R.B. 12/SET/18 "O maior especialista em fogo amigo do Brasil"



R.B.
"O maior especialista em fogo amigo do Brasil"

São Paulo, 12 de setembro de 2018 (QUARTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, recuperando uma parte das perdas do pregão anterior, novamente influenciada por uma pesquisa de intenções de voto para presidente, que desta vez mostrou chances menores de vitória da esquerda e (2) o DÓLAR pode cair, devolvendo parte da forte alta registrada na sessão anterior, acompanhando a esperada melhora do “humor” na bolsa tupiniquim e influenciado pelo fluxo positivo de recursos externos.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -2,3%, rompendo facilmente o “suporte” dos 75.000pts, para fechar o dia aos 74.656pts, alheia ao movimento ascendente das bolsas de NY e principalmente prejudicada pela divulgação da última pesquisa de intenções de voto para presidente, que mostrou Alckmin, o “queridinho”, empacado e Ciro Gomes, o mais detestado e temido pelo “mercado”, em segundo lugar e ganhando todas as simulações de segundo turno e (2) o DÓLAR subiu 1,8% à R$ 4,15, para fechar o dia no segundo maior patamar desde a criação do plano real, em 1994, influenciado pelos mesmos motivos que derrubaram a bolsa tupiniquim e também impulsionado pela trajetória internacional da moeda norte-americana.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, sem uma tendência única, Japão 1,3%, recuperando parte das perdas causadas pelos desastres naturais ocorridos na semana anterior e China -0,2%, ainda com o comércio global no radar, (2) da EUROPA, Inglaterra -0,1%, França 0,3% e Alemanha -0,1%, com as atenções divididas entre as tensões comerciais entre EUA e China, o anúncio de que um acordo entre o Reino Unido e a União Europeia para o Brexit em 8 semanas é "factível", a divulgação de que a fusão entre o Deutsche Bank e o Commerzbank é factível a queda maior que esperada da taxa de desemprego no Reino Unido e (3) dos EUA, recuperando as perdas da abertura, S&P 0,4%, DJ 0,4% e NASDAQ 0,6%, com destaques de alta para as empresas dos setores de petróleo e tecnologia, diante dos sinais cada dia mais positivos da economia do país e do anúncio de avanços na negociações com o Canadá.

Aumentando a irrelevância de um organismo socialista, corporativista e principalmente improdutivo, ontem a Organização Mundial de Comércio, que é comandada pelo brasileiro Roberto Azevêdo, confirmou que atenderá ao pedido da China para que o país obtenha permissão de impor sanções contra os EUA por não cumprirem medidas antidumping da entidade internacional.

Para tentar fazer oposição aos EUA, Xi Jinping, o presidente chinês, disse ontem que a Rússia e a China deveriam trabalhar juntas na oposição ao protecionismo comercial e o que ele chamou de abordagens unilaterais para problemas internacionais.

Segundo Bernardo Monteiro, analista da Coordenação de Indústria do IBGE, o cenário de elevadas incertezas e baixas expectativas de produtores e consumidores explica o mau desempenho do parque industrial de SP, o principal do País, que na passagem de JUN/18 para JUL/18 registrou uma queda de -1,1% na sua produção.

Apesar de investir na tecnologia nuclear, que é a mais segura, limpa, barata, inesgotável e eficiente forma de geração de energia, o governo tupiniquim tem estudado uma medida para impulsionar a geração de energia por usinas movidas à biomassa, principalmente de cana-de-açúcar, o que poderia reduzir a necessidade de acionar termelétricas, que são mais caras e supostamente mais poluentes.

Ainda cobrando do “consumidor otário tupiniquim” a conta da irresponsável e terrorista greve dos caminhoneiros, que levou ao anticapitalista tabelamento do frete e congelamento do diesel, o preço da gasolina na maioria dos postos de SP já supera os R$ 5,00.

Impulsionada principalmente pela categoria saúde, com alta de 0,97%, a inflação de SP medida pelo o IPC-FIPE avançou 0,40% na 1ª quadrissemana de SET/18, patamar levemente inferior ao auferido no mesmo período de AGO/18 (0,41%).

Mesmo com a “guerra comercial” dos EUA com a China, que beneficia o Brasil, e com forte alta do dólar, que já avançou 25,5% no ano e assim deveria estimular as exportações tupiniquins e reduzir as importações, até o final da semana passada a balança comercial brasileira acumulava um saldo positivo de US$ 38,8bi, o que representa uma queda de -19,7% em relação ao mesmo período de 2017.

-    A Apple saltou 2,5% na bolsa de NY, com os investidores animados antes do anúncio que a empresa fará amanhã sobre novos produtos e depois que o UBS elevou o preço alvo da ação de US$ 215 para US$ 250.

Política:

Certamente acalmando bastante o “mercado”, na pesquisa divulgada ontem (1) Bolsonaro, praticamente garantido no segundo turno e também com chances de vitória no primeiro, subiu fora da margem de erro de 22% para 26%, (2) Ciro, perdendo votos para o PT, caiu de 12% para 11%, (3) Marina, perdendo força, recuou de 12% para 9%, (4) Alckmin, que não empolga ninguém mesmo com quase 50% do tempo da TV, manteve os 9% da pesquisa anterior e (5) Haddad, agora oficialmente o candidato do PT, subiu de 6% para 8%.

No pelotão de baixo da disputa, os candidatos Alvaro Dias, que tenta posar de diferente, Meirelles, que já torrou R$ 40 milhões do próprio bolso, e Amoêdo, que representa uma nova forma de fazer política e não usa dinheiro público na campanha, aparecem empatados com 3% cada.

Apesar de ser chamado de racista por seus opositores e pela grande maioria da imprensa, segundo a pesquisa divulgada ontem Bolsonaro lidera entre os brasileiros que se dizem pretos ou pardos, com 22% das intenções de voto, o que representa quase o dobro do segundo colocado, que é Ciro com 12%.

Saindo na frente na batalha pelos votos dos vagabundos da esquerda, Ciro, o candidato do PDT a presidente, conseguiu o apoio de quatro das 5 maiores centrais sindicais Força, UGT, CSB e Nova Central, que deram “bola nas costas” do PT.

Capitaneados por FHC, que é “o maior especialista em fogo amigo do Brasil”, dirigentes tucanos admitem que a oficialização de Haddad e a prisão do ex-governador tucano Beto Richa formaram um senhor pacote de más notícias para Alckmin, o presidenciável do PSDB que mesmo com quase 50% do tempo da TV, grande simpatia do “mercado” e apoio de boa parte da imprensa não consegue chegar a 10% das intenções de voto.

Conforme já esperado, ontem, certamente bastante contrariado, Lula finalmente “largou o osso” e oficializou que o petista Haddad, com a comunista Manuela como vice, serão os candidatos do PT à presidência nestas eleições.

Ontem, para o desespero dos socialistas, os ministros do Supremo Tribunal Federal rejeitaram, por 3 votos a 2, a denúncia da Procuradoria-Geral da República contra Bolsonaro, candidato a presidente pelo PSL, que foi acusado do crime de racismo em relação a quilombolas e refugiados.

Certamente a pessoa mais idiota e despreparada que ocupou a presidência do Brasil, Dilma, que é candidata ao Senado por MG e lidera as pesquisas de intenção de votos, já gastou em sua campanha, basicamente comprando votos, R$ 3,1 milhões, valor que supera o gasto por vários candidatos à presidente, como Marina, Ciro e Bolsonaro.

Colocando mais um tucano enrolado com a lei, hoje pela manhã a Polícia Federal fez buscas na casa e no gabinete do governador do Mato Grosso do Sul, o tucano Reinaldo Azambuja.

Crítica:

Mostrando empate técnico em quase todos os cenários da última pesquisa, as simulações de segundo turno agora não valem nada, pois os 2 presidenciáveis que tem mais tempo na TV estão em quarto (Alckmin) e quinto (Haddad) e podem não passar para o segundo turno, por isto o mais provável atualmente é o segundo turno entre Bolsonaro e Ciro ou Marina, quando os candidatos terão 1 mês para novas alianças, que aliás farão caírem as máscaras, e 50% do tempo de TV para cada lado.

PAZ, amor e bons negócios;

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: rb@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Um comentário: