R.B. 26/NOV/18 "Como se o dinheiro fosse dela"



"Como se o dinheiro fosse dela"

São Paulo, 26 de novembro de 2018 (SEGUNDA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, iniciando um movimento de recuperação de perdas acumuladas na semana passada (-2,6%), beneficiada pela valorização das commodities e pela melhora do "humor" nas principais bolsas mundiais e (2) o DÓLAR pode cair, em um "ajuste técnico" após fechar a semana passada acumulando a maior valorização semanal (2,2%) desde AGO/18, influenciado pela expectativa de aumento do fluxo positivo de recursos externos oriundos de exportações, captações e "investimentos".

Sexta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -1,4%, para fechar o dia ao 86.230pts, prejudicada principalmente pelo forte recuo das commodities, que derrubou Petrobrás (-3,1%) e Vale (-6,8%) e com bom volume de negócios (R$ 12,6bi) para um dia de meio feriado em NY e (2) o DÓLAR subiu 0,4% à R$ 3,82, acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana, diante do aumento dos temores de desaceleração da economia mundial.

Também sexta-feira, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão não teve pregão por conta de feriado nacional e China -2,5%, com destaques de queda para as ações do setor de tecnologia, em meio a preocupações renovadas com a atual disputa comercial entre Pequim e Washington, (2) da EUROPA, sem uma tendência única, Inglaterra -0,1%, França 0,2% e Alemanha 0,5%, divididas entre a forte queda do petróleo, que pressionou as ações do setor de energia, e a divulgação de indicadores um pouco melhores do que o esperado da economia alemã e (3) dos EUA, em uma sessão reduzida por causa do feriado de ontem do Dia de Ação de Graças, S&P -0,7%, DJ -0,7% e NASDAQ -0,5%, com destaques de queda para as ações do setores de energia, financeiro, de tecnologia e de serviços de comunicação, diante do maior temor sobre a trajetória da economia global.

Em mais um capítulo da sua "guerra comercial" contra a China, os EUA estão tentando convencer países aliados, como Alemanha, Japão e Itália, a deixar de usar equipamentos de telecomunicações da gigante de tecnologia chinesa Huawei, devido a possíveis riscos à segurança cibernética.

"Coberto de razão", Paulo Guedes, futuro chefe da economia no governo Bolsonaro, afirmou, durante o 4º Congresso Nacional do MBL, que desde o governo Sarney o Brasil se tornou prisioneiro de uma armadilha social-democrata do baixo crescimento, o que foi um "inferno para os empreendedores e o paraíso dos rentistas".

Levando em consideração o potencial de crescimento econômico mais robusto em 2019 e a disposição do novo governo de priorizar algumas reformas, como a da previdência, nas sugestões feitas por gestores de recursos e analistas de investimento "ganham força alternativas mais arriscadas", como as ações na bolsa brasileira, que segundo projeções pode atingir 100 mil pontos no ano que vem.

Exemplo de país que inspira a equipe econômica de Bolsonaro, o Chile deverá encerrar 2018 como a primeira nação da América do Sul a atingir uma renda per capita superior a US$ 25 mil em paridade do poder de compra, medida que considera diferenças de custo de vida entre os países.

"Como se o dinheiro fosse dela", a Caixa, ainda com mentalidade socialista, quer impedir que o Senado aprove o projeto de lei que autoriza o trabalhador a sacar o FGTS quando pede demissão, argumentando que a alteração pode enfraquecer o fundo.

Cerca de 1 semana após sacrificar um de seus maiores parceiros, denunciando-o na CVM "coincidentemente" no mesmo momento em que ele negociava uma parceria com o BTG, a corretora XP anunciou que estuda retomar o seu processo de abertura de capital na bolsa, porem desta vez em NY, o que deixará seus AAIs "chupando o dedo" e a bolsa tupiniquim, que faz tempo serve aos seus interesses, "a ver navios".

Indicando que a economia tupiniquim está saindo do fundo do poço, as vendas no comércio eletrônico na Black Friday 2018 do Brasil atingiram R$ 2,6bi, o que representa uma alta de 23% em relação a 2017 e superou as expectativas do setor.

Ressaltando que o cenário externo vai seguir mais desafiador e que o Brasil tem "múltiplos desafios", por conta de indicadores fiscais muito deteriorados e a dificuldade de se formar coalizões em um Congresso muito fragmentado, o banco Société Générale "avisou" que até MAR/19 o dólar vai atingir R$ 3,95 e que a moeda norte-americana fechará 2019 em R$ 4,10.

-    O Banco do Brasil subiu 0,8%, refletindo a boa recepção ao nome de Rubem Novaes para presidir a instituição, já que ele afirmou que braços do banco podem ser privatizados.

Política:

Mostrando cada dia mais maturidade, Kim Kataguiri, o jovem, brilhante e liberal deputado federal eleito por SP, afirmou que o tempo da política é mais lento do que o do anseio popular e, sem maioria parlamentar, o futuro presidente Bolsonaro vai enfrentar um desafio gigantesco para aprovar uma reforma previdenciária dificílima de ser comunicada à população.

Em sua primeira entrevista desde que perdeu a eleição para Bolsonaro, o petista Haddad, que se não for para a cadeia junto com Lula cairá no esquecimento junto com o PT, afirmou que não pretende dirigir a referida organização criminosa travestida de partido, e nem sua fundação, mas que militará pela formação de frentes em defesa dos direitos sociais e civis.

"Aliviado" com a vitória de Bolsonaro, na sexta-feira passada finalmente o juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal em Brasília, aceitou a denúncia contra os ex-presidentes Lula e Dilma, acusados de integrar organização criminosa no caso referente ao chamado "quadrilhão do PT" que, somente entre 2002 e 2016, rapinou R$ 1,5bi dos cofres públicos tupiniquins.

Candidato à reeleição à presidência da Câmara, o deputado democrata Rodrigo Maia prometeu que, independentemente da posição que for adotada por sua sigla diante do governo Bolsonaro, ele manterá atitude de isenção e distância regulamentar da nova administração.

Como a cúpula da sigla está sem qualquer ponte formal com a próxima gestão, o PR vai reunir amanhã a bancada que elegeu para a nova legislatura do Congresso para anunciar que decidiu liberar os parlamentares para votarem como bem entenderem os temas que vierem à reboque da nova administração.

Já em campanha velada pelo comando do Senado, Renan Calheiros, do PMDB, e Tasso Jereissati, do PSDB, se cruzaram semana passada quando o primeiro chegava e o segundo saía de um gabinete no qual buscavam, ambos, apoio à empreitada.

Em uma primeira ofensiva contra uma nova ascensão de Renan Calheiros à presidência do Senado, seu colega Lasier Martins, do PSD, apresentou na semana passada um projeto para estabelecer voto aberto na escolha do comando da Casa.

Mostrando fidelidade ao seu criador, Bruno Covas, prefeito de SP, disse que Doria, governador eleito de SP, já é a grande liderança do partido e que o ex-governador Alberto Goldman deve ser expulso da sigla.

Ressaltando que quer pessoas independentes, isentas, que sejam honestas e que pensem no Brasil e não em agremiação partidária, Bolsonaro, "quebrando as pernas" dos caciques partidários, voltou a defender o modelo de escolha de ministros por meio de acordos com bancadas, e não via partidos.

Deixando os bandidos de lado, a articulação para formar uma frente de esquerda sem o PT avança na Câmara e também no Senado e a intenção é criar um grupo que possa atuar de maneira independente do governo, sem que isso seja vinculado aos interesses de Lula.

O agrônomo Xico Graziano, que deixou o PSDB para apoiar Bolsonaro, e Rico Soavinski, ex-presidente do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, estão no páreo para comandar o Ministério do Meio Ambiente.

Complicando ainda mais a vida do líder da organização criminosa petista, em delação premiada à Polícia Federal, Palocci relatou a atuação de Lula para viabilizar o projeto de nacionalizar a indústria naval e arrecadar recursos para as campanhas do PT.

Depois de tentar incorporar quadros da Rede, o PPS começou a se aproximar também de tucanos insatisfeitos com o PSDB e no sábado Roberto Freire, presidente do partido, já se reuniu com Alberto Goldman.

De forma canalha, um grupo de parlamentares de partidos envolvidos nas investigações da Lava Jato, obviamente liderado pelo PT e pelo PMDB, pressiona o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, a colocar em votação nas próximas semanas projeto que altera as regras de execução penal no Brasil, afrouxando a punição a diversos crimes, incluindo os de colarinho branco.

Crítica:

Usadas para empregar companheiros e vagabundos, apenas nos últimos 5 anos as agências reguladoras cresceram 8% em número de servidores, com destaque negativo para a Ancine, de audiovisual, que teve alta de 31%.

Derrubando mais uma falácia da imprensa socialista tupiniquim, segundo dados oficiais do Ministério da Saúde, 96,6% das vagas abertas pela saída dos cubanos do programa Mais Médicos já foram preenchidas, o que tira dinheiro brasileiro das mãos da ditadura cubana.

Como o Brasil o estoque de idiotas é infinito, o PT está organizando um grupo de babacas para passar o Réveillon ao lado da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde Lula, ex-presidente, bandido e assassino, cumpre pena por corrupção e lavagem de dinheiro.

Dependendo apenas de Dias Toffoli para entrar na pauta, o ministro Alexandre de Moraes liberou para julgamento no STF a descriminalização do porte de maconha para uso pessoal.

PAZ, amor e bons negócios;

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: rb@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil


2 comentários: