R.B. 18/OUT/10 ''O PV mostrando maturidade e Marina comprovando sua dignidade''

--------------------------------------------------------------------------------
R.B.

"O PV mostrando maturidade e Marina comprovando sua dignidade"

São Paulo, 18 de outubro de 2010 (SEGUNDA-FEIRA).
--------------------------------------------------------------------------------
Mercados:

HOJE
- A BOVESPA deve subir, se aproximando aos poucos do maior patamar da história (73.516pts), com bom volume de negócios diante do vencimento de opções e acompanhando a provável melhora do ''humor'' nas demais bolsas mundiais.
- O DÓLAR pode cair, retornando à sua ''trajetória natural'' após o ajuste técnico de sexta-feira, diante do ''crescente e constante'' fluxo positivo de recursos externos oriundos de exportações, captações e cada vez mais ''investimentos''.

SEXTA-FEIRA
- BOVESPA 0,2%, abriu em alta, para na máxima avançar 0,5% e, apesar de na mínima chegar a recuar -0,5%, fechou o dia com um ganho somente ''modesto'', após um pregão com a agenda econômica bastante intensa e antes da semana na qual vence opções e o Copom decidirá sobre a taxa básica de juros do país.
- DÓLAR 0,2% à R$ 1,66, abriu em queda, para na mínima atingir R$ 1,65, porem passou a subir na parte da tarde, pressionado pelos leilões de compra do BC e em ''compasso de espera'' enquanto aguarda as novas medidas do governo para conter a valorização do real frente à moeda norte-americana.
- Na ÁSIA, sem uma tendência única, JAPÃO -0,8%, realizando lucros em ações e commodities antes do pronunciamento do presidente do Fed (''BC'' norte-americano) e CHINA 3,2%, na máxima em quase 6 meses, depois de romper uma resistência graças ao desempenho do setor bancário.
- Na EUROPA, também sem uma tendência única, INGLATERRA -0,4%, FRANÇA 0,2% e ALEMANHA 0,6%, com a queda da confiança do consumidor dos EUA, compensada pelas indicações do presidente do Fed (''BC'' norte-americano), de que mais estímulo está a caminho.
- Nos EUA, como nos outros mercados sem uma tendência única, S&P 0,2%, DJ -0,3% e NASDAQ 1,4%, já que o forte resultado trimestral do Google, cujas ações dispararam 11,2%, fez o Nasdaq subir enquanto incertezas envolvendo a exposição de importantes bancos a perdas com execuções de hipotecas pressionaram o DJ.
--------------------------------------------------------------------------------
Economia:

Já que, principalmente antes do um segundo turno de uma eleição presidencial, prudência e canja de galinha não fazem mal a ninguém, Mantega, ministro da Fazenda, afirmou que o governo não vai se precipitar na questão cambial e que está observando a movimentação dos mercados para ver se "há uma acalmada" na entrada de dólares.

Esta semana tem reunião do Copom e, apesar do aumento da pressão inflacionária, há um consenso bastante forte entre os analistas do setor financeiro de que a autoridade monetária não deve mexer na taxa básica de juros.

Como fruto do aumento da renda e da estabilidade da economia, o Brasil entrou na rota dos maiores fundos de hedge do mundo que, voltados a grandes investidores, como fundos de pensão e famílias endinheiradas, são verdadeiros condomínios de dinheiro que utilizam as técnicas mais avançadas da matemática e da análise microeconômica para conseguir rentabilidade acima da média dos mercados.

Mostrando mais uma vez a urgência de o Brasil diversificar ainda mais sua matriz energética, investido principalmente em usinas nucleares, segundo a Associação Brasileira das Empresas Geradoras de Energia Elétrica há 10 anos a água armazenada nos reservatórios das hidroelétricas brasileiras era suficiente para atender a 10 meses de geração de energia, porem atualmente, com o atual nível de demanda, essa capacidade garante suprimento para apenas 4 meses.

''Apostando'' no Brasil, principalmente para diversificar seus investimentos, a China, após dar o primeiro passo no setor elétrico brasileiro por meio da compra de 7 concessionárias de energia, quer agora investir nos setores de transmissão e geração.

Ajudando no controle da inflação, porem prejudicando a industria nacional, as importações já respondem por 1/5 de tudo que é consumido no País, já que, com a queda do dólar, o processo de substituição de matérias-primas e produtos acabados nacionais por estrangeiros, que vinha em um ritmo controlado, se acelerou nos últimos meses.

Diante da queda do dólar e do aumento da renda, o mercado de luxo, que faturou US$ 6,2bi no ano passado no Brasil (4% mais que em 2008), tem perspectiva de crescer quase 22% este ano, alcançando o recorde histórico de US$ 7,6bi.
--------------------------------------------------------------------------------
Política:

Com ''o PV mostrando maturidade e Marina comprovando sua dignidade'', diante de um segundo turno com 2 candidatos que representam a continuidade, foi decidido que os ''verdes'' ficarão oficialmente neutros nas eleições presidenciais.

Ontem, em mais um debate ''acalorado e tenso'', Dilma e Serra ''jogaram para a torcida'', sem apresentar propostas reais e ignorando temas importantes como política fiscal, administração das receitas, gastos públicos, de controle dos juros e da inflação e cambio.

Mostrando que finalmente aprendeu a fazer alianças, Serra encaçapou 2 bolas de uma só vez, já que conseguiu incorporar à sua propaganda eleitoral depoimentos de apoio da viúva de Chico Mendes e dos pastores Silas Malafaia e José Wellington Bezerra da Costa.
--------------------------------------------------------------------------------
Crítica:

Em mais um sinal de evolução da sociedade nipônica, as jovens japonesas, que já podiam esperar uma vida mais longa do que os homens da mesma geração, agora também estão ganhando mais do que eles.

Com a ''complacência e imobilidade'' do governo Federal, cerca de 150 integrantes do MST invadiram no final da manhã de sexta-feira passada a superintendência estadual do Banco do Brasil, que fica em Ribeirão Preto, com o objetivo de pressionar o banco a liberar recurso para a construção de moradias em um assentamento.
--------------------------------------------------------------------------------
PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho
--------------------------------------------------------------------------------
O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br
--------------------------------------------------------------------------------

Nenhum comentário:

Postar um comentário