R.B. 20/AGO/09 ''Dia triste para a história do PT''

--------------------------------------------------------------------------------
R.B.

"Dia triste para a história do PT"

São Paulo, 20 de agosto de 2009 (QUINTA-FEIRA).
--------------------------------------------------------------------------------
Mercados:

HOJE
- A BOVESPA deve subir, com ''boas chances'' de fechar a semana acima do maior patamar do ano (57.047pts), acompanhando a melhora do ''humor'' nas demais bolsas do mundo e beneficiada pela valorização das commodities e pelos sinais de recuperação da economia interna.
- O DÓLAR pode voltar a cair, ainda com ''boas chances'' de testar o suporte dos R$ 1,80 até o final do mês, já que, apesar do aumento da intensidade dos leilões de compra do BC, também aumenta cada vez mais o fluxo positivo de recursos externos.

ONTEM
- BOVESPA 0,7%, abriu em queda, para na mínima recuar -1,5%, porem gradativamente foi recuperando ''forças'' ao longo do pregão, impulsionada pela alta das commodities, como o petróleo (4,7%), e pela valorização das bolsas de NY.
- DÓLAR -0,2% à R$ 1,84, abriu em alta, para na máxima atingir R$ 1,87, porem, apesar dos leilões do BC, passou a cair ainda na parte da manhã, seguindo a melhora do ''humor'' nas principais bolsas mundiais.
- Na ÁSIA, ainda realizando lucros, JAPÃO -0,8%, CORÉIA -0,3% e CHINA -4,3%, diante do temor dos investidores sobre a força da recuperação econômica global e do aumento dos sinais de que a demanda dos consumidores e o lucro das empresas continuarão fracos, impedindo uma ampla retomada.
- Na EUROPA, sem uma tendência única, já que ficaram divididas entre as perdas das bolsas da Ásia e a recuperação das bolsas de NY, INGLATERRA 0,8%, FRANÇA -0,1% e ALEMANHA -0,4%, com destaques de alta para ações de bancos e destaques negativos para o setor automobilístico.
- Nos EUA, revertendo uma abertura negativa, S&P 0,7%, DJ 0,7% e NASDAQ 0,7%, com os investidores respondendo favoravelmente a uma surpreendente queda nos estoques de petróleo, que pode sugerir uma melhora na perspectiva de demanda e impulsionou as ações de empresas do setor, como Exxon Mobil (2,3%) e Chevron (1,8%).
--------------------------------------------------------------------------------
Economia:

Aumentando a lista daqueles que ''apostam'' que o Brasil foi o ultimo a entrar e agora será o primeiro país a sair da crise financeira internacional, Luciano Coutinho, presidente do BNDES, afirmou que o crescimento da economia brasileira no último trimestre deste ano deve ficar entre 3% e 4% e que os desembolsos da instituição devem atingir entre R$ 130 e R$ 135bi neste ano, valor bastante superior aos R$ 92 bilhões que o BNDES emprestou em 2008.

Corroborando com a opinião do governo brasileiro, Paul Krugman, prêmio Nobel de Economia 2008, ''avisou'' que a América Latina superará a crise mundial "mais rápido que os países avançados", ressaltando que isto ocorrerá pois a região está melhor preparada do que em ocasiões anteriores.

Flertando com o Brasil, já que quer transformar a BM&F Bovespa em uma Bolsa de Valores global, Duncan Niederauer, presidente da Bolsa de Valores de NY, convidou Mantega, ministro da Fazenda, para tocar o sino de abertura de um dos pregões de SET/09.

Como, diante da confiança na economia brasileira, na primeira quinzena de AGO/09 o fluxo de dólares entre o Brasil e o exterior ficou positivo em US$ 2,0bi, o BC, fazendo o que pode para impedir a valorização do real, apenas nos 14 primeiros dias de AGO/09 já comprou US$ 1,3bi no mercado de dólar à vista, com isto o nível das reservas internacionais já supera os US$ 213bi, patamar bem acima de antes da piora na crise financeira internacional (US$ 207,5bi).

Se auto-contrariando, já que na semana passada causou polemica ao afirmar que algumas taxas de juros praticadas pelos bancos públicos eram insustentáveis, Roberto Setubal, presidente-executivo do Itaú, afirmou que os índices de inadimplência pararam de piorar e que os sinais de forte recuperação da economia doméstica criam um espaço positivo para ampliação do crédito.
--------------------------------------------------------------------------------
Política:

Ontem foi um ''dia triste para a história do PT'', já que (1) Marina, após 8 anos de ''carteirinha'', anunciou seu desligamento do partido para concorrer à presidência pelo PV, (3) os senadores petistas, apesar do ''teatro'' do líder Mercadante, se juntaram ao PMDB para engavetar definitivamente as denuncias contra Sarney e (3) o senador paranaense Flávio Arns, inconformado com a posição do PT no Conselho de Ética, afirmou que está envergonhado por ser petista e avisou que pretende deixar o partido.

Para fechar com ''chave de lata'' um dos piores dias de sua história, PT, usando como ''desculpa'' a queda na arrecadação de tributos federais, se juntou ao PMDB, maior partido do Congresso e principal aliado do governo, para recriar a CPMF, batizada agora de Contribuição Social para a Saúde (CCS) e cuja alíquota será de 0,1%.

Complicando ainda mais a vida de Dilma, que ainda não aprendeu que ''mentira tem perna curta'', Warley Soares, motorista da ex-secretária Lina Vieira na Receita Federal, confirmou que a levou diversas vezes ao Palácio do Planalto, ressaltando que em determinadas ocasiões recebeu instruções específicas para conduzi-la a reuniões na Casa Civil da Presidência da República.

Tentando fazer da democracia uma grande piada, o PT, como tinha maioria na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, resolveu votar a convocação da ministra Dilma, obviamente sabendo que derrubaria a proposta, porem o senador democrata Demóstenes Torres, presidente da referida Comissão, suspendeu a sessão para evitar a ''manobra suja'' da base aliada.

Já preparando o forno para a ''pizza tucana'', o PSDB decidiu indicar o deputado Coffy Rodrigues para ser o relator da CPI da Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul que vai apurar o envolvimento da governadora Yeda Crusius, também tucana, com supostos atos de corrupção.
--------------------------------------------------------------------------------
Crítica:

Apenas 7 semanas após Obama cumprir uma promessa de campanha e determinar que o exercito dos EUA parasse de patrulhar as cidades iraquianas, várias ações em série alvejam Chancelaria e Ministério das Finanças do Iraque, causando 95 mortes e deixando mais de 400 feridos.
--------------------------------------------------------------------------------
PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho
--------------------------------------------------------------------------------
O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br
--------------------------------------------------------------------------------

Nenhum comentário:

Postar um comentário