R.B. 11/MAR/09 ''Diplomaticamente-mineiro''

--------------------------------------------------------------------------------
R.B.

"Diplomaticamente-mineiro"

São Paulo, 11 de março de 2009 (QUARTA-FEIRA).
--------------------------------------------------------------------------------
Mercados:

HOJE
- A BOVESPA deve seguir em alta, com ''boas chances'' de fechar a semana acima dos 40.000pts caso (1) o Copom, mostrando que está disposto a incentivar o crescimento da economia, corte a Selic em -1,5% na reunião de hoje e (2) a economia norte-americana de sinais de recuperação.
- O DÓLAR pode subir, influenciado pelas ''apostas'' de redução de até -2,0% na Selic, o que na teoria torna menos atraente a taxa real de juros da economia brasileira, porem deve-se ressaltar que a tendência ainda é de queda, diante da manutenção do fluxo positivo de recursos externos.

ONTEM
- BOVESPA 5,6%, já abriu em alta e, diante do aumento das ''apostas'' de corte de -1,5% na Selic, manteve a trajetória positiva ao longo de todo pregão, desta vez com bom volume de negócios (R$ 4,4bi), para fechar com a maior valorização percentual em 1 dia desde 8/DEZ/09, também influenciada positivamente pelo bom desempenho das bolsas de NY.
- DÓLAR -1,3% à R$ 2,35, já abriu em queda e, seguindo a substancial melhora do ''humor'' nas Bolsas de Valores do mundo, manteve a trajetória descendente ao longo de todo pregão, também acompanhando o recuo do risco-Brasil (-3,5%).
- Na ÁSIA, sem uma tendência única, JAPÃO %, acompanhando as perdas das bolsas de NY no dia anterior, para fechar na nova mínima de 26 anos, pressionada pelas ações de companhias farmacêuticas e de serviços públicos, CHINA 1,9%, revertendo uma abertura negativa, com destaques de alta para empresas do setor de seguros, como China Life (3,5%) e Ping An Insurance (4,8%) e CORÉIA 2,4%, impulsionada pelos investidores estrangeiros e institucionais.
- Na EUROPA, seguindo o ótimo desempenho das bolsas de NY, INGLATERRA 4,9%, FRANÇA 5,7% e ALEMANHA 5,3%, puxadas pelas ações de instituições financeiras, como BNP Paribas (20,7%), Credit Suisse (14,2%) e HSBC Holdings (14,3%).
- Nos EUA, iniciando, ''com vontade'', um movimento de recuperação após atingirem os piores patamares em 12 anos, S&P 6,3%, DJ 5,8% e NASDAQ 7,0%, também com destaques de alta para ações de bancos, após Bernanke, presidente do Fed (''BC'' local), afirmar que o frágil estado dos mercados financeiros e da economia mundial, a quebra de grandes instituições financeiras não será permitida e Vikram Pandit, executivo-chefe do Citigroup, ''prometer'', em carta aos funcionários, de que o banco será lucrativo durante os dois primeiros meses do ano, desafiando previsões de prejuízo.
--------------------------------------------------------------------------------
Economia:

Corroborando com a opinião do governo brasileiro, Bernanke, presidente do Fed (''BC'' dos EUA), afirmou que deve haver uma ampla mudança na forma como o governo regula o sistema financeiro a fim de evitar o surgimento de novas crises financeiras, como a que atualmente atinge o país, destacando a necessidade de reformas nas regras e convenções do sistema financeiro e nas regras de contabilidade das empresas e a criação de um órgão de monitoramento para identificar riscos sistêmicos.

Ressaltando que em MAR/09 a economia brasileira já dá sinais de recuperação em várias áreas, principalmente no setor de crédito, Lula ''prometeu'' que é possível dar a ''volta por cima" e ''garantiu'' que, mesmo que o PIB seja próximo de zero, o Brasil será um dos poucos países do mundo, dos emergentes e dos grandes, que em 2009 não terá uma recessão como terão os países ricos.

Acreditando cada dia mais que a economia brasileira tem fundamentos econômicos sólidos, Meirelles, presidente do BC, afirmou que Brasil tem condições de sair mais rapidamente da crise impulsionado pela demanda doméstica e pelo crescimento da renda.

Mesmo após encolher -3,6% no ultimo trimestre de 2008, já pressionado pela crise externa e apresentando assim um resultado pior do que o esperado pelos mais pessimistas, o PIB brasileiro fechou 2008 acumulando uma alta de 5,1%, impulsionado principalmente pelo bom desempenho do setor agropecuário, que apresentou expansão de 5,8% no mesmo período.

Após a divulgação do recuo do PIB no quarto trimestre de 2008 (-3,6%), Mantega, ministro da Fazenda, admitiu hoje que sua "aposta" de 4% para o crescimento do país neste ano será "difícil" de ser atingida, porem ressaltou também que o desempenho da economia brasileira neste ano deve superar as previsões mais pessimistas (que giram entre 0% e 1,5% de expansão).
--------------------------------------------------------------------------------
Política:

Sem a menor ''vergonha na cara'', enquanto o ''povão'' se preocupa com as demissões e ''rebola'' para manter seus empregos, os ''nobres deputados'' da Câmara Federal, que aliás não aprovaram nenhuma Lei importante em 2009, querem aumentar seus próprios salários, de R$ 16,5 mil para R$ 24,5 mil, equiparando-os aos dos ministros do Supremo Tribunal Federal.

Mostrando uma total falta de coerência, ontem, com o objetivo de investigar o acusador, e não o acusado, o plenário da Câmara aprovou a prorrogação das atividades da CPI das Escutas Telefônicas por 60 dias, usando como base as denúncias apresentadas pela revista Veja, que afirma que autoridades dos três Poderes foram investigadas de forma ilegal sob orientação do delegado da Polícia Federal Protógenes Queiroz.

Deixando de lado seu jeito ''diplomaticamente-mineiro'' de ser, Aécio, governador de MG, fez duras críticas ao ex-presidente FHC e à cúpula dos tucanos por sua discordância na realização de prévias pela legenda para a escolha do candidato que vai disputar a Presidência em 2010, ressaltando que não se constrói um projeto para o país de alguns gabinetes ou da Av. Paulista.

Com o objetivo de neutralizar a pré-candidatura do prefeito de Nova Iguaçu, o petista Lindberg Faria, à sua sucessão em 2010, o peemedebista Sérgio Cabral, governador do RJ, ''prometeu'', durante um almoço com petistas, mais ''espaço'' para o PT em seu governo.
--------------------------------------------------------------------------------
Crítica:

Em uma decisão histórica que só ocorre devido às mudanças de governantes e posteriormente dos princípios das políticas externas de EUA e de Cuba, ontem o Senado norte-americano aprovou uma emenda que afrouxa as restrições de viagens a ilha de Fidel para residentes nos EUA com parentes na ilha.
--------------------------------------------------------------------------------
PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho
--------------------------------------------------------------------------------
O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer critica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alcabi@uol.com.br
--------------------------------------------------------------------------------

Nenhum comentário:

Postar um comentário