R.B. 4/FEV/10 ''Não tiveram medo da crise''

--------------------------------------------------------------------------------
R.B.

"Não tiveram medo da crise"

São Paulo, 4 de fevereiro de 2010 (QUINTA-FEIRA).
--------------------------------------------------------------------------------
Mercados:

HOJE
- A BOVESPA deve subir, dando seqüência a recuperação das perdas de JAN/10 após a ''parada para avaliação'' de ontem, beneficiada pelo anuncio de bons resultados corporativos de empresas brasileiras e pela redução da Cide, que mostra que o governo pode buscar novas formas de controlar a inflação sem ter o ''ônus político'' de elevar tanto os juros em ano de eleições presidenciais.
- O DÓLAR pode cair, seguindo a provável melhora do ''humor'' na Bolsa e os sinais de que o Copom pode começar a subir Selic, elevando ainda mais a taxa real de juros da economia brasileira (cerca de 4,0%), que aliás já é a maior do mundo.

ONTEM
- BOVESPA -0,1%, abriu em alta, para na máxima avançar 0,3%, porem, seguindo a instabilidade das bolsas de NY, manteve-se em trajetória indefinida ao longo de todo dia, para na mínima recuar -0,5%, numa sessão marcada pela cautela dos investidores.
- DÓLAR 0,8% à R$ 1,84, abriu em queda, para na mínima recuar -0,2%, porem logo passou a subir, pressionado pelos leilões de compra do BC e em um novo repique após cair quase -3% nos últimos 2 dias.
- Na ÁSIA, seguindo o fechamento positivo das bolsas de NY no dia anterior, JAPÃO 0,3%, com os investidores trocando as ações da Toyota (-5,7%) pelas dos grupos rivais Honda (2,3%) e Mazda (1,2%), diante do aprofundamento dos problemas de "recall" da maior montadora do país, CHINA 2,4%, a maior alta percentual em 2 semanas, em um movimento de ''caça de pechinchas'' após seguidas perdas, com destaques de alta para ações de bancos e mineradoras e CORÉIA 1,2%, com destaque positivo para as siderúrgicas, beneficiadas pela divulgação de dados que indicaram uma melhora na atividade industrial dos EUA.
- Na EUROPA, revertendo uma abertura positiva, INGLATERRA -0,6%, FRANÇA -0,5% e ALEMANHA -0,7%, já que o fortalecimento do dólar frente ao euro, que ocorreu após um forte dado do mercado de mão de obra dos EUA, provocou um recuo das ações de empresas de recursos básicos.
- Nos EUA, sem uma tendência única e perdendo ''forças'' ao longo do dia, S&P -0,6%, DJ -0,3% e NASDAQ 0,4%, divididas entre resultados corporativos frustrantes, como da Pfizer (-2,3%), o temor de aumento da regulação no setor financeiro, diante de rumores de que o governo irá limitar operações em grandes companhias, e dados positivos sobre empregos, já que o setor privado bem menos vagas que se esperava em JAN/10.
--------------------------------------------------------------------------------
Economia:

Hoje será divulgada a ata do Copom, que na semana passada manteve a Selic em 8,75% e, com cada vez mais gente ''apostando'' que a autoridade monetária indicará que a taxa básica de juros pode começar a subir já na próxima reunião, em 16 e 17 de MAR/10, desta vez se espera um tom mais ''duro'' do documento, principalmente diante dos recentes sinais de alta da inflação e de recuperação de atividade econômica.

''Apostando'' no crescimento da economia brasileira, segundo dados divulgados pela Abimaq, a indústria de máquinas e equipamentos espera ter um aumento de até 18% no faturamento em 2010, ressaltando que dá para fazer mais se o governo der incentivos ao setor.

Melhorando as perspectivas para os exportadores brasileiros do setor, ontem Obama, presidente dos EUA, classificou ao etanol produzido no Brasil como um biocombustível ''renovável e avançado" na redução de emissões de gases.

Ajudando no controle da inflação, na venda de combustíveis e no crescimento da economia, a CIDE, imposto que é cobrado sobre a venda de combustíveis, foi reduzida de R$ 0,23 para R$ 0,15 por litro.

Mostrando que os gringos saíram da Bovespa mais não do Brasil, em JAN/10, apesar da Bolsa brasileira acumular um déficit de R$ -2,1bi entre os investidores externos, o BC registrou um fluxo cambial positivo em US$ 1bi, ante um déficit de US$ -3bi no mesmo período de 2009.

Confirmando que em 2009 os empreendedores brasileiros ''não tiveram medo da crise'', no ano passado, segundo o Ministério do Desenvolvimento, o número de empresas abertas no país avançou 5,96% na comparação com 2008.

Traçando perceptivas cada vez mais positivas para o setor, ontem, no mesmo dia em que a Vale anunciou que reiniciará a operação de uma mina de níquel, a Rio Tinto ''avisou'' que, principalmente diante do crescimento econômico na China e na Índia, deve dobrar a demanda global por alumínio, minério de ferro e cobre nos próximos 15 anos.

- A Petrolífera OGX subiu 6,1%, já que confirmou reservas de até 900 milhões de barris e, limitando a queda do índice, respondeu sozinha por 11% do giro total da Bolsa.
- A Cielo subiu 3,2% e, após o fechamento do pregão, anunciou que no quarto trimestre de 2009 seu lucro foi 77,5% maior que no mesmo período de 2008.
--------------------------------------------------------------------------------
Política:

Até agora sem ser ''incomodado'' pelo judiciário e também por seus médicos, Lula ''avisou'' que a crise de hipertensão que ele teve na semana passada não vai impedi-lo de continuar inaugurando obras por todo o Brasil, ressaltando que "muita gente vai ficar doida de raiva" e lamentando o fato de que não poderá ter Dilma ao seu lado quando a campanha eleitoral começar.

Ressaltando que, diferentemente de Serra e Dilma, não tem que prestar contas respectivamente para Quércia e Renan Calheiros, Ciro Gomes afirmou que pode falar coisas que o PT e que o PSDB não podem, já que as bases das alianças PT-PMDB e PSDB-PMDB não permitem.

Confirmando que foi apenas um ''jogo de cena'', o ponto eletrônico implantado esta semana no Senado para tentar moralizar o pagamento de horas extras na Casa foi desmoralizado pela própria Mesa Diretora, já que segundo o artigo 72 do Regulamento Administrativo do Senado não é obrigatório o controle de freqüência no trabalho da quase totalidade dos servidores efetivos e comissionados.
--------------------------------------------------------------------------------
Crítica:

Totalmente desalinhado com a modernidade e com a realidade do mundo, o general Raymundo Nonato de Cerqueira Filho, do Superior Tribunal Militar, ''avisou'' que as Forças Armadas não devem aceitar a presença de gays e sugeriu que eles procurem outras atividades, longe dos quartéis, ressaltando que a tropa se recusaria a acatar ordens de um homossexual e que eles só devem ser aceitos se mantiverem a opção sexual em segredo.
--------------------------------------------------------------------------------
PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho
--------------------------------------------------------------------------------
O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br
--------------------------------------------------------------------------------

Nenhum comentário:

Postar um comentário