R.B. 16/MAR/09 ''Uma rara oportunidade''

--------------------------------------------------------------------------------
R.B.

"Uma rara oportunidade"

São Paulo, 16 de março de 2009 (SEGUNDA-FEIRA).
--------------------------------------------------------------------------------
Mercados:

HOJE
- A BOVESPA pode subir, com ''boas chances'' de fechar o primeiro pregão da semana acima dos 40.000pts, ''animada'' com a ''promessa'' dos ministros das Finanças dos países do G20, que se reuniram sábado na Inglaterra, de destravar o crédito mundial e de combater a crise econômica.
- O DÓLAR deve seguir em queda, já que, mesmo após a moeda norte-americana atingir o menor patamar desde 16/FEV/09 e mesmo após o corte de -1,5% da Selic, a taxa real de juros (cerca de 6,5%) e a confiabilidade da economia brasileira continuam atraindo cada vez mais ''investimentos'' externos.

SEXTA-FEIRA
- BOVESPA -0,3%, abriu em alta, para na máxima avançar 1,3%, porem, seguindo a instabilidade das bolsas de NY e com baixo volume de negócios (R$ 3,7bi), passou a cair na parte da tarde, realizando uma pequena parte da valorização acumulada na semana (5,1%) e também influenciada pela aproximação do vencimento de opções.
- DÓLAR -0,1% à R$ 2,30 (-3,2% na semana), já abriu em queda e, apesar da instabilidade na Bovespa, manteve a trajetória descendente ao longo de ''quase'' todo pregão, seguindo o recuo do risco-Brasil (-1,3%) e o fluxo positivo de recursos externos.
- Na ÁSIA, sem uma tendência única, JAPÃO 5,2%, a maior alta percentual do ano, para fechar no maior patamar do mês, impulsionada pelas compras de ações de bancos e financeiras, como Mitsubishi UFJ (5,8%) e Mizuho Financial (4,7%), CHINA -0,2%, a terceira queda consecutiva, ainda diante das preocupações com a desaceleração da economia e da expectativa de fracos balanços corporativos e CORÉIA -0,2%, realizando lucros após 4 pregões consecutivos de alta, com destaques de queda para SK Telecom (-3,6%) e Shinhan Financial Group (-2,6%).
- Na EUROPA, seguindo a abertura positiva das bolsas de NY, INGLATERRA 1,1% (6,3% na semana), FRANÇA 0,4% (6,7% na semana) e ALEMANHA 0,1% (7,8% na semana), novamente sustentadas pelo bom desempenho das ações de ações de bancos e de empresas do setor petrolífero, como HSBC (6,7%), Credit Suisse (6,8%) e Royal Dutch Shell (1,3%).
- Nos EUA, em alta pelo quarto pregão consecutivo, o que fez a semana ser a melhor desde NOV/08, S&P 0,8%, DJ 0,7% e NASDAQ 0,4%, já que alguns bancos, como o Citigroup, e algumas montadoras, como a GM, ''prometeram'' que terão lucro em 2009.
--------------------------------------------------------------------------------
Economia:

Aumentando a lista daqueles que corroboram com a opinião do governo brasileiro, de que o Brasil está mais preparado e sairá mais ''forte'' da atual crise financeira mundial, as grandes gestoras internacionais, que podem aplicar em qualquer lugar do mundo, classificam os investimentos na economia brasileira, tanto em ações quanto em títulos de empresas e do governo, como ''uma rara oportunidade''.

Defendendo os interesses brasileiros, Lula, durante o primeiro encontro com o ''companheiro Obama'', criticou mais uma vez a questão do protecionismo adotado pelos EUA, ressaltando que o atual fluxo da balança comercial é muito pequeno para o tamanho dos 2 países e ''apostando'' que a crise econômica pode ser resolvida com decisões políticas na próxima reunião do G20.

Enxergando uma ''luz no fim do túnel'', Bernanke, presidente do Fed (''BC'' dos EUA), afirmou que a recessão dos EUA pode acabar em 2009 e que 2010 será um ano de recuperação, porem ressaltou que sua principal preocupação é que os líderes políticos e o público retirem o apoio aos esforços que visam estabilizar o sistema bancário.

Confirmando mais uma vez a qualidade da regulação e supervisão do sistema financeiro brasileiro, o Brasil foi convidado a integrar o Comitê de Basileia para Supervisão Bancária, que busca promover e fortalecer as práticas de supervisão e de gerenciamento de riscos mundialmente.

Com o objetivo de forçar a queda do spread bancário, o governo Federal, alem de estudar a diminuição dos impostos que incidem sobre empréstimos, quer usar o Banco do Brasil, a Caixa e o BNDESPar para comprar fatias de bancos pequenos e médios, capitaliza-los e fazer com que voltem a emprestar, aumentando com isto a concorrência no setor.

Dando 2 sinais de recuperação da economia brasileira, (1) apresentando o primeiro resultado positivo após 3 meses consecutivos de contração, em JAN/09 as vendas do comercio tiveram crescimento de 1,4% na comparação com DEZ/08 e (2) em JAN/09 o financiamento imobiliário com recursos da caderneta de poupança atingiu R$ 1,9bi, com isso o volume emprestado subiu 17,45% sobre o mesmo período do ano passado.
--------------------------------------------------------------------------------
Política:

Em mais uma daquelas promessas em que ''só se acredita vendo'', o democrata Heráclito Fortes, 1º secretário do Senado, determinou que qualquer parente de servidor do Senado ou parlamentar que tenha sido contratado por empresas que prestam serviços à Casa será afastado.

Como sabe que se em 2010 o PMDB se aliar com o PSDB a vaga de vice ficará com os peemedebistas, Rodrigo Maia, presidente nacional do DEM, afirmou o partido não precisa do apoio do PMDB, apesar de ressaltar que em SP a situação é ''diferente", uma vez Quércia já declarou apoio à candidatura de Serra.

Confirmando que Aécio, caso queira ser candidato a presidente em 2010, terá que procurar outro partido, na ultima sexta-feira o senador cearense Tasso Jereissati, que sempre foi um dos mais renitentes opositores de Serra no PSDB, ''mandou avisar'' que retirou o veto ao nome do governador de SP.
--------------------------------------------------------------------------------
Crítica:

Em uma espécie de ''vingança feminista'', segundo um recente estudo, apesar das mulheres ainda ganharem menos do que os homens para exercer as mesmas funções, nos últimos 3 meses o maior número de empregos eliminados ocorreu entre pessoas com renda de 1 a 3 salários mínimos, sendo que 80% destas pessoas demitidas eram homens.

Ciente de que o governo norte-americano não deixará a empresa quebrar, a seguradora AIG, que acumulou um prejuízo de R$ -99,3bi em 2008 e que recentemente precisou de US$ 180bi em empréstimos do Tio San, anunciou, sem a menor ''vergonha na cara'', que vai pagar US$ 165mi em bonificações a seus principais executivos.
--------------------------------------------------------------------------------
PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho
--------------------------------------------------------------------------------
O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br
--------------------------------------------------------------------------------

Nenhum comentário:

Postar um comentário