R.B. 13/JUN/19 "Vagabundos, safados e formadores de fracassados socialistas de iPhone"



"Vagabundos, safados e formadores de fracassados socialistas de iPhone"

São Paulo, 13 de junho de 2019 (QUINTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, tentando recuperar as perdas do pregão anterior, beneficiada pelos sinais de avança da reforma da Previdência, impulsionada pela valorização das commodities e acompanhando o movimento ascendentes das principais bolsas mundiais e (2) o DÓLAR pode cair, acompanhando a esperada melhora do "humor" na bolsa tupiniquim e influenciada pelo fluxo positivo de recursos externos.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -0,6%, devolvendo os ganhos da abertura, quando na máxima avançou 0,3%, prejudicada pelas perdas das bolsas de NY e em um movimento de cautela na véspera da apresentação do relatório da reforma da Previdência na comissão especial da Câmara e (2) o DÓLAR subiu 0,4% à R$ 3,87, também revertendo o movimento da abertura, quando chegou a recuar para R$ 3,83, diante da piora do "humor" na bolsa tupiniquim e da trajetória internacional da moeda norte-americana.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão -0,4% e China -0,6%, em um movimento de realização de lucros, já que Trump, presidente norte-americano e CPT do mundo, voltou a defender o uso de tarifas como parte de sua estratégia comercial e disse que não avançará nas negociações com o governo chinês a menos que Pequim ceda em quatro ou cinco "grandes pontos" que ele não especificou, (2) da EUROPA, Inglaterra -0,4%, França -0,6% e Alemanha -0,3%, com os investidores avessos a risco após novas tensões entre os EUA e a China, no contexto da guerra comercial, o que derrubou principalmente as ações dos bancos, como Barclays (-1,1%), HSBC (-1,1%), Société Générale (-2,0%) e Santander (-0,9%) e (3) dos EUA, S&P -0,2%, DJ -0,2% e NASDAQ -0,4%, com destaques negativos para as ações do setor industrial, como Boeing (-0,7%) e Catterpillar (-0,8%) e com a queda dos preços do petróleo, que reagiram negativamente ao aumento do volume estocado da commodity no país, derrubando as ações da Chevron (-0,8%) e da ExxonMobil (-1,1%).

Cada mais calando a boca dos socialistas, da imprensa e da política, Trump, presidente dos EUA e CPT do mundo, comemorou que sua estratégia comercial, baseada na aplicação de tarifas, não tem afetado a inflação norte-americana e estão trazendo bilhões para o seu país.

Na manhã de ontem, após jantarem com o presidente Bolsonaro e com o ministro Paulo Guedes, os cerca de 50 maiores empresários do país comemoravam a postura assertiva da dupla em relação ao choque liberal e a abertura para ouvir as ideias apresentadas.

Reduzindo o tamanho do Estado e sua participação na economia, a Caixa Econômica Federal anunciou ontem a devolução de R$ 3bi ao Tesouro Nacional, medida que tem impacto positivo sobre a dívida pública do país.

Brilhante e corajoso, ao não ceder para os babacas das ONGs, Ricardo Salles, ministro do Meio Ambiente, afirmou que as negociações com a Alemanha e a Noruega em torno da gestão dos recursos bilionários do Fundo Amazônia seguem normalmente.

Calando a boca dos eco-chatos e das ONGs vagabundas, Theo van der Loo, presidente da Bayer no Brasil, ressaltou que o país não é o que mais usa defensivos agrícolas se for considerado o uso por hectare e principalmente se for considerado que temos até 3 safras por ano.

Dando mais um sinal positivo da economia tupiniquim, em ABR/19 as vendas do comercio varejista do país cresceram 1,7% na comparação com ABR/18, acumulando com isto uma alta de 1,4% nos últimos 12 meses.

Aproveitando para informar que não respeitará mais o prazo mínimo de 15 dias para mexer no preço do diesel, regra estabelecida em meio a crescentes ameaças de greve de caminhoneiros em MAR/19, a Petrobrás anunciou uma redução de -4,6% no preço do diesel, o que ajuda no controle da inflação.

-    O Facebook caiu -1,7%, reagindo a rumores de que a companhia teria descoberto e-mails que sugerem uma conexão do CEO da empresa, Mark Zuckerberg, com práticas de privacidade potencialmente "problemáticas".

Política:

Ontem, ao lado de Bolsonaro, o brilhante ministro Sergio Moro foi aplaudido de pé por milhares de pessoas em um estádio de futebol, algo que é muito raro no país e que comprova que, apesar dos ataques da nefasta imprensa socialista e dos bandidos da organização criminosa petista, o Brasil majoritariamente apoia o juiz responsável por prender Lula, o maior bandido da história tupiniquim.

Como queria o nefasto deputado Paulinho da Força, dono do partido de aluguel solidariedade que alertou que uma reforma da Previdência muito boa poderia facilitar uma eventual reeleição de Bolsonaro, Rodrigo Maia, o nefasto presidente da Câmara, e Samuel Moreira, relator da proposta, anunciaram a saída do regime de capitalização e os artigos que permitiriam mudanças nas regras de aposentadorias por projeto de lei complementar, o que reduzirá a economia aos cofres públicos de R$ 1,2tri para R$ 800bi em 10 anos.

Impedido de governar, Bolsonaro, após sofrer derrota no STF, deve enviar um projeto de lei ao Congresso para extinguir uma série de órgãos colegiados da administração pública federal, como conselhos, comitês e comissões.

Comandada pelo nefasto Gilmar Mendes, um grupo de ministros do STF quer anular os julgamentos de Moro, usando as conversas obtidas ilegalmente por um hacker como prova e motivo para soltar Lula e inclusive devolver ao referido canalha os direitos políticos.

Reduzindo a alegria dos corruptos e bandidos, Edson Fachin, ministro do Supremo Tribunal Federal, afirmou não ver riscos à Lava Jato devido à divulgação de conversas entre Moro e o procurador Deltan Dallagnol.

A procuradora da República Thaméa Danelon, que foi chefe durante 3 meses do braço paulista da Operação Lava Jato, afirmou que, se verdadeiras, as conversas divulgadas de Sergio Moro com integrantes da força-tarefa em Curitiba são "absolutamente normais" e fazem "parte do mundo jurídico".

O que mais impressiona nos diálogos completos vazados pelos hackers socialistas do Intercept é uma certa frieza cerimoniosa no trato entre Deltan Dallagnol e Sergio Moro, que simplesmente dá as orientações que tem de dar em benefício da instrução criminal.

Crítica:

Causídico preferido dos bandidos ricos e importantes, Gilmar Mendes, ministro do STF, suspendeu ontem as quebras de sigilo fiscal e bancário de Fábio Schvartsman, ex-presidente da Vale e responsável direto pelo assassinato de cerca de 250 pessoas em Brumadinho.

Corrupto, comparsa de Lula e mais falso que uma nota de R$ 3,00, o banco Santander, desrespeitando a lei da cidade limpa, colocou uma placa gigante no alto de prédios próximos ao shopping JK Iguatemi, na marginal Pinheiros, em SP.

Com o estado democrático de direito finalmente prevalecendo no Brasil, ontem o Tribunal Superior do Trabalho deu aos bancos o direito de requisitar à Justiça o uso de força policial ou segurança privada para evitar piquetes ou invasões de agências durante greves.

"Vagabundos, safados e formadores de fracassados socialistas de iPhone", os professores de cerca de 33 escolas particulares de SP, inclusive o cada dia mais vergonhoso colégio Santa Cruz, decidiram fazer greve amanhã, convocando seus alunos para marcharem, ao lado da organização criminosa petista, contra a reforma da Previdência e pela soltura de Lula.

PAZ, amor e bons negócios;

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: rb@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário