R.B. 8/MAI/18 "Uma indignidade"



"Uma indignidade"

São Paulo, 8 de maio de 2018 (TERÇA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em queda, ampliando as perdas registradas nos 5 últimos pregões (-4,3%) e devolvendo mais uma parte dos fortes ganhos acumulados nos últimos 12 meses (26,2%), influenciada pela crescente piora do cenário político e econômico do país e desta vez também acompanhando a retração das commodities e das principais bolsas mundiais e (2) o DÓLAR pode voltar a subir, agora rumo aos R$ 3,60, ampliando a valorização acumulada no ano (7,2%), ainda impulsionado pelos mesmos motivos que devem derrubar a bolsa tupiniquim.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -0,5%, devolvendo os ganhos da abertura, quando na máxima avançou 0,6%, para fechar em território negativo pelo quinto pregão consecutivo, com baixo volume de negócios (R$ 7,7bi), na contramão do desempenho ascendente das principais bolsas mundiais e prejudicada principalmente pela crescente saída de investidores estrangeiros que, por conta do clima de indefinição política, retiraram mais de R$ -800mi da bolsa tupiniquim somente nos 2 primeiros dias de MAI/18 e (2) o DÓLAR subiu 0,8% à R$ 3,55, acompanhando a piora do “humor” da bolsa brasileira e seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana, mesmo diante dos leilões de venda do BC.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 0,2% e China 1,5%, seguindo o fechamento positivo das bolsas de NY na sexta-feira e também “animadas” pelos “rumores” de que o governo chinês anunciará medidas de apoio para empresas de manufatura, (2) da EUROPA, com baixo volume de negócios por conta do feriado na Inglaterra, França 0,3% e Alemanha 1,0%, beneficiadas pela valorização do petróleo, que atingiu o maior patamar desde 2014, e pela nova desvalorização do euro frente ao dólar, que beneficiou as exportadoras e (3) dos EUA, S&P 0,3%, DJ 0,4% e NASDAQ 0,8%, aliviadas pela melhora das perspectivas em torno das relações comerciais entre o país e a China e impulsionadas pelas ações das companhias de tecnologia, que divulgaram resultados melhores do que o esperado

Citando o relatório de empregos dos EUA, divulgado na sexta-feira, que mostrou que o desemprego no país caiu para 3,9%, o que representa um dos níveis mais baixos na era após a Segunda Guerra Mundial, Jim Lubin, presidente-executivo da Beacon Hill Private Wealth Management, afirmou que ainda permanece otimista com as ações neste ano e que qualquer recuo nos preços pode ser uma oportunidade de compra.

Animando os investidores do Velho Continente, Peter Praet, membro do conselho do BC Europeu, afirmou, em um discurso em Genebra, que um "amplo grau de estímulo monetário" ainda é necessário para que a inflação ganhe força e atinja no médio prazo a meta da instituição, de quase 2%.

Se rendendo aos poucos à realidade dos fatos, o “mercado” (1) reduziu, de 2,75% para 2,70%, suas “apostas” para o crescimento da economia brasileira neste ano e (2) manteve em 3,48% suas projeções para a inflação medida pelo IPCA em 2018.

Como há anos que o governo federal gasta bem mais do que arrecada, tomando empréstimos vultosos para financiar esta diferença, entre 2013 e 2017 a dívida pública tupiniquim subiu de 51,5% para 74% do PIB e, segundo projeções do Banco mundial, se nenhuma reforma for feita, ela ultrapassará 130% do PIB na próxima década.

Apesar de preocupar consumidores e poder gerar alguma pressão inflacionária, a disparada das cotações internacionais do petróleo tem ajudado estados e municípios tupiniquins em dificuldades, já que nos 4 primeiros meses deste ano a arrecadação com royalties subiu 23,4% na comparação com o mesmo período de 2017.

Com uma boa dose de razão, Marek Magierowski, vice-ministro de Relações Exteriores da Polônia, afirmou que a ausência de reciprocidade é o principal fator que vem emperrando as negociações entre Mercosul e União Europeia sobre um acordo de livre comércio.

Podendo causar um pouco de pressão inflacionária, ontem, após o fechamento do pregão, a Petrobras anunciou um reajuste de 7,1% no preço do gás de cozinha para uso industrial e comercial no país.

Considerada a segunda data do ano mais importante para o comercio tupiniquim, o Dia das Mães deste ano deve registrar, segundo as “apostas” Flávio Calife, economista da Boa Vista, vendas entre 4,5% e 5% maiores do que em 2017.

Superando o Itaú, que ficou com 10,44%, a Vale, com 11,36%, é agora a ação de maior peso individual do índice Ibovespa na carteira teórica que começou ontem a vigorar e que valerá até 31/AGO/18.

-    A Eletrobras despencou -8,1%, diante das dúvidas em relação ao avanço do projeto de privatização da estatal.

Política:

Como insiste da ideia idiota de manter o presidiário Lula como seu candidato à presidente, o PT começa a enfrentar problemas práticos, já que o partido deve ficar ausente de sabatinas e reportagens que veículos de comunicação começam a fazer com os pré-candidatos de todos os partidos.

Investigado em processos que envolvem o pagamento de propina ao PMDB de SP, o empresário e picareta José Yunes, um dos melhores amigos do presidente Temer, tem sido aconselhado a fazer delação premiada.

Em mais um sinal de que quer se aproximar de Alckmin, para garantir um induto presidencial caso o tucano seja eleito, ontem o presidente e futuro presidiário Temer convidou José Aníbal, do PSDB, para ser seu ministro da Secretaria-Geral da Presidência.

Perdendo muito votos e também uma boa oportunidade para ficar calado, ontem, durante almoço com empresários do setor de supermercados, Marcio França, governador de SP e candidato ao cargo pelo PSB, elogiou o presidente Temer, que estava ao seu lado, e “garantiu” que o referido peemedebista é uma pessoa idônea.

Segundo um lauto da Polícia Federal, elaborado a partir de novos arquivos entregues pela Odebrecht à Lava Jato, o advogado e picareta José Yunes, amigo do presidente e futuro presidiário Temer, recebeu propina de R$ 1mi da referida construtora.

Negando categoricamente qualquer aliança futura com os tucanos, o senador e presidenciável Alvaro Dias, do Podemos do PR, afirmou que o PSDB é sustentáculo do sistema ele está contestando.

Alvo de uma investigação no Supremo Tribunal Federal que apura irregularidades no decreto dos portos e também de 2 denúncias pelos crimes de obstrução da Justiça, organização criminosa e corrupção, o presidente e futuro presidiário Temer afirmou ontem que sua eventual prisão após fim do mandato seria “uma indignidade”.

Correto apenas ao dizer que é importante que o próximo presidente do Brasil coloque o PMDB na oposição, ontem, durante sua entrevista ao programa Roda Viva, Boulos, líder do grupo terrorista MST, puxa-saco do bandido do Lula e candidato à presidente pelo PSOL, “avisou”, sem explicar como, que se for eleito (1) obrigará os bancos a reduzirem os juros, (2) fará plebiscitos para consultar a sociedade sobre vários assuntos e (3) cobrará imposto de renda sobre dividendos.

Crítica:

Antro de corrupção, vagabundagem e ineficiência, os Correios, que mesmo usufruindo de monopólio consegue ter prejuízos recorrentes (R$ -1,5bi apenas em 2017), anunciou que fechará 513 agências, o que resultará em demissão de 5,3 mil funcionários.

PAZ, amor e bons negócios;

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: rb@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário