R.B. 26/NOV/09 ''Boas novas para o Natal''

--------------------------------------------------------------------------------
R.B.

"Boas novas para o Natal"

São Paulo, 26 de novembro de 2009 (QUINTA-FEIRA).
--------------------------------------------------------------------------------
Mercados:

HOJE
- A BOVESPA deve cair, com baixo volume de negócios devido ao feriado em NY e realizando lucros após acumular uma valorização de 80,9% no ano, porem deve-se ressaltar que a tendência ainda é de alta, diante das boas perspectivas para a economia brasileira, que aliás ao que tudo indica terá um ''Natal do peru''.
- O DÓLAR pode subir, acompanhando a provável realização de lucros na Bovespa e em um ''ajuste técnico'' após acumular baixa de -26% no ano, porem deve-se ressaltar que a tendência ainda é de queda diante da manutenção do fluxo positivo de recursos externos.

ONTEM
- BOVESPA 0,9%, já abriu em alta e, acompanhando a trajetória ascendente das bolsas de NY, manteve-se em território positivo ao longo de ''quase'' todo pregão, para fechar no maior patamar do ano (aos 67.917pts), também influenciada pelas perspectivas cada dia mais positivas para a economia brasileira.
- DÓLAR -0,5% à R$ 1,73, já abriu em queda e, acompanhando a nova melhora do ''humor'' na Bovespa, manteve-se em baixa ao longo de todo pregão, também influenciado pelo recuo do risco-Brasil (-1,4%) e pelo fluxo de recursos externos.
- Na ÁSIA, seguindo o fechamento positivo das bolsas de NY no dia anterior, JAPÃO 0,4%, sustentada pela divulgação dos dados que mostraram melhora na balança comercial do país, o que consequentemente impulsionou as ações das montadoras, como Toyota (1,2%) e Honda (2,6%), CHINA 2,1%, recuperando parte de pardas recentes, com destaques de alta para ações de bancos e CORÉIA 0,3%, sob influência dos sinais mistos emitidos pelos dados econômicos divulgados nos EUA.
- Na EUROPA, em mais um dia de alta, INGLATERRA 0,7%, FRANÇA 0,6% e ALEMANHA 0,6%, ainda beneficiadas pela preferência dos investidores de favorecer os ativos de maior risco, como ações e commodities, o que beneficiou principalmente as mineradoras, como Lonmin (3,2%), Randgold Resources (2,9%) e Anglo American (2,7%).
- Nos EUA, já com baixo volume de negócios na véspera do feriado de Ação de Graças, S&P %0,4, DJ 0,3% e NASDAQ 0,3%, desta vez puxadas pelos bons dados apresentados sobre o mercado imobiliário, os pedidos de seguro-desemprego e gastos do consumidor.
--------------------------------------------------------------------------------
Economia:

Confirmando sua enorme capacidade de constatar o obvio, ontem a agência de classificação de risco Moody's afirmou que os bancos brasileiros, como não tinham praticamente nenhuma exposição a ativos tóxicos ou estruturados, apenas modestas posições em renda variável, resistiram bem aos efeitos da crise global e, diante das expectativas de retomada econômica, devem ter o perfil ainda melhorado daqui para frente.

Aumentando consideravelmente sua influencia externa, o Brasil decidiu elevar de US$ 10bi para US$ 14bi o aporte que fará no FMI, para com isto passar a ter poder de veto nas decisões do fundo para ajudar a países com problemas econômicos diversos e para incentivo a exportações e importações.

Após o anuncio de que entre OUT/09 e NOV/09 o Índice de Confiança do Consumidor teve a maior alta desde MAI/08, atingindo 115,4pts, o que representa a melhor marca dentro da série iniciada em SET/05, dando ''boas novas ao Natal'', ontem o BC informou que o final de 2009 a economia brasileira apresentará (1) recorde na concessão de crédito, (2) inadimplência em queda e (3) juros menores.

Continuando sua estratégia, cada vez mais criticada, de beneficiar setores específicos da economia, ontem, logo após confirmar a redução do IPI para automóveis ''verdes'', o governo federal anunciou a redução de tributos para setor moveleiro e a prorrogação da desoneração de material de construção civil até JUN/10.

Dando mais um importante sinal de recuperação da economia interna, em OUT/09 a taxa de desemprego registrou queda de -4,9% nas 6 maior regiões metropolitanas do Brasil, passando de 14,4% em SET/09 para 13,7% no mês passado, o que representa o menor patamar desde JAN/09 (13,1%).

''Apostando do Brasil'' e confirmando que eram boatos, ou apenas uma idéia infeliz, a possibilidade de fechar suas lojas no País, ontem o Wal-Mart brasileiro anunciou que vai contratar 3.400 trabalhadores temporários para ajudar com as vendas de fim de ano.
--------------------------------------------------------------------------------
Política:

Metendo o ''bedelho'' aonde não deve, provavelmente apenas para ''fazer graça'' aos seus eleitores, os deputados Estaduais da Assembléia Legislativa de SP aprovaram a proibição (1) da cobrança de assinatura mensal sobre os serviços de telefonia fixa e móvel no Estado e (2) da cobrança do estacionamento em shoppings para os clientes que gastaram no estabelecimento ao menos dez vezes o valor da cobrança.

Avançando e aperfeiçoando a legislação vigente, ontem a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado aprovou um projeto de lei que permite a elevação, de 20% para 60%, da participação de capital estrangeiro nas companhias aéreas.

Aumentando a lista de sócios do ''fã clube de Lula'', ontem a revista alemã "Der Spiegel" afirmou que o Brasil é visto como uma história de sucesso econômico e que seu povo reverencia o presidente petista, que aliás tem 80% de aprovação, por ele ser o "Pai dos Pobres'' que está levando o país a se tornar uma das 5 maiores economias mundiais através de reformas, projetos gigantescos de infraestrutura e exploração de vastas reservas de petróleo.

Enquanto reclama que Dilma usa as obras do PAC como palanque político, Serra, acreditando que é Silvio Santos, com o objetivo de atrair mais de 500 prefeitos para uma solenidade de assinatura de convênios para a área de educação, sorteou ontem 3 micro-ônibus entre representantes de municípios presentes ao Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista.
--------------------------------------------------------------------------------
Crítica:

Contrapondo, ao seu modo, o filme de Lula, FHC foi a estrela do documentário "Retrato de grupo", que fala sobre a geração de intelectuais que criou o Centro Brasileiro de Análise e Planejamento e que infelizmente não chegará aos cinemas, já que foi criado para ser exibido apenas para uma platéia de intelectuais e não para o ''povão''.
--------------------------------------------------------------------------------
PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho
--------------------------------------------------------------------------------
O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br
--------------------------------------------------------------------------------

Nenhum comentário:

Postar um comentário