R.B. 5/SET/19 "Aliada da organização criminosa petista"



"Aliada da organização criminosa petista"

São Paulo, 5 de setembro de 2019 (QUINTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve voltar a subir, beneficiada pela redução das tensões comerciais globais, pela alta das commodities, pela gradativa melhora das perspectivas econômicas para o Brasil e pelo avanço da reforma da Previdência na CCJ do Senado e (2) o DÓLAR pode voltar a cair, com “boas chances” de fechar o mês abaixo dos R$ 4,00, acompanhando a esperada manutenção do “humor positivo” na bolsa tupiniquim e influenciado pelo fluxo positivo de recursos externos oriundos de exportações, captações e investimentos.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 1,5%, recuperando o patamar dos 100.000pts, para fechar o dia aos 101.201pts, acompanhando a melhora do “humor” nas principais bolsas mundiais, impulsionada pela valorização das commodities e beneficiada pelo aumento das “apostas” de corte da taxa básica de juros e de recuperação da economia tupiniquim e (2) o DÓLAR caiu -1,8% à R$ 4,10, para fechar o dia registrando a maior baixa percentual desde 8/OUT/18, seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana e influenciado pelos leilões de venda do BC.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 0,1% e China 0,9%, beneficiadas pela divulgação de dados econômicos animadores, pela redução das tensões comerciais entre Pequim e Washington e pela retirada de uma polêmica lei de extradição que motivou amplas manifestações populares em Hong Kong, (2) da EUROPA, Inglaterra 0,6%, França 1,2% e Alemanha 1,0%, impulsionadas pelo risco menor de uma saída do Reino Unido da União Europeia sem acordo e também pela valorização das commodities e (3) dos EUA, seguindo a melhora do “humor” nas demais bolsas mundiais, S&P 1,1%, DJ 0,9% e NASDAQ 1,3%, também influenciadas positivamente pelo aumento das “apostas” de corte da taxa básica de juros do país na próxima reunião do FED (“Copom” local), que acontecerá em 2 semanas.

Acalmando e animando o mundo todo, os governos de EUA e China concordaram em realizar reuniões em nível ministerial em Washington nas próximas semanas, ressaltando que encontros de escalão inferior ocorrerão antes para preparar o terreno para um progresso significativo em direção do fim da “guerra comercial”.

Mostrando que a segunda maior economia do mundo está bem longe da recessão, o índice de gerentes de compras de serviços da China avançou de 51,6 em JUL/19 para 52,1 em AGO/19, atingindo o maior nível em 3 meses.

Prometendo manter a linha de atuação de Mario Draghi, a economista Christine Lagarde, que foi indicada para comandar do BC Europeu, afirmou que "é recomendável" manter uma política monetária "altamente acomodatícia" na zona do euro.

Indicando que está aprendendo na cartilha de Paulo Guedes, ontem o presidente Bolsonaro defendeu que seja preservado o teto de gastos públicos, afirmando que ceder nessa questão seria “abrir uma rachadura no casco do transatlântico” e ressaltando que é fundamental o Brasil reduzir despesas, combater fraudes e desperdícios.

Para o desespero dos vagabundos, dos picaretas e dos petistas, que as vezes são as mesmas pessoas, a reforma administrativa que será apresentada pelo governo Bolsonaro prevê, de forma bastante liberal e moderna, o fim da estabilidade para a maioria dos servidores públicos, uma drástica redução no número de carreiras, salários mais alinhados com o setor privado, rigorosa avaliação de desempenho e travas para as promoções.

Também dentro da reforma administrativa, cujo principal foco é economizar dinheiro público, Paulo Guedes e Salim Mattar querem eliminar o ministério do Turismo, o de Direitos Humanos e o do Desenvolvimento Regional.

Política:

Para desespero dos petistas, da imprensa socialista tupiniquim e dos bandidos, que muitas vezes são a mesma pessoa, atualmente 54% dos brasileiros consideram o trabalho de Sergio Moro, brilhante ministro da justiça, como bom ou ótimo.

Ontem, em mais uma vitória para o Brasil e para o governo Bolsonaro, a proposta de reforma da Previdência foi aprovada na comissão de Constituição e Justiça do Senado e agora o projeto segue para votação no plenário da Casa.

Linha auxiliar da organização criminosa petista, o PSOL, que é um partido de retardados e de bandidos, pediu ao STF para suspender a tramitação, na Câmara, do acordo de Alcântara, que permitirá que o Brasil alugue para os EUA sua base de lançamento de foguetes.

Perdendo a razão ao dizer coisas certas de maneira grosseira, o presidente Bolsonaro lembrou à Michele Bachelet que o Chile só não virou “uma Cuba” porque o regime militar imposto por Pinochet tirou do poder socialistas como o pai dela, Alberto Bachelet, que morreu em 1974 em consequência de torturas.

Pressionado pela opinião pública, Bolsonaro, mesmo sabendo que pode arrumar confusão com os picaretas do Congresso Nacional, resolveu vetar 36 dos 108 dispositivos da nefasta Lei de Abuso de Autoridade.

Corajoso, inteligente e brilhante, o vereador paulistano Fernando Holiday, que foi eleito pelo DEM e é fundador do MBL, irritou seus colegas da Câmara Municipal de SP ao voltar a dizer, coberto de razão, que "vereadores não trabalham".

Ao dizer que, se fosse Sergio Moro pedira demissão, o ex-presidente FHC esqueceu de dizer também que se Sergio Moro fosse ele certamente a Lava Jato nem existiria.

Finalmente fazendo o que se espera dela, Raquel Dodge, procuradora-geral da República cujo mandato termina este mês, protocolou uma manifestação contrária à nefasta decisão do ministro Gilmar Mendes, do STF, que tirou o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega da Lava Jato no Paraná.

Crítica:

Deixando claro que é “aliada da organização criminosa petista”, 1 dia após reclamar que policiais brasileiros estão matando bandidos, “esquecendo-se” de dizer que neste ano os assassinatos caíram -20% no Brasil, Michelle Bachelet, socialista e ex-presidente que arrumou uma boquinha na ONU, convidou Ana Estela Haddad, esposa do poste do presidiário de Curitiba, para integrar uma rede internacional de proteção à primeira infância na América Latina.

Em defesa da soberania brasileira, algo que aliás é uma obrigação para o presidente tupiniquim, Bolsonaro disse que o Brasil é um país pacífico, mas não pode continuar passivo a ataques de nações estrangeiras, em uma referência ao presidente francês, Emmanuel Macron, e a ex-presidente do Chile, Michele Bachelet.

PAZ, amor e bons negócios;

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: rb@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário