R.B. 14/JAN/11 ''Decidido a alçar vôos maiores''

--------------------------------------------------------------------------------
R.B.

"Decidido a alçar vôos maiores"

São Paulo, 14 de janeiro de 2011 (SEXTA-FEIRA).
--------------------------------------------------------------------------------
Mercados:

HOJE
- A BOVESPA pode subir, tentando uma recuperação após registrar no pregão anterior a maior queda percentual em 1 mês, influenciada pelos bons resultados corporativos de empresas norte-americanas e pela retomada da trajetória de valorização das commodities.
- O DÓLAR deve subir, após 3 pregões consecutivos de queda, influenciado pela decisão do BC de voltar a comprar dólares futuros através de swap cambial reverso, porem deve-se ressaltar que esta é mais uma medida paliativa que, diante do elevado patamar da taxa real de juros do Brasil, não reverterá a tendência de baixa da moeda norte-americana.

ONTEM
- BOVESPA -1,3%, abriu em alta, para na máxima avançar 0,4%, porem, prejudicada por uma série de indicadores frustrantes da economia norte-americana, passou a cair na parte da tarde, também em um movimento de realização de lucros recentes.
- DÓLAR -0,5% à R$ 1,67, abriu ''de lado'' e, mesmo com a piora do ''humor'' na Bovespa, o aumento do risco-Brasil (2,5%) e os leilões de compra do BC, passou a cair na parte da tarde, seguindo o fluxo positivo de recursos externos e influenciado pelo resultado positivo dos leilões de títulos soberanos europeus, que tem fortalecido o euro frente ao dólar.
- Na ÁSIA, sem uma tendência única, JAPÃO 0,7%, com as ações dos bancos registrando forte valorização pelo segundo dia seguido depois do bem-sucedido leilão de bônus da dívida de Portugal, CHINA 0,2%, sustentada pelas ações das petrolíferas, diante da elevação das cotações do petróleo e CORÉIA -0,3%, prejudicada pela decisão do BC local de aumentar os juros em 25 pontos-base.
- Na EUROPA, sem uma tendência única, INGLATERRA -0,4%, FRANÇA 0,7% e ALEMANHA 0,1%, divididas entre um movimento de realização de lucros e a boa recepção dos bônus oferecidos pela Espanha e pela Itália, que diminuiu ainda mais as preocupações com o endividamento dos países da zona do euro e favoreceu principalmente as ações do setor financeiro.
- Nos EUA, realizando lucros recentes, S&P -0,1%, DJ -0,2% e NASDAQ -0,1%, influenciadas negativamente pela forte queda nas ações da farmacêutica Merck (-6,6%), após a companhia ter suspendido um de seus mais importantes medicamentos experimentais, e pelo recuo nos preços das commodities, que afetaram os papéis de produtoras de matérias-primas.
--------------------------------------------------------------------------------
Economia:

O governo dos EUA classificou como ''onda protecionista'' as recentes medidas adotadas pelo Brasil, que após ver suas importações crescerem 40% em 2010 adotou uma série de barreiras contra em alguns setores, além de incentivar a produção local com regras de licitação pública favorecendo empresas nacionais, e alertou que o governo de Dilma terá de promover uma "mudança de atitude" se quiser fechar acordos comerciais.

Confirmando mais uma vez o bom desempenho da economia brasileira, em 2010, sempre na comparação com 2009, (1) o nível de emprego da indústria de SP aumentou 4,7%, o maior aumento da série histórica do indicador iniciada em JUL/05, (2) a demanda por transporte aéreo no Brasil avançou 23,47% no segmento doméstico e 20,38% nas rotas internacionais (3) o consumo de frango no Brasil aumentou 15,3% e (4) as vendas de computadores pessoais registraram um avanço de 13,6%.

Referendando as boas perspectivas para a bolsa brasileira em 2011, nos 11 primeiros dias de 2011 o saldo dos investimentos estrangeiros na Bovespa ficou positivo em R$ 2,3bi, quase a metade do superávit acumulado em todo ano de 2010 (R$ 5,9bi).

Influenciada pela elevação dos depósitos compulsórios promovida pelo BC e já antecipando uma elevação da Selic na próxima reunião do Copom, em DEZ/10 a taxa de juros média nas operações de crédito teve a segunda alta consecutiva e atingiu 6,79% ao mês, contra 6,74% em NOV/10.
--------------------------------------------------------------------------------
Política:

Graças a uma manobra coordenada por todos os líderes partidários, da base aliada e da oposição, a maior parte das dívidas das campanhas presidenciais de 2010 poderá ser "estatizada", posto que no final do ano passado foram elevaram em R$ 100 milhões a destinação de recursos públicos para o Fundo Partidário em 2011.

''Decidido a alçar vôos maiores'', caminhar com suas próprias pernas e ocupar o lugar deixado por Quércia, Kassab, prefeito de SP, ''avisou'' a aliados que definiu sua ida para o PMDB e deu início às negociações para ampliar a participação da sigla no governo e formar uma frente ampla de deputados e prefeitos no Estado.

No mesmo dia em que afirmou que apóia uma investigação ampla e irrestrita contra seu cunhado, acusado de fraudar a merenda escolar em Pindamonhangaba, Alckmin, governador de SP, mostrando que quer se aproximar dos trabalhadores, se reuniu com representantes de 7 entidades sindicais e ‘’prometeu’’ que o chamado salário mínimo paulista poderá ultrapassar de R$ 600 propostos por Serra durante a campanha presidencial.

Indicando que Dilma não cumprirá, ao menos este ano, sua promessa de ampliar os equipamentos de cultura e reforçar a indústria cultural, o orçamento destinado ao setor este ano deve recuar -7,2% na comparação com 2010.
--------------------------------------------------------------------------------
Crítica:

Indicando que, se estivessem na iniciativa privada, já deveriam estar demitidos, os ''nobres'' deputados federais da atual legislatura, iniciada em 2007, faltaram, em média, a 1 em cada 5 sessões deliberativas, que são aquelas que tem votações, na Câmara.
--------------------------------------------------------------------------------
PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho
--------------------------------------------------------------------------------
O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br
--------------------------------------------------------------------------------

Nenhum comentário:

Postar um comentário