R.B. 21/OUT/19 "Sem arrumar confusão por 2 dias"



"Sem arrumar confusão por 2 dias"

São Paulo, 21 de outubro de 2019 (SEGUNDA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, acompanhando a melhora do “humor” nas principais bolsas mundiais, beneficiada pela valorização das commodities e em compasso de espera para a aprovação final da reforma da previdência e (2) o DÓLAR pode seguir em queda, testando o “suporte” dos R$ 4,10, influenciado pela expectativa de aumento do fluxo positivo de recursos externos oriundos de exportações, captações e investimentos no setor produtivo da economia.

Sexta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -0,3%, devolvendo os ganhos da abertura, acompanhando as perdas das bolsas de NY, influenciada negativamente pelo recuo das commodities e prejudicada pela piora do cenário político tupiniquim, com a guerra aberta entre Bolsonaro, que se alia aos bandidos do STF para defender seu filho da lei, e o PSL, que quer dominar o fundo eleitoral de quase meio bilhão e (2) o DÓLAR caiu -1,2% à R$ 4,11, seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana, aliviado pelos leilões de venda do BC e principalmente pela expectativa de entrada de capital externo por conta da cessão onerosa, dos IPOs e das privatizações.

Também sexta-feira, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão -0,2% e China -1,3%, após o governo chinês divulgar sua taxa de crescimento mais fraca em 27 anos, num momento em que tenta superar uma prolongada rixa comercial com os norte-americanos, (2) da EUROPA, Inglaterra -0,4%, França -0,6% e Alemanha -0,2%, diante da cautela com o processo de saída do Reino Unido da União Europeia e do alerta de declarações de Mario Draghi, presidente do BC europeu, alertando sobre o crescimento econômico da zona do euro e (3) dos EUA, realizando lucros recentes, S&P -0,4%, DJ -0,9% e NASDAQ -0,8%, prejudicada pelo recuo das commodities e por notícias negativas vindas da Ásia e da Europa.

Reduzindo as “apostas” de corte na taxa de juros dos EUA, Esther George, presidente da distrital do FED (“BC” norte-americano) de Kansas, afirmou não ver fraqueza suficiente na economia do seu país para demandar agora uma resposta da política monetária.

Obviamente ainda causando inveja à maioria dos países do mundo, a expansão anual do PIB chinês desacelerou para 6,0% no terceiro trimestre de 2018, registrando seu pior desempenho numa série histórica iniciada em 1992 e ficando ligeiramente abaixo das “apostas do mercado” (6,1%) e do resultado auferido no trimestre anterior (6,2%).

Segundo a agencia de classificação de riscos S&P, que 4 anos atrás retirou do Brasil o selo de bom pagador (grau de investimentos), a melhora da nota do país depende de medidas para reduzir o déficit e estimular o crescimento de longo prazo.

Com uma boa dose de razão, o FMI divulgou na sexta-feira um relatório no qual afirma que o sistema tributário é o principal obstáculo para investimentos no Brasil e que é preciso medidas concretas, que vão além da reforma da Previdência, para que o país atinja um crescimento econômico no médio a longo prazo.

Tentando se afastar um pouco das confusões que ele mesmo cria, o presidente Bolsonaro, em busca de novas parceiras comerciais para o Brasil, desembarca hoje em Tóquio para iniciar seu giro pela Ásia, que também terá no roteiro China, Emirados Árabes Unidos, Catar e Arábia Saudita.

Ajudando na recuperação da economia tupiniquim, entre o final deste 2019 e do ano que vem, devem cair na mão das famílias cerca de R$ 40bi dos saques do FGTS, R$ 2bi de saques do Pis/Pasep e R$ 2,5bi do 13° do Bolsa Família, já os Estados e municípios terão cerca de R$ 24bi dos recursos que serão arrecadados com os leilões de exploração de petróleo.

Os juros mais baixos no Brasil, que ao que tudo indica devem permanecer assim por um longo prazo, tendem a mudar completamente a relação das pessoas com o dinheiro e com o ato de poupar e a Bolsa brasileira, que tem hoje apenas cerca de 1 milhão de investidores pessoa física, deve ser uma opção cada vez mais considerada pelo investidor tupiniquim.

Segundo José Márcio Camargo, professor do Departamento de Economia da PUC-Rio e economista da Genial Investimentos, o Brasil está em meio a um processo de redução das taxas de juros que deverá se manter por muito tempo, com potencial para aumentar o nível de produtividade da economia e abrir espaço para alternativas de investimentos que atualmente são consideradas inviáveis.

-    A Eletrobras subiu 3,4%, impulsionada por declarações do ministro de Minas e Energia, Bento Ribeiro, dando conta de que o projeto de lei para capitalização da empresa será enviado ao Congresso entre o fim deste mês e o início de NOV/19.
-    A Boeing recuou -6,8% na bolsa de NY, em meio a novas preocupações sobre questões de segurança do modelo 737 MAX, que se envolveu em dois acidentes fatais, o que levou à paralisação dos voos com o modelo.
-    A Netflix caiu -6,1% na bolsa de NY, após vários analistas cortarem suas projeções para o preço da ação.

Política:

Se Bolsonaro, que está no Japão, conseguir ficar “sem arrumar confusão por 2 dias”, a expectativa desta semana se concentra na votação definitiva da reforma da Previdência em segundo turno no Senado, prevista para amanhã.

Percebendo que esticou demais a corda, Bolsonaro afirmou, diretamente de Tóquio, que “a ferida no PSL vai se cicatrizar”.

Após ser destituída do cargo de líder do governo, Joice Hasselmann enviou uma mensagem a Bolsonaro, em capslock, dizendo que não é gado e que, em troca de rodar o país para ajudar a elegê-lo, “ganhou uma facada nas costas”.

Responsáveis, os governadores dos 7 estados do Sul e do Sudeste assinaram uma carta em conjunto na qual pedem a aprovação da PEC Paralela da reforma da Previdência, em tramitação no senado e que cria mecanismos para que ajustem seus gastos previdenciários a partir de suas assembleias legislativas.

Apesar de Doria, governador tucano de SP, se dizer um bom gestor, segundo um levantamento feito pela Sinicesp, que é o sindicato da indústria da construção pesada, 298 obras de mobilidade urbana estão paradas ou atrasadas no Estado, como metrô e trecho do Rodoanel Norte.

Para ganhar ainda mais simpatia da nefasta imprensa socialista tupiniquim, Gilmar Mendes, canalha e ministro do STF, decidiu, como se pudesse mandar sozinho no país, suspender a medida provisória de Bolsonaro que dispensava prefeituras, governos estaduais e o governo federal de publicar atos administrativos em jornais de grande circulação.

Causando um prejuízo aos cofres públicos de R$ -155bi em 10 anos, o lobby das igrejas e das universidades venceu e com isto o senador tucano Tasso Jereissati vai retirar da PEC paralela da reforma da Previdência o fim da nefasta isenção tributária a entidades filantrópicas.

Após brigar com seu partido, o PSL, Bolsonaro mudou de atitude e passou a procurar antigos caciques da política para evitar um isolamento, como Baleia Rossi, do MDB, e Gilberto Kassab, do PSD.

Alvo de uma operação da Policia Federal, o deputado Sérgio Souza, do MDB, foi relator da CPI dos Fundos de Pensão, em 2016, é acusado de receber “vantagens indevidas” em troca de proteção na CPI.

Crítica:

Com os tupiniquins descobrindo que a maconha não é um monstro, além do uso medicinal da erva, para casos como esclerose múltipla e epilepsia, as empresas brasileiras de cosméticos se interessam cada vez mais pelo tema e trabalham na criação de produtos usados no combate de rugas e cremes anti-inflamatórios.

PAZ, amor e bons negócios;

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: rb@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil


Nenhum comentário:

Postar um comentário