R.B. 17/ABR/18 "Pode mesmo ser um voo de galinha"



"Pode mesmo ser um voo de galinha"

São Paulo, 17 de abril de 2018 (TERÇA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em queda, com cada dia mais chances de fechar o ano próxima dos 70.000pts, acompanhando o recuo das commodities e prejudicada pela crescente piora das perspectivas econômicas e políticas para o Brasil e (2) o DÓLAR pode subir, recuperando as perdas do pregão anterior, impulsionado pelos mesmos motivos que devem derrubar a bolsa tupiniquim, pela ausência do BC na ponta vendedora e pela expectativa de redução do fluxo positivo de recursos externos.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -1,8%, para fechar o dia no menor patamar desde 9/FEV/18 (aos 82.861pts), pressionada pela “frustração” com o resultado da pesquisa de intenções de voto para presidente e pela redução das expectativas de crescimento da economia brasileira, mesmo diante do bom desempenho das bolsas de NY e (2) o DÓLAR caiu -0,4% à R$ 3,42, desconsiderando a piora do “humor” na bolsa tupiniquim e seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, sem uma tendência única, Japão 0,3%, sustentada pelo bom desempenho das farmacêuticas e China -1,5%, aguardando a divulgação de uma série de indicadores chineses relevantes, (2) da EUROPA, mesmo diante do bom desempenho das bolsas de NY, Inglaterra -0,9%, França -0,1% e Alemanha -0,4%, prejudicadas pelo recuo das commodities e com investidores e mercados digerindo a ação militar contra a Síria e (3) dos EUA, S&P 0,8%, DJ 0,9% e NASDAQ 0,7%, impulsionadas pela divulgação de bons resultados corporativos e pelo aumento das “apostas” de que o FED (“BC” local) não vai subir os juros do país rapidamente.

Com a demanda cada dia mais fraca e as perspectivas políticas/eleitorais piorando constantemente, o “mercado” reduziu pela décima primeira vez consecutiva, agora de 3,53% para 3,48%, suas “apostas” para a inflação medida pelo IPCA deste ano e também diminuiu pela terceira vez seguida, neste caso de 2,80% para 2,76%, suas previsões para o crescimento da economia brasileira em 2018.

Indicando que a suposta recuperação da economia tupiniquim “pode mesmo ser um voo de galinha”, em FEV/18 o Índice de Atividade Econômica do BC, que é uma espécie de prévia do PIB, cresceu apenas 0,09% na comparação com JAN/18 e 0,66% na comparação com FEV/17, desta vez prejudicado principalmente pelo setor de serviços, que é o que mais emprega no país.

Beneficiando, pela enésima vez, o setor da construção civil, que é o mais “queridinho por todos os políticos” e também o mais corrupto do país, a Caixa Econômica Federal, 100% controlada pelo governo, anunciou uma redução, de 10,25% para 9,00%, na taxa de juros para financiar a casa própria e o aumento, de 50% para 70%, do percentual do valor dos imóveis que pode ser financiado.

Ajudando a segurar os preços dos imóveis e provando mais uma vez a falta de educação financeira dos brasileiros, no primeiro trimestre de 2018, principalmente por conta do baixo patamar da taxa básica de juros, 35% das vendas de imóveis novos em SP foram feitas por pessoas que não tinham planos para viver no apartamento que adquiriram.

Ascendendo a luz amarela, após registrar um superávit de US$ 3,3bi nos 15 primeiros dias de ABR/18, com exportações recuando -02%e as importações aumentando 8,8%, em ambos os casos na comparação com o mesmo período de 2017, a balança comercial brasileira acumula um saldo positivo de US$ 17,3bi no ano, resultado que é -3,1% menor do que o verificado no mesmo período do ano passado.

“Praticamente enterrando o projeto”, o que já era esperado após Moreira Franco assumir o ministério de minas e energia, Carlos Marun, ministro da Secretaria de Governo, afirmou ontem que o governo irá elaborar um novo decreto deixando claro que a privatização da Eletrobras só vai ocorrer com o aval do Congresso Nacional, o que em ano de eleições é uma “missão impossível”.

Política:

Empolgado com o desempenho de Joaquim Barbosa, seu novo filiado, que chegou a 10% das intenções de voto no Datafolha, o PSB vai fazer uma pesquisa presidencial mostrando as fotos dos candidatos para os eleitores.

Como se não bastasse a guerra interna no seu partido, os seus baixos percentuais nas pesquisas eleitorais e as denúncias de corrupção contra ele, Alckmin, candidato do PSDB à presidente, será prejudicado pelo presidente Temer, que usará a máquina pública, distribuindo cargos e ministérios, para isolar o referido tucano, se reaproximar do DEM e atrair novos aliados.

Contrariando seu correligionário Marcio França, atual governador de SP que tenta a reeleição, Carlos Siqueira, presidente do PSB, descartou categoricamente a possibilidade de Joaquim Barbosa ser vice na chapa de Alckmin.

Se nenhuma “malandragem” for cometida, hoje a Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal julga a denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República contra o senador tucano Aécio Neves, acusado de corrupção e obstrução da Justiça.

Complicando a vida de mais um ministro de Temer, mensagens e fotografias encontradas no telefone celular do operador Milton Lyra sugerem que Alexandre Baldy, ministro das Cidades, recebeu 6 repasses de R$ 450mil.

Desafiando a lei, a ordem e a justiça, até agora impunimente, (1) Lula, da cadeia, afirmou que foi preso sem provas, (2) João Pedro Stedile, do MST, avisou que seu grupo terrorista vai ocupar terras para protestar contra a prisão de Lula e (3) Dirceu, que deveria estar preso, comparou Sergio Moro a um cisco no olho e o acusou de ser um instrumento de perseguição política.

Agindo de forma corporativista, Raquel Dodge perdeu importante apoio interno na PGR, depois que derrubou o pedido de suspeição de Gilmar Mendes, feito pelo MPF no RJ em relação aos casos envolvendo o empresário Jacob Barata Filho.

Crítica:

Fruto direto da importantíssima modernização das leis trabalhistas, nos 2 primeiros meses deste ano, (1) o chamado estoque de processos, que é volume de litígios à espera de solução, nas Varas do Trabalho de todo o país registrou uma queda de -6,4% na comparação com o mesmo período de 2017 e (2) entre dezembro e fevereiro de 2018, as varas trabalhistas receberam -48,3% menos ações em relação à passagem de 2016 para 2017.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário