R.B. 2/ABR/18 "O Brasil, assim como a Índia, é um país que divide a população em castras"



"O Brasil, assim como a Índia, é um país que divide a população em castras"

São Paulo, 2 de abril de 2018 (SEGUNDA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve cair, mesmo com a valorização das commodities e o movimento ascendente das principais bolsas mundiais, em um movimento de cautela antes do julgamento do habeas corpus preventivo de Lula no STF e (2) o DÓLAR pode subir, ampliando os ganhos auferidos no mês passado (1,9%), influenciado pelo mesmo motivo que deve derrubar a bolsa tupiniquim e reduzir o fluxo positivo de recursos externos.

Quinta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 1,8%, beneficiada pela redução do compulsório e acompanhando o desempenho positivo das bolsas de NY, para retomar o patamar dos 85.000pts (aos 85.365pts) e assim fechar o primeiro trimestre do ano acumulando ganhos de 11,7% e (2) o DÓLAR caiu -0,8% à R$ 3,30, pressionado pelos leilões de venda do BC, acompanhando a melhora do “humor” na bolsa brasileira e seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana, em meio à disputa de investidores em torno da cotação de fechamento do mês.

Sexta-feira, nas principais bolsas da ÁSIA, Japão 1,4% e China 1,3%, ajustando-se ao bom desempenho das bolsas de Wall Street no dia anterior e reduzindo um pouco as perdas acumuladas ao longo de um primeiro trimestre problemático.

Também quinta-feira, nas principais bolsas, (1) da EUROPA, Inglaterra 0,2%, França 0,7% e Alemanha 1,3%, impulsionadas pela valorização das commodities, pela possibilidade de uma fusão entre a Renault (5,8%) e Nissan (-0,5%) e por dados de inflação abaixo do esperado na Alemanha e (2) dos EUA, S&P 1,4%, DJ 1,1% e NASDAQ 1,6%, revertendo parte das perdas registradas nas 2 sessões anteriores, em um movimento liderado pelas gigantes de tecnologia, como Facebook (4,4%), Netflix (3,3%), Microsoft (2,1%) e Google (3,2%).

Conforme já era de se esperar, a China anunciou que vai impor novas tarifas a 128 produtos norte-americanos, em retaliação aos impostos aprovados pelo presidente norte-americano Trump sobre as importações de aço e alumínio.

Diante de “rumores” de que o secretário-executivo do Ministério da Fazenda, Eduardo Guardia, deve ser o substituto do ministro Meirelles, aumentam as “apostas” de que as políticas econômica e monetária seguirão inalteradas.

Com o Copom se preparando para reduzir novamente a taxa básica de juros da economia brasileira, atualmente em 6,50%, na sua próxima reunião, o BC reduziu, de 4,00% para 3,80%, suas “apostas” para a inflação deste ano, alegando uma pressão menor dos preços no início deste ano.

Indicando mais uma vez que é “conversa fiada” a recuperação da economia tupiniquim, segundo dados oficiais do IBGE o desemprego no país voltou a crescer e ficou em 12,6% no trimestre entre DEZ/17 e FEV/18 e o número de trabalhadores com carteira assinada registrou retração de -1,8% em relação ao mesmo período de 2017.

As 6 distribuidoras de energia no Norte e Nordeste que a Eletrobras pretende vender antes da privatização da companhia inteira têm problemas maiores que algumas das potenciais interessadas previam inicialmente e com isto há grande risco de não haver ofertas para algumas.

Se preparando para novamente “meter o bedelho no livre mercado”, como é bastante comum na socialista economia tupiniquim, Ilan Goldfajn, presidente do BC, afirmou que, juntamente com a monopolista Febraban (Federação Brasileira dos Bancos), anunciará neste mês de ABR/18 mudanças no cheque especial, supostamente com o objetivo de reduzir as taxas de juros bancárias.

-    O Santander disparou 4,4%, o Bradesco avançou 2,6%, o Banco do Brasil ganhou 1,8% e o Itaú subiu 1,3%, “comemorando” a liberação de parte dos recursos que os bancos obrigatoriamente depositam no BC.
-    A Volkswagen subiu 4,4% na bolsa da Alemanha, diante de “rumores” de que a montadora pode fazer uma oferta inicial de ações de sua divisão de caminhões e ônibus.
-    A Swiss Reinssurance ganhou 2,2% na Bolsa de Zurique, após informações de que o SoftBank Group do Japão está disposto a adquirir 25% da empresa suíça.

Política:

Apesar das animosidades que enfrentou na região Sul do Brasil, Lula, desafiando a lei ao fazer propaganda eleitoral antecipada e ao criticar a justiça, anunciou que seguirá viajando pelo país e hoje estará no RJ para o lançamento da candidatura de Celso Amorim ao governo e para um ato de desagravo.

Ninguém dava crédito à candidatura de Temer, mas a prisão de amigos e laranjas do presidente, mesmo que já devidamente soltos pela justiça tupiniquim, dá uma degradação extra da sua imagem e faz com que seu caixão seja ainda mais difícil de carregar até as urnas, em particular para o PMDB.

Continuando a “dança das cadeiras” em seu governo, Temer confirmou ontem que o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, assumirá a presidência do BNDES e que o atual secretário-executivo da Pasta, Esteves Colnago, será promovido ao posto de ministro do Planejamento.

Provavelmente levando o PSDB para mais uma derrota em nível Nacional, que desta vez pode ser ainda mais humilhante caso ele não consiga nem ir para o segundo turno, Alckmin deixará o cargo de governador de SP para disputar a presidência do Brasil com apenas 28% de aprovação, o que representa a mais baixa popularidade que já experimentou e menos da metade do que ele tinha em 2006 (66%).

Rumo aos 6mil, porém com bem menos força do que as chantagens e ameaças que Lula certamente está fazendo aos membros da mais corte do país, 5mil membros do Ministério Público e juízes já assinaram a nota em defesa do encarceramento dos criminosos condenados em segundo grau.

Fiel da balança do julgamento que pode livrar Lula da cadeia e acabar com a operação Lava Jato, a ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal federal, já negou a liberdade a pelo menos 57 dos 58 condenados que recorreram à corte para se livrar da cadeia nos últimos 2 anos.

A soltura dos presos da operação Skala apenas 2 dias após a ação da PF fez com que ala do Planalto avaliasse a ofensiva como um efeito colateral do fogo cruzado no STF entre os ministros Luís Roberto Barroso e Gilmar Mendes.

Colhendo os “frutos podres” do o embate que resultou na escolha de João Doria como candidato do PSDB ao governo de SP, o partido corre risco de perder 5 de seus 19 deputados estaduais para o PSB do vice-governador Márcio França, adversário do tucano.

O PR, que manteve o controle do Ministério dos Transportes após se comprometer a dar suporte à candidatura que for abraçada pelo Planalto, continua mandando sinais a Bolsonaro, candidato à presidente pelo PSL, já que o mandachuva do partido, Valdemar Costa Neto, está muito impressionado com o desempenho do presidenciável de extrema direita nas pesquisas.

Aliados do ex-prefeito César Maia, do DEM, começam a dizer que não seria mau negócio ele assumir a vaga de vice em uma chapa ao governo do Rio encabeçada por Eduardo Paes, que vai se filiar ao PP.

Crítica:

Trabalhando em benefício dos vagabundos dos sindicatos tupiniquins, Carlos Cavalcante Lacerda, da Secretaria de Relações do Trabalho, do Ministério do Trabalho, defendeu a cobrança do imposto sindical de todos os trabalhadores de uma categoria após a aprovação em assembleia.

Comprovando mais uma vez que “o Brasil, assim como a Índia, é um país que divide a população em castras”, um conjunto de regras editadas durante e entre as ditaduras do Estado Novo (1937-1945) e militar (1964-1985) permite aos 11 ministros do Supremo Tribunal Federal 88 dias de descanso ao ano, além dos sábados e domingos, norma que se estende a todos os magistrados.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário