R.B. 17/DEZ/18 "Exalando otimismo por todos os lados"



"Exalando otimismo por todos os lados"

São Paulo, 17 de dezembro de 2018 (SEGUNDA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, tentando iniciar, mesmo que tardiamente, um rally de final de ano, beneficiada pela valorização das commodities e impulsionada pelas perspectivas positivas para o governo Bolsonaro, que será o primeiro de direita do país desde 1988 e (2) o DÓLAR pode cair, seguindo a esperada melhora do “humor” na bolsa tupiniquim e influenciado pelas expectativas de aumento do fluxo positivo de recursos externos oriundos de exportações, captações e investimentos.

Sexta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -0,4%, realizando lucros após 3 pregões seguidos de alta, acompanhando a nova piora do “humor” nas principais bolsas mundiais e prejudicada pelo recuo das commodities, diante da divulgação de dados apontando para a fraqueza da economia chinesa e (2) o DÓLAR subiu 0,6% à R$ 3,91, retomando o patamar dos R$ 3,90, seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana e influenciado pela inesperada elevação da taxa de juros na Rússia.

Também sexta-feira, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão -2,0%, com destaques de queda para as ações do setor de tecnologia e China -1,5%, prejudicada pela divulgação de dados decepcionantes da economia local, como a produção industrial que em NOV/18 subiu 5,4%, patamar abaixo do previsto (5,9%), (2) da EUROPA, Inglaterra -0,5%, França -0,9% e Alemanha -0,5%, influenciadas negativamente por um quadro de maior cautela com a economia pelo mundo, que foi reforçado após o BC alemão reduzir suas projeções de crescimento do país neste e no próximo ano e (3) dos EUA, em um dia de fortes perdas, S&P -1,9%, DJ -2,0% e NASDAQ -2,3%, pressionadas por uma combinação de decepção com a economia mundial e de bons resultados da economia local, que continuaram a dar aval ao processo de aperto monetário do FED (“BC” norte-americano).

Querendo “ver para crer”, principalmente no tocante às privatizações, a agencia de classificação de risco Fitch avalia que é “desafiadora” a meta do governo Bolsonaro de obter superávit primário das contas públicas tupiniquins em 2 anos.

“Exalando otimismo por todos os lados”, o Bradesco, que “avisou” que está preparando sua corretora Agora para brigar de igual para igual com a XP, divulgou na sexta-feira um relatório no qual “aposta” que em 2019 a bolsa brasileira receberá cerca de US$ 100bi em recursos externos.

Desde 2016, companhias chinesas investiram cerca de R$ 90bi no Brasil, principalmente nas áreas de energia elétrica, óleo e gás e agora estes grupos planejam dar os primeiros passos no setor de saneamento básico, com negociações já avançadas nos segmentos de água, esgoto e resíduos.

Muito mais torcendo, posto que obviamente não quer concorrência, do que analisando, Octavio de Lazari Junior, presidente do Banco Bradesco, afirmou que acha muito difícil que Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal sejam privatizados pelo futuro governo Bolsonaro.

Nanico da diplomacia global, o Brasil, como um moleque mimado que não consegue resolver seus problemas sozinho, fez uma petição na Organização Mundial de Comércio para reclamar dos subsídios entregues à fabricante canadense de aviões e trens Bombardier pelos governos do Canadá e da província de Quebec.

Bolsonaro decidiu que fará seu primeiro pronunciamento à comunidade internacional no Fórum Econômico de Davos, no final de JAN/19, quando pretende anunciar a revisão no acordo do Mercosul antes de avançar nas negociações com a União Europeia.

Dando mais liberdade e opções e reduzindo o domínio que os granes bancos tupiniquins ainda tem no setor, o fim da taxa cobrada por bancos a cada aplicação ou resgate em planos de previdência, conhecida como taxa de carregamento, começa a estimular a migração de investidores que buscam produtos mais rentáveis.

Política:

Covil de bandidos, a Assembleia Legislativa de SP aprovou, no apagar das luzes de 2018, um projeto que autoriza o governo a criar o Programa de Incentivo à Demissão Voluntária para os servidores celetistas que receberão uma indenização equivalente a 80% de seu salário por 23 anos.

Fazendo de tudo para ganhar a simpatia de Bolsonaro, o presidente Temer, que se existir justiça no Brasil deveria ser preso no dia 2/JAN/19, assinou na sexta-feira um decreto determinando a extradição do terrorista italiano Cesare Battisti, que obviamente já está foragido.

Complicando cada dia mais a vida do maior bandido da história do Brasil, Lula, líder da organização criminosa petista que já está preso em Curitiba, se tornou novamente réu, desta vez sob acusação de lavagem de dinheiro em um processo da Lava Jato em SP.

Tucano de carteirinha, Luiz Carlos Mendonça de Barros afirmou que o governo Bolsonaro tem todas as condições iniciais para dar certo pois (1) começa em um ponto do ciclo econômico de curto prazo extremamente favorável, (2) sem a ocorrência de uma verdadeira catástrofe nos mercados externos de capitais, a taxa de câmbio deve ficar no intervalo de R$ 3,50 e R$ 3,80 e (3) a combinação entre crescimento econômico e apoio da população é suficiente para que a equipe do presidente possa, pelo menos inicialmente, encaminhar a questão da reforma da previdência.

“Com licença para mentir”, os ministros do STF espalharam que o aumento abusivo de seus salários seria compensado pelo fim do auxílio-moradia, porem amanhã, na última sessão do ano, o CNJ vai aprovar a volta dessa mordomia, desmontando a farsa.

Mesmo sem aval de Bolsonaro, Paulo Guedes, preocupado com a tramitação da Reforma da Previdência no Congresso, já começou a trabalhar pela reeleição de Rodrigo Maia, do DEM, à presidência da Câmara.

Em resposta à Lula, que escreveu uma carta lamentando a saída dos médicos cubanos do país, Bolsonaro afirmou que as informações estão chegando erradas na cadeia, já que foi Cuba que retirou os médicos por recusar-se a pagar salário integral a eles.

Crítica:

Indicando que “a batata do ditador venezuelano está assando”, o diretor do jornal El Nacional, que parou de circular por falta de papel, “avisou” que o regime de Nicolás Maduro está se fragmentando por dentro, pois as Forças Armadas já têm um setor rebelado e atualmente já existem 250 oficiais de médio e alto escalão presos.

Principalmente “exportando” mão-de-obra qualificada, que busca uma vida melhor em países de primeiro mundo, e importando gente desqualificada, que luta pela vida e foge da ditadura venezuelana, em 2018 o fluxo migratório no Brasil será negativo, o que significa que mais brasileiros foram morar em outras nações do que estrangeiros chegaram para viver no país.

PAZ, amor e bons negócios;

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: rb@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário