R.B. 9/MAR/18 "Calando a boca dos seus críticos socialistas"



"Calando a boca dos seus críticos socialistas"

São Paulo, 9 de março de 2018 (SEXTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve cair, para fechar em território negativo pelo quarto pregão consecutivo, pressionada pela crescente deterioração da política e da economia tupiniquim, que se confirmam diante da falta de um candidato a presidente viável que agrade o "mercado" e da divulgação de resultados corporativos piores do que o esperado e (2) o DÓLAR pode subir, rumo aos R$ 3,30, impulsionado pelos mesmos motivos que devem derrubar a bolsa e também pelo aumento das "apostas" de que a taxa básica de juros tupiniquim será novamente reduzida na próxima reunião do Copom.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -0,6%, para fechar o dia abaixo dos 85.000pts (aos 84.985pts), diante do o anúncio oficial de Trump da implementação da barreira tarifária ao aço e ao alumínio, e do recuo das commodities, como petróleo e minério de ferro e (2) o DÓLAR subiu 0,6% à R$ 3,26, seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana e acompanhando a manutenção do "humor negativo" na bolsa brasileira.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 0,5%, impulsionada pela revisão do PIB do país, que teve expansão anualizada de 1,6% entre OUT/17 e DEZ/17 e China 0,5%, beneficiada pelo anúncio de que em FEV/18 as exportações do país cresceram 44,5% na comparação com FEV/17, (2) da EUROPA, Inglaterra 0,6%, França 1,3% e Alemanha 0,9%, com destaques de alta para as exportadoras, beneficiadas pela desvalorização do euro diante dos sinais de que o BC europeu vai manter sua política expansionista e (3) dos EUA, recuperando as perdas do pregão anterior, S&P 0,4%, DJ 0,4% e NASDAQ 0,4%, após o presidente Trump dizer que a tarifação sobre as importações de aço e de alumínio no país deve poupar alguns aliados.

Com o Brasil obviamente fora da lista dos países "amigos de verdade" que serão poupados do aumento das tarifas de importação de aço e alumínio pelos EUA, governo e indústrias tupiniquins "avisaram" que já estudam 4 medidas para tentar reverter este quadro, todas elas provavelmente inócuas, (1) recorrer à Organização Mundial do Comércio, (2) pedir que indústrias norte-americanas consumidoras de aço brasileiro contestem o Departamento de Comércio do país, (3) retaliar via elevação de tarifas sobre produtos norte-americanos importados e (3) promover uma negociação estratégica entre governos.

Diante de uma inflação abaixo do patamar esperado para o começo deste ano, mais de 80% do "mercado" já dá como certo que o Copom vai diminuir a taxa básica de juros de 6,75% para 6,5% em sua próxima reunião, marcada para os dias 20 e 21/MAR/18.

Desconsiderando o cada dia mais conturbado cenário político e "apostando" na recuperação da economia tupiniquim, é grande a fila de empresas que pretendem abrir capital na bolsa brasileira até o final de ABR/18, (1) as operadoras de planos de saúde Hapvida e Intermédica, com cerca de R$ 3bi cada, (2) a confecção multimarcas Dass, que administra marcas esportivas como a Fila, com R$ 900mi, (3) a JHFS Malls, com R$ 1bi e (4) a Ri Happy, do fundo norte-americano Carlyle, com T$ 860mi e (5) a varejista de material esportivo Centauro, que mira uma oferta de R$ 650mi.

Corroborando com as declarações dadas por Ilan Goldfajn, do presidente do BC tupiniquim, de que a inflação está "surpreendentemente menor" do que o esperado, o IPCA de FEV/18, divulgado na manhã de hoje, registrou inflação de 0,32%, acumulando com isto uma alta de apenas 2,84% nos últimos 12 meses, patamar cada dia mais abaixo do piso da meta do BC (3,0%).

Corroborando com as "suspeitas do mercado", a Empiricus, "queridinha" dos investidores e "esnobada" pelo "mercado", foi acusada por analistas demitidos da empresa de pressiona-los para citarem alguma determinada ação na cesta de recomendações ou, até mesmo, falta de liberdade para alguma indicação.

Após afirmar, de forma infeliz, que o governo Temer busca uma "fórmula de equilíbrio" para o preço da gasolina, o que é obviamente um eufemismo para intervenção do Estado na política de preços da estatal, Meirelles, ministro tupiniquim da fazenda, foi obrigado a recuar depois de uma dura resposta do presidente da Petrobras, Pedro Parente, que educadamente mandou o governo baixar os impostos, que representam 66% do preço pago pelo consumidor.

-    A CSN recuou -5,1%, a Usiminas caiu -2,1% e a Gerdau perdeu -4,2%, diante da confirmação da taxação dos EUA de 25% sobre a importação do aço e de 10% sobre o alumínio.
-    A Casino caiu -3,66% na bolsa de Paris, após o balanço da varejista francesa mostrar queda forte no lucro, de 2,68bi de euros em 2016 para 120mi de euros no ano passado.
-    A Fibria teve alta de 6,5%, após a empresa anunciar aumento dos preços da celulose vendida para mercados na América do Norte, Europa e Ásia a partir de ABR/18.
-    A Cigna recuou -11,0% na bolsa de NY, após a companhia do setor de saúde informar que pretende comprar a Express Scripts, que subiu 8,6%, por US$ 50bi.
-    A rede de supermercados Kroger despencou -12,0% na bolsa e NY, após a empresa dizer que seus lucros serão afetados pela expansão da sua plataforma de comércio eletrônico, em meio a concorrência com gigantes como Walmart e Amazon.

Política:

Aumentando o número de candidaturas classificadas como "de centro", o que prejudica principalmente o tucano Alckmin, ontem o Democratas, além de eleger ACM Neto como novo presidente do partido, aclamou em sua Convenção Nacional Rodrigo Maia, o presidente da Câmara dos Deputados, como o pré-candidato do partido à Presidência da República.

Coberto de razão, já que em um partido sério os princípios, a ideologia e o programa de governo devem ser seguidos por todos, o Partido Novo "avisou" aos seus candidatos destas eleições que será punido, inclusive com expulsão, quem manifestar apoio a candidaturas de outros partidos sem autorização prévia do diretório nacional.

Como qualquer político picareta tupiniquim, que coloca seus interesses pessoais à frente das suas obrigações como servidor público, desde a véspera da data em que se tornou presidente nacional do PSDB, em 8/DEZ/18, Alckmin, o governador tucano de SP, passou a participar rotineiramente de eventos partidários realizados durante o horário de expediente, em compromissos que foram omitidos de sua agenda oficial e que não foram divulgados pela sigla.

Perdendo a milésima oportunidade de ficar calado, FHC, que atualmente dá entrevista até para jornal de escola, reconheceu ontem que, apesar de não saber e de não ter participado, existiu corrupção durante seu governo.

Apesar da empolgação de ontem, líderes do PR, PP, PRB e Solidariedade, que se alinharam com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, no lançamento de sua candidatura presidencial, indicaram o início de JUN/18 como limite para que ele se mostre competitivo, o que significa ter um percentual de 2 dígitos nas pesquisas eleitorais.

"Filhote da ditadura" e ao mesmo tempo apoiador de todos os governos que o país já teve desde a redemocratização, Delfim Netto, economista "famoso" e ex-ministro, é o principal alvo de uma operação realizada hoje pela Polícia Federal, batizada de Buona Fortuna, que faz parte da 49ª fase da Lava Jato e que o acusa de receber propina, que posteriormente foi quase toda direcionada para o PT e para o PMDB, mediante contratos fictícios de consultoria sobre a construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte.

Ainda sem nenhuma filiação partidária, o empresário Flavio Rocha, dono da Riachuelo, mostrou que tem "culhões" para ser o presidente que o Brasil precisa ao afirmar que o MST, que ontem destruiu um parque gráfico da Globo e bloqueou a entrada de uma das unidades fabris da sua empresa, é um grupo de terroristas e vagabundos que recebe dinheiro público.

Crítica:

"Calando a boca dos seus críticos socialistas", algo que tem de sobra aqui no Brasil, Trump, presidente dos EUA, foi convidado por Kim Jong-um, o ditador maluco da Coreia do Norte, para um encontro no referido país asiático em MAI/18, que também já se comprometeu a suspender o seu programa nuclear.

Com a falência dos programas de financiamento universitário, segundo relatório do Banco Mundial 25 milhões de jovens brasileiros estão às margens da economia e sem condições de ter uma formação profissional de qualidade, que lhes garanta um bom emprego.

Apesar da histeria dos grandes meios de comunicação, que temem a concorrência, e da justiça, que não entende nada do assunto, é importante ressaltar que o Fake news não é o problema, e sim que o problema são os idiotas que acreditam em tudo que leem na internet sem checar a fonte.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário