R.B. 25/MAI/10 "Boneca do ventríloquo"

--------------------------------------------------------------------------------
R.B.

"Boneca do ventríloquo"

São Paulo, 25 de maio de 2010 (TERÇA-FEIRA).
--------------------------------------------------------------------------------
Mercados:

HOJE
- A BOVESPA pode seguir em queda, ainda esperando ''sinais claros'' de que as economias e os países da Europa sairão da crise, porem deve-se ressaltar que, abaixo dos 60.000pts, o patamar é muito atraente para investimentos.
- O DÓLAR deve voltar a subir, mesmo após avançar em 12 dos 16 primeiros dias úteis de MAI/10, acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana, porem deve-se ressaltar que a tendência ainda é de queda, principalmente diante das perspectivas de aumento do já elevado patamar da taxa real de juros da economia brasileira (atualmente cerca de 4,5%).

ONTEM
- BOVESPA -0,6%, abriu ''de lado'', para na máxima avançar 0,8%, porem, com baixo volume de negócios (R$ 4,6bi), passou a cair na ultima hora do pregão, acompanhando a nova piora do ''humor'' nas bolsas de NY.
- DÓLAR 0,2% à R$ 1,86, também após um pregão marcado pela forte volatilidade e baixo volume de negócios, que reflete as incertezas dos agentes financeiros sobre a crise na zona do euro.
- Na ÁSIA, sem uma tendência única, JAPÃO -0,3%, em queda pelo quarto pregão consecutivo, com as persistentes preocupações sobre a fraqueza do euro puxando novamente para baixo as ações das empresas exportadoras, como Mazda (-1,3%) e Nikon (-1,2%), CHINA 3,5%, diante do aumentos das ''apostas'' de que não haverá aperto financeiro e CORÉIA 0,3%, tentando uma recuperação após perder -5,6% na semana passada.
- Na EUROPA, tentando uma recuperação após as perdas da semana passada, INGLATERRA 0,1%, FRANÇA 0,1% e ALEMANHA -0,4%, ''assimilando as promessas'' de corte e controle de gastos por parte dos governos da região e o anuncio de estatização de um banco ''quase quebrado'' na Espanha.
- Nos EUA, revertendo uma abertura positiva, causada por um aumento, acima do esperado (4,7%), de 7,6% nas vendas de casas usadas em ABR/10, S&P -1,3%, DJ -1,2% e NASDAQ -0,7%, pressionadas por perdas em ações de bancos, como Bank of America (-3,7%) e do JP Morgan -3,7%), Morgan Stanley (-5,02%) e Goldman Sachs (-2,8%), acompanhando suas correlatas na Europa.
--------------------------------------------------------------------------------
Economia:

Após ressaltar que, mesmo em tempos de crise na Zona do Euro, as empresas brasileiras já captaram este ano, por meio de ofertas de ações e emissões de dívidas, como debêntures, R$ 40bi, Maria Helena Santana, presidente da CVM, ''avisou'' que o mercado de capitais brasileiro continua aberto com 8 esperando registro, obviamente dependendo da evolução da crise.

Com o objetivo de ajudar ''tapar buracos'' dos governos da região, o BC Europeu comprou ontem mais 10bi de euros em dívida pública, porem cresce a preocupação de que esta operação pode criar pressões inflacionárias a longo prazo.

Refletindo no ''bolso do Brasil'' os problemas em infraestrutura e logística, prejudicadas por problemas de embarque nos portos brasileiros, em ABR/10 as exportações de celulose caíram -12,1% ante ABR/09 e -24,0% ante MAR/10, entretanto nos 4 primeiros meses do ano ainda acumulam uma alta de 9,8% ante o mesmos período de 2009.

Mantendo a pressão sobre o Cupom, o ''mercado'', também diante dos últimos indicadores divulgados, elevou, pela 18ª semana consecutiva, suas ''apostas'' para o IPCA de 2010, desta vez de 5,54% para 5,67%.

Influenciado pela recente elevação da Selic, em MAI/10 o Índice de Confiança do Empresário Industrial, medido pela CNI, caiu -0,6% na comparação com ABR/10, porem, aos 66,3pts, ainda está 7,2 pontos acima da média histórica do indicador.

Pressionando a inflação, diante do aumento da renda e da conseqüente demanda, os contratos novos de locação na capital paulista tiveram aumento médio de 1,7% em ABR/10 em relação aos valores negociados em MAR/10, acumulando com isto uma alta de 11,4% nos últimos 12 meses.

''Apostando'' no crescimento do setor agrícola brasileiro, a Fosfertil anunciou investimentos de R$ 2bi para construir, até 2013, um complexo industrial químico em Patrocínio, Minas Gerais, que beneficiará anualmente 1,6 milhão de toneladas de rocha fosfática, insumo utilizado para a fabricação de fertilizantes, gerando inicialmente 1.500 empregos diretos.

Com o objetivo de aumentar as exportações de café torrado e solúvel brasileiro, Manoel Bertone, secretário de Produção e Agroenergia do Ministério da Agricultura, informou que o governo vai fortalecer os programas de marketing no exterior.

- A OGX subiu 4,1% e, após o fechamento do pregão, anunciou que fez a sua primeira descoberta de petróleo na bacia de Santos.
--------------------------------------------------------------------------------
Política:

Reagindo ao crescimento de Dilma nas pesquisas, o PSDB ''recomendou'' a Lula que se mantenha fora da disputa presidencial e Jorge Bornhausen, presidente de honra do DEM, chamou a pré-candidata do PT de "boneca do ventríloquo" do presidente.

Mariana afirmou que tanto o PSDB quanto o PT aparelharam o Estado brasileiro como forma de acomodar aliados, porem o petista Cândido Vaccarezza, líder do governo na Câmara, lembrou que a candidata do PV à presidência foi, durante 7 anos, ministra do governo Lula.

Enrolando cada vez mais o presidente da Força Sindical, a vice-procuradora-geral eleitoral, Sandra Cureau, concordou com a acusação de que Paulinho usou sua condição para conseguir recursos de fontes proibidas pela lei, como os sindicatos, e assim o Ministério Público Eleitoral recomendou a cassação do seu mandato de deputado federal pelo PDT de SP.

Como sabem que ''a propaganda é a alma do negócio'', os ''nobres'' governadores dos Estados brasileiros gastaram em 2009 mais de R$ 1,69bi em propagandas na TV, com destaque para o governo tucano do Estado de SP, que ''torrou'' quase 1/5 deste montante, porem, não ficando muito atrás, também no ano passado Lula teve gastos publicitários de R$ 1,11bi.
--------------------------------------------------------------------------------
Crítica:

Finalmente entendendo que, na média, os mais pobres são menos caloteiros e melhores clientes, os bancos brasileiros, diante de pesquisas como a que indicou que 73% das pessoas com renda mensal inferior a R$ 800,00 acham essencial ter cartão de crédito, partem, apos o sucesso de experiências piloto, para abrir pontos de atendimento nas maiores favelas de SP, do RJ de BH e até na periferia de Brasília.
--------------------------------------------------------------------------------
PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho
--------------------------------------------------------------------------------
O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br
--------------------------------------------------------------------------------

Nenhum comentário:

Postar um comentário