R.B. 15/OUT/19 "Brilhante, corajoso, inovador e trabalhador, Guilherme Benchimol"



"Brilhante, corajoso, inovador e trabalhador, Guilherme Benchimol"

São Paulo, 15 de outubro de 2019 (TERÇA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em alta, com “boas chances” de superar o maior patamar da história (106.650pts) ainda esta semana, acompanhando a melhora do “humor” nas principais bolsas mundiais e beneficiada pela aprovação final da reforma da previdência, pelo aumento da popularidade de Bolsonaro e pelas “apostas” de novos cortes da taxa básica de juros e (2) o DÓLAR pode cair, seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana e influenciado pelos leilões de venda do BC.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subir 0,4%, revertendo uma abertura negativa, na contramão das principais bolsas mundiais, para acumular uma valorização de 4,4% nos últimos 4 pregões, desta vez com destaques de alta para as varejistas e construtoras, impulsionadas pelo aumento das “apostas” de novos cortes na taxa básica de juros e (2) o DÓLAR subiu 0,8% à R$ 4,13, acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana e também influenciado pela tendência de queda do diferencial de juros do Brasil com o resto do mundo.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão não teve pregão por conta de feriado nacional e China 1,4%, reagindo positivamente aos últimos avanços nas negociações comerciais do pais com os EUA, (2) da EUROPA, devolvendo uma pequena parte dos fortes lucros auferidos na sexta-feira, Inglaterra -0,5%, França -0,4% e Alemanha -0,2%, prejudicadas por dúvidas e incertezas sobre o acordo comercial entre os EUA e China e sobre o Brexit e (3) dos EUA, também devolvendo parte dos lucros auferidos na sexta-feira, em um pregão com liquidez mais reduzida, por conta do feriado do Dia de Colombo, S&P -0,1%, DJ -0,1% e NASDAQ -0,1%, influenciadas negativamente pelo recuo das commodities e com os investidores reagindo com cautela à notícia de que Pequim pretende travar mais negociações antes de assinar qualquer entendimento com os norte-americanos.

Irritado com o suposto recuo de Pequim, Steven Mnuchin, secretário do Tesouro dos EUA, declarou que, caso um acordo com os chineses não seja fechado até 15/DEZ/19, a elevação de tarifas norte-americanas sobre importações do país asiático marcada para tal data entrará em vigor.

Confirmando que a China, segunda maior economia do mundo, continua sentindo os efeitos da guerra comercial com os EUA, que se arrasta desde meados do ano passado, em SET/19 as exportações chinesas sofreram queda anual de -3,2%, resultado pior do que o esperado (-3,0%), e as importações recuaram -8,5% no mesmo período, também pior que o projetado pelo “mercado” (-6,0%).

Aniquilando definitivamente com a Fake News divulgada na semana passada pela imprensa socialista tupiniquim, Martínez-Yllescas, Diretor da OCDE para América Latina, afirmou que o Brasil já é um “parceiro” que está perto da organização, que participa de vários comitês de trabalho e que tem adotado vários dos padrões globais da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico ou Econômico.

Indicando que a economia do velho continente não está tão ruim quando esperado, em AGO/19 a produção industrial da zona do euro cresceu 0,4% na comparação com JUL/19, patamar acima do esperado (0,3%).

Ainda sem se preocupar com os assessores de investimentos, que pagam anualmente R$ 10,1mil em taxa de fiscalização para CVM apenas para trabalhar, ontem, ajudando grandes empresas e consumidores endinheirados, Paulo Guedes, ministro tupiniquim da Economia, assinou uma portaria que eleva o limite de compras em free shops de US$ 500 (R$ 2.050) para US$ 1.000 (R$ 4.100), causando obviamente uma competição desleal com os demais comerciantes brasileiros que pagam impostos.

Dando motivos, mais do que suficientes, para uma nova redução da taxa básica de juros, o mercado (1) reduziu pela décima vez seguida, agora de 3,42% para 3,28%, suas “apostas” para a inflação medida pelo IPCA em 2019 e (2) manteve, pela quarta semana seguida, em 0,87% suas projeções para o crescimento do PIB tupiniquim.

Política:

Apesar de seguir apanhando de bandidos, principalmente os de toga que trabalham no STF e os com mandato no Congresso Nacional, ontem Sergio Moro, brilhante ministro da justiça, foi ovacionado por mais de 500 empresários em um evento da Fiesp.

Liberal na economia e conservador nos costumes, o PSL, mostrou no final de semana passado que é “petralha no uso do dinheiro público”, já que financiou com mais de R$ 1 milhão de recursos do fundo partidário o evento do CPAC (Conservative Political Action Conference), que sérvio de palanque para Eduardo Bolsonaro pregar para bolsominios.

Mostrando porque Bolsonaro está com pressa para sair do seu atual partido, na manhã de hoje a Policia Federal cumpriu mandado de busca e apreensão em endereços ligado ao deputado federal Luciano Bivar, presidente do PSL, para investigar o esquema de candidatas laranjas.

Estancando a sangria e assim dando uma boa notícia para o governo Federal, segundo uma pesquisa divulgada hoje o percentual da população que considera Bolsonaro bom ou ótimo passou de 30% para 33% e a parcela dos que o consideram ruim ou péssimo caiu de 41% para 38%.

Como um petista que defende Lula e as rapinagens de seu partido, Eduardo Bolsonaro postou um vídeo nas redes sociais para defender o uso do fundo partidário do PSL na CPAC (Conservative Political Action Conference), alegando que, se o dinheiro do fundo público não tivesse sido usado, teria de ser devolvido e poderia ser aproveitado por legendas de esquerda, o que obviamente é mentira.

Podendo confirmar definitivamente que o Brasil é o país da impunidade, advogados de bandidos com cargo de ministro do STF passaram a defender que uma pessoa só pode ser encarcerada depois do trânsito em julgado de seu processo, ou seja, depois que ele passar não apenas pelo STJ, mas também, quando for o caso, pelo STF.

A decisão de Dias Toffoli, presidente Supremo Tribunal Federal e ex-advogado do PT, de marcar para a próxima quinta-feira o julgamento de ações que discutem a constitucionalidade da prisão de condenados em segunda instância levou a Câmara dos Deputados a antecipar debate sobre proposta de emenda à Constituição que trata do tema.

Acreditando, com apoio da nefasta imprensa socialista tupiniquim, que é a bolacha mais gostosa do pacote, a deputada federal Tabata Amaral “avisou” que entrará com ação na Justiça Eleitoral para tentar sair do PDT sem perder seu mandato.

Coberto de razão, o governador gaúcho Eduardo Leite, que é filiado ao PSDB desde os 16 anos, afirmou que seu partido se desconectou com o sentimento das ruas, que é por uma conduta moral e ética, ao arquivar pedidos de expulsão do deputado federal tucano Aécio Neves, que foi gravado pedindo R$ 2 milhões de propina para Joesley Batista.

Mostrando, mais uma vez, que Sergio Moro “é o cara”, segundo dados divulgados ontem pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública no primeiro semestre deste ano ocorreu uma queda de -22,1% no número de homicídios cometidos no Brasil em comparação com o mesmo período do ano passado.

Crítica:

“Brilhante, corajoso, inovador e trabalhador, Guilherme Benchimol”, que, com o dinheiro da venda de um carro popular, fundou em 2001 a XP como uma empresa de assessoria de investimentos (AI), deve ser um motivo de orgulho e principalmente de inspiração para todos os AIs do Brasil pois, após ter criado a maior Corretora de valores do país, com mais de 600 escritórios espalhados pelo Brasil e pelo mundo, conseguiu o feito inédito de ser o primeiro AI a se tornar dono de um banco,  o Banco XP, que na sexta-feira passada recebeu autorização do BC para atuar com as carteiras comercial, de investimento e de câmbio.

PAZ, amor e bons negócios;

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: rb@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário