganhos após a divulgação de bons balanços positivos.


Economia:
 
Inspirado, como sempre, ontem Mantega, ministro da Fazenda, defendeu (1) a unificação de um regime cambial para todos os países, ressaltando que os desequilíbrios atuais são decorrentes de disparidade entre os regimes e (2) a criação de um sistema financeiro global com regras mais rígidas especialmente no que tange às regras de alavancagem das instituições financeiras, ressaltando que foi isto que levou à crise global de 2008/2009.
 
Apresentando mais um importante sinal positivo da economia interna, em ABR/11 a taxa de desemprego nas 6 maiores regiões metropolitanas do Brasil ficou em 6,4%, o que representa o menor patamar para um mês de abril desde ABR/02 e uma queda de -10,1% na comparação com ABR/10.
 
Indicando que as contas publicas seguem controladas, nos 4 primeiros meses de 2011, principalmente diante do aumento da arrecadação, as contas do chamado governo central (Tesouro Nacional, Previdência Social e BC) registraram resultado positivo de R$ 41,5bi, quase a metade da meta para todo o ano, que é de R$ 81,7bi, e quase o dobro da meta para o primeiro quadrimestre, que era de R$ 22,9bi.
 
Dando uma ótima noticia, ontem a Administração-Geral de Qualidade, Inspeção e Quarentena da China autorizou as unidades processadoras de carnes suínas da BRF Brasil Foods, da Marfrig e da Aurora a exportarem carne suína para o referido país asiático.
 
Pressionando a inflação, principalmente pela crescente falta de mão de obra qualificada, o Índice Nacional de Custo da Construção registrou uma alta de 2,03% em MAI/11 e com isto acumula uma elevação de 8,18% nos últimos 12 meses.

Política:
 
Como faltam apenas 7, das 27 assinaturas necessárias, para abrir um CPI no Senado contra Palocci, Dilma decidiu, também na tentativa de evitar o esfacelamento de sua base no Congresso, almoçar com os ''nobres senadores'' do PMDB.
 
Atacando para se defender, ontem, durante uma reunião com senadores petistas, Palocci lembrou que quando foram divulgados, durante a campanha presidencial, dados sigilosos da família de Serra, ninguém queria debater conteúdo dos dados sigilos, porem agora a oposição não se preocupa com isto e quer saber a todo custo quem são os seus clientes.
 
''Coincidentemente'' no momento em que o governo enfrenta a insatisfação de partidos da base aliada, houve crescimento de 53% na liberação dos "restos a pagar" de emendas propostas por parlamentares.
 
Como o PSDB é um partido com ''muito cacique e pouco índio'', FHC e Alckmin, às vésperas da convenção nacional dos tucanos, que ocorre neste sábado, tem a ''dura missão'' de negociar com Serra o espaço que lhe caberá no comando da legenda, já que existe uma enorme resistência do grupo de Aécio em ceder ao ex-governador de SP a presidência do Instituto Teotônio Vilela.

Crítica:
 
Após, pressionada pela bancada católica e evangélica, analisar pessoalmente o kit anti-homofobia do Ministério da Educação, Dilma vetou o seu uso e disse que o governo não fará propaganda de opções sexuais nem interferirá na vida privada das pessoas.
 
Exigindo dos outros aquilo que não faz ''em casa'', ontem a China ''avisou'' que prefere um processo amplo, transparente e democrático de seleção para a escolha do novo comandante do FMI.
PAZ, amor e bons negócios;

Alfredo Sequeira Filho


O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br

Conheça e indique nosso novo Blog ( http://relatoriobrasil.blogspot.com )

Nenhum comentário:

Postar um comentário