R.B. 25/SET/09 ''Um monumento à desigualdade''

--------------------------------------------------------------------------------
R.B.

"Um monumento à desigualdade"

São Paulo, 25 de setembro de 2009 (SEXTA-FEIRA).
--------------------------------------------------------------------------------
Mercados:

HOJE
- A BOVESPA deve subir, retomando sua trajetória de alta após 2 pregões consecutivos de realização de lucros, seguindo a provável melhora do ''humor'' nas demais bolsas mundiais e as boas perspectivas para a economia brasileira.
- O DÓLAR pode cair, retomando sua ''trajetória natural'' após o repique de ontem, já que, compensando os leilões de compra do BC, que aliás já somam US$ 2,8bi em SET/09, continua ''crescente e constante' o fluxo positivo de recursos externos.

ONTEM
- BOVESPA -0,7%, abriu em alta, para na máxima avançar 0,8%, porem, acompanhando as perdas das bolsas de NY, passou a cair ainda na parte da manhã, ainda em um ''saudável'' movimento de realização de lucros.
- DÓLAR 0,9% à R$ 1,80, já abriu em alta e, acompanhando a realização de lucros na Bovespa, manteve a trajetória ascendente ao longo de todo pregão, pressionado pelos leilões de compra do BC e pela elevação do risco-Brasil (2,6%).
- Na ÁSIA, sem uma tendência única, JAPÃO 1,7%, ''ajustando-se'' a valorização das bolsas mundiais durante os 3 dias de feriado local, com destaques de alta para ações de empresas do setor de chips, como Tokyo Electron (5,7%) e Shin-Etsu Chemical (4,2%), CHINA 0,4%, revertendo as perdas do início do pregão, impulsionada por ações de bancos, como China Merchants Bank (2,6%) e China Citic Bank (4,1%) e CORÉIA -1,0%, realizando lucros, principalmente entre ações dos setores que tiveram altas recentes como de tecnologia, de montadoras e de fabricantes de baterias.
- Na EUROPA, seguindo as perdas das bolsas de NY, apesar dos dados apontando aumento da confiança na Alemanha e na França, INGLATERRA -1,2%, FRANÇA -1,7% e ALEMANHA -1,7%, com destaques de queda para ações de empresas diretamente afetadas pelo mercado imobiliário norte-americano, como a companhia de equipamentos de calefação Wolseley (-4,5%).
- Nos EUA, em queda pelo segundo pregão consecutivo, S&P -0,9%, DJ -0,4% e NASDAQ -1,1%, desta vez afetada pelo inesperado retrocesso de -2,7% nas vendas de imóveis residenciais usados em AGO/09 na comparação com JUL/09, interrompendo uma seqüência de 4 meses de alta.
--------------------------------------------------------------------------------
Economia:

Confirmando mais uma vez que o Brasil está no caminho certo para se tornar um dos principais participantes da economia mundial, diante da melhora nos gastos públicos em saúde e dos investimentos no setor produtivo e no Índice de Desenvolvimento Humano, segundo o ranking de competitividade da FIESP o Brasil foi um dos 5 países que mais elevaram sua nota, com crescimento de 30,2% entre 1997, primeiro ano da pesquisa, e 2008.

Podendo atrair ainda mais recursos para o setor produtivo da economia brasileira, ontem o Conselho Monetário Nacional aprovou um resolução que aumentou, de 50% para 70%, o limite do percentual de seu patrimônio que os fundos de pensão podem investir em ações.

Diante da melhora nos indicadores econômicos brasileiros e o reaquecimento da Bolsa de Valores, o BC elevou, de R$ 3bi para R$ 22bi, suas ''apostas'' para investimentos externos no mercado financeiro (ações e renda fixa) brasileiro em 2009.

Apresentando um importante sinal de crescimento da economia interna, em AGO/09 o faturamento da indústria de máquinas e equipamentos no Brasil cresceu 17,7% na comparação com JUL/09, com destaques positivos para os setores relacionados à indústria de infraestrutura e do petróleo.

Indicando como é grande o fluxo positivo de recursos externos ao Brasil, (1) ontem o BC revelou que, elevando o patamar das reservas internacionais brasileiras, comprou US$ 2,8bi no mercado de dólar à vista apenas nos 22 primeiros dias de SET/09, período em que a cotação da moeda norte-americana caiu de R$ 1,89 para R$ 1,78 e (2) nos 21 primeiros dias de SET/09 o saldo dos investimentos estrangeiros na Bovespa ficou positivo em R$ 3,3bi, elevando o superávit do ano para um novo recorde histórico de R$ 17,2bi.

Dando mais um importante sinal de controle da inflação, o IPCA-15 de SET/09 apontou inflação de 0,19%, resultado abaixo dos 0,23% de AGO/09 e dos 0,22% que era a média das ''apostas do mercado''.
--------------------------------------------------------------------------------
Política:

Apesar do pedido de Lula para que fique no BC até o final de seu governo, ontem Meirelles reuniu-se com Temer, presidente da Câmara e do PMDB, e "praticamente" definiu sua filiação ao partido, que segundo rumores pode ser oficializada na próxima terça-feira.

Legislando em causa própria e usando verba publica para benefícios particulares, ontem, sem nenhuma ''vergonha na cara'', a Mesa Diretora do Senado autorizou seus 11 integrantes e também os 14 líderes da Casa a designar 3 funcionários comissionados para seus respectivos escritórios políticos nos estados.

Com Serra como sua principal ''estrela'', os tucanos usarão o programa partidário na TV como cartada estratégica para frear o crescimento dos rivais e a consolidação da tendência de segundo turno, evidenciada na pesquisa do Ibope divulgada nesta semana.

Mais uma vez acreditando que o eleitor é burro, Sarney, presidente do Senado, anunciou a extinção 500 cargos na sua estrutura administrativa da Casa, porem na realidade isto não vai provocar exonerações nem economia direta à estrutura, já que os cargos não estão ocupados por nenhum servidor e ficaram vagos com a aposentadoria de antigos funcionários.
--------------------------------------------------------------------------------
Crítica:

Mostrando que, apesar de estar registrando desde 2001 queda da desigualdade social num ritmo realmente bom, o Brasil ainda é ''um monumento à desigualdade'', segundo uma pesquisa do IPEA a pequena camada que representa o 1% mais rico da população tem uma renda média de R$ 7.235 por mês, o que lhes permite gastar R$ 723 a cada 3 dias, já os 10% mais pobres, cuja renda média é de R$ 57,54 por mês, levam 1 ano para juntar R$ 690.
--------------------------------------------------------------------------------
PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho
--------------------------------------------------------------------------------
O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br
--------------------------------------------------------------------------------

Nenhum comentário:

Postar um comentário