R.B. 18/DEZ/18 "As garotas mais disputadas do baile"



"As garotas mais disputadas do baile"

São Paulo, 18 de dezembro de 2018 (TERÇA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em queda, novamente acompanhando as perdas das demais bolsas mundiais e prejudicada pelo recuo das commodities, porem deve-se ressaltar que o patamar é interessante para compraras, principalmente para quem acredita no sucesso do governo Bolsonaro e (2) o DÓLAR pode subir, influenciado pelo esperado “humor negativo” na bolsa tupiniquim e pela expectativa de elevação dos juros nos EUA.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -1,2%, revertendo uma abertura positiva, quando na máxima avançou 0,4%, prejudicada pela piora do “humor” nas bolsas de NY e pelo recuo das commodities e com destaques de queda para as ações dos bancos, como Itaú (-2,7%) e Bradesco (-1,9%) e (2) o DÓLAR caiu -0,2% à R$ 3,90, seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana e influenciado por um leilão de venda do BC, após um pregão marcado pela forte volatilidade, com mínima a R$ 3,87 e máxima a R$ 3,93, e baixo volume de negócios.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 0,6% e China 0,2%, apagando parte das fortes quedas do pregão anterior, sustentadas por papéis de bancos e do setor imobiliário, (2) da EUROPA, Inglaterra -1,1%, França -1,1% e Alemanha -0,9%, prejudicadas por visões mais cautelosas sobre a trajetória do crescimento econômico do mundo e com destaques de queda para ações de empresas do setor de energia, como BP (-0,8%), E.ON (-2,8%) e Total (-1,0%), diante do recuo do petróleo e (3) dos EUA, com o S&P recuando ao menor patamar desde OUT/17, S&P -2,1%, DJ -2,1% e NASDAQ -2,3%, com destaques de queda para as ações dos bancos, diante de novos receios de recessão econômica no país, reforçados após a divulgação de que o índice de atividade e o índice de confiança recuaram mais do que o esperado pelo “mercado”.

Hoje começa a reunião do FED (“Copom” dos EUA) e, apesar do apelo de Trump, é amplamente esperado mais uma alta de juros nos EUA e, por isso, o foco principal do “mercado” será ver como o comunicado final da reunião vai incorporar as mudanças de tom nas declarações recentes dos dirigentes do BC norte-americano, que passaram a adotar postura mais favorável a juros baixos, em meio a preocupações com a desaceleração da economia mundial.

Cada semana um pouquinho mais otimista, o “mercado”, (1) reduziu, desta vez de 7,25% para 7,00%, suas “apostas” para a taxa básica de juros no final de 2019, (2) elevou, de 2,53% para 2,55%, suas projeções para o crescimento da economia em 2019 e (3) manteve em 4,07% suas previsões para a inflação medida pelo IPCA no ano que vem, patamar abaixo do centro da meta (4,25%).

“Apostando” que a administração Bolsonaro está comprometida em implementar mudanças microeconômicas que vão ajudar a atividade econômica e o desenvolvimento do País, Alejo Czerwonko, estrategista do UBS, afirmou que o Brasil crescerá 3% em 2019.

De acordo com um estudo do Ipea, coordenado por dois economistas que hoje participam da equipe de transição do governo Bolsonaro, as modalidades de alíquota de imposto de renda para empresas, que atualmente são Lucro Real, Lucro Presumido e Simples, distorcem o mercado, precisam ser repensadas e unificadas para que, então, possa-se pensar em taxar lucros e dividendos.

Coberto de razão, Eduardo Vassimon, presidente do Itaú BBA, afirmou que está otimista com a aprovação da reforma da Previdência em 2019, ressaltando que ela é o ajuste fiscal que está faltando para elevar a confiança e estimular a economia.

Superando as “apostas do mercado”, que projetava uma retração de -0,2%, em OUT/18 o Índice de Atividade Econômica do BC registrou avanço de 0,02% na comparação com o mês anterior, com destaques positivos para a indústria extrativa (3,1%), máquinas e equipamentos (8,8%), veículos automotores, reboques e carrocerias (3,0%) e bebidas (8,6%).

Ainda tratados pela CVM como “participantes de segunda classe” do mercado de capitais tupiniquim, os Agentes Autônomos de Investimentos, que foram responsáveis diretos pelo sucesso da maior corretora de valores do Brasil, são atualmente “as garotas mais disputadas do baile” pelas principais instituições financeiras do país, como XP, Órama, Guide, Genial, Uniletra, BTG e Agora.

-    A Embraer subiu 2,5% já que ontem, após 1 ano de negociação e alguns percalços da insegurança jurídica tupiniquim, a Boeing fechou os termos da compra de 80% da área de aviação civil da referida empresa brasileira e com isto os norte-americanos pagarão US$ 4,2bi aos brasileiros, valor US$ 400mi superior ao previsto inicialmente.

Política:

Ascendendo velas para o Deus e para o Capeta para tentar se manter fora da cadeia a partir de 1/JAN/19, Temer, que na semana passada falou que certamente Bolsonaro fará um bom governo, afirmou ontem que Dilma é “uma senhora honesta e correta”.

Indicando que em seu governo “a escola vai voltar a educar”, Bolsonaro, ao inaugurar um colégio militar na Baixada Fluminense, afirmou escolas militares tornam-se referência de ensino, principalmente por prezarem pela disciplina e hierarquia.

Começando seu governo de forma mais profissional que os antecessores, os 22 ministros de Bolsonaro apresentarão amanhã, na sua primeira reunião com sua equipe completa, suas metas com objetivos de curto, médio e longo prazo.

Cedendo às pressões de quem quer dividir a sociedade brasileira em grupos, a futura ministra Damares Alves acaba de informar que o governo de Bolsonaro manterá a maldita Secretaria Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, que continuará com a mesma nomenclatura.

Com o objetivo “nada oculto” de soltar Lula, Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal, marcou para o dia 10/ABR/19 o julgamento das ações que vão discutir de forma definitiva a possibilidade de prender condenados em segunda instância.

Cumprindo aquilo que era esperado por quem lhe colocou lá, Lewandowski, ministro do STF, mandou arquivar o inquérito sobre a participação do senador José Pimentel, do PT cearense, em crimes investigados na Operação Zelotes.

Criando problemas entre os eleitores mais à direita de Bolsonaro, com o placar apontando já 3 votos favoráveis, Dias Toffoli decidiu que o julgamento no STF que pode descriminalizar o porte de maconha será retomado no dia 5/JUN/19.

Crítica:

Segundo a imprensa socialista tupiniquim, foi um “gesto deselegante” Bolsonaro desconvidar os ditadores de Cuba e da Venezuela para sua posse, porem o correto será quando o futuro presidente tupiniquim cortar relações comerciais com estes 2 paisecos bolivarianos.

Em nome da soberania nacional, que está nas terras, nas águas e até nos impostos, mas nunca em uma porcaria de uma empresa estatal, Bolsonaro deve rever a criação da reserva Raposa Serra do Sol, que toma boa parte do território de Roraima.

PAZ, amor e bons negócios;

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: rb@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário