R.B. 19/MAR/18 "Sem combinar com Alckmin"



"Sem combinar com Alckmin"

São Paulo, 19 de março de 2018 (SEGUNDA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve cair, ampliando as perdas da semana passada (-1,7%) e reduzindo os ganhos acumulados nos últimos 12 meses (32,2%), acompanhando o movimento descendente das principais bolsas mundiais e prejudicada pela divulgação de sinais negativos da economia tupiniquim e (2) o DÓLAR pode subir, seguindo a esperada piora do “humor” na bolsa brasileira, influenciado pelas “apostas” de novo corte da taxa básica de juros do Brasil na reunião do Copom desta semana e influenciado pela redução do fluxo positivo de recursos externos.

Sexta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -0,1%, recuperando, diante do movimento ascendente das bolsas de NY e da valorização das commodities, quase todas as perdas da abertura, porém sem forças para fechar em território positivo por conta intensificação dos “temores” com o futuro político e econômico do Brasil e (2) o DÓLAR caiu -0,2% à R$ 3,28, ainda sem “forças” para romper a resistência dos R$ 3,30, influenciado pelos leilões de venda do BC e seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana, em um dia de agenda escassa.

Também sexta-feira, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão -0,6% e China -0,6%, ainda prejudicadas pelas preocupações com o cenário geopolítico, já que o governo norte-americano anunciou sanções contra a Rússia por conta de ataques cibernéticos, (2) da EUROPA, Inglaterra 0,3%, França 0,3% e Alemanha 0,4%, com os investidores “aliviados” após a divulgação de um índice de inflação ligeiramente abaixo do esperado, o que é mais uma sugestão de que o BC Europeu não deve ter pressa em desmontar a atual política de relaxamento quantitativo e (3) dos EUA, S&P 0,2%, DJ 0,3% e NASDAQ 0,1%, beneficiadas pela valorização as commodities e ajudadas por relatos de que o presidente Trump teria dito a conselheiros que o chefe de gabinete da Casa Branca, John Kelly, estava "100% garantido" no cargo.

Apresentando um otimismo aparentemente irracional, analistas da corretora tupiniquim Guide investimentos “apostam” que o investidor que tiver estômago para aguentar a volatilidade no mercado acionário brasileiro daqui até o fim do ano, suportando crises internacionais e a turbulência das eleições, poderá ganhar até 30%, o que representa quase 5 vezes mais do que ganharia na renda fixa, como títulos públicos atrelados à Selic.

“Apostando” na continuidade da atual política econômica, na valorização dos preços das commodities, na recuperação dos resultados das empresas e melhora da governança das companhias, Will Landers, gestor responsável pelos fundos de investimento voltados para a América Latina da BlackRock, afirmou que não é hora de deixar o Brasil, onde sua empresa tem cerca de US$ 1,7bi investidos.

Com seu “folclórico otimismo”, Raymundo Magliano Neto, presidente da Magliano Invest, afirmou que, caso um candidato pró-mercado vença as eleições presidenciais tupiniquins deste ano, “aposta” que a Bolsa brasileira chegará aos 220 mil pontos até 2022.

Indicando, mais uma vez, que a suposta recuperação da economia tupiniquim pode ser apenas “um curto voo de galinha”, em JAN/18 o setor de serviços, que é o que mais emprega no país, recuou -1,9% na comparação com DEZ/17 e -1,3% na comparação com JAN/17, com destaques negativos para os segmentos de transporte, administrativo e comunicação.

Criando mais um monopólio tupiniquim, que é ruim para qualquer economia e cada vez mais comum no Brasil, a fusão entre as empresas de celulose Suzano e Fibria, com o aval do CADE, criará uma gigante brasileira com um valor total de R$ 83bi, o que a torna a quinta maior companhia não financeira do país, atrás apenas de Petrobras, Ambev, Vale e Telefônica.

Após comprar 51% do Porto São Luís, novo terminal privado multicargas da capital maranhense, a China Communications Construction Company, maior empresa chinesa de infraestrutura, “avisou’ que “está de olho” em todos os projetos de concessão de ferrovias no Brasil.

Reduzindo o saldo positivo do ano para R$ 2,2bi, nos 14 primeiros dias corridos de MAR/18 os investidores não-residentes já retiraram R$ -3,0bi da bolsa tupiniquim, o que é apenas o começo de um movimento que será causado pela forte instabilidade política e econômica que o país passará por conta das eleições presidenciais.

-    A BRFS caiu -1,1%, após ter sua “nota” reduzida pela S&P e após o governo brasileiro suspender temporariamente a empresa de exportar carne de frango para a Europa.
-    O Nex Group disparou 30,4% na bolsa de Londres, na esteira de relatos de que um dos maiores operadores de câmbio do mundo, o CME Group, está considerando fazer uma oferta para adquirir a referida empresa de tecnologia financeira britânica.
-    A varejista Walmart subiu 1,9% na bolsa de NY, após anunciar novidades em suas operações para acirrar a concorrência com a Amazon, cujas ações recuaram -0,7% na mesma bolsa.

Política:

Aparentemente “sem combinar com Alckmin”, que como todo “bom socialista” na última vez que foi candidato à presidente, em defesa das Estatais, colocou boné do Banco do Brasil e garantiu que a Petrobrás é “um patrimônio nacional”, Persio Arida, o economista escalado para preparar o programa econômico do referido presidenciável tucano, afirmou que “o Estado tem que deixar de ser empresário”.

Mesmo sem a simpatia de Alckmin e após José Aníbal, tucano histórico, afirmar que o propósito de Dória é se servir da política, o referido prefeito de SP, usando a força do seu lobby, foi escolhido por 80% dos seus correligionários para ser o candidato tucano ao governo do Estado.

Prejudicando ainda mais a candidatura presidencial de Alckmin, o DEM, além de ter lançado Rodrigo Maia como seu candidato a presidente, também estará do lado oposto do PSDB na disputa de ao menos 5 capitais do país nas eleições de OUT/18.

Embora o assunto esteja formalmente interditado entre petistas, o ex-presidente Lula já discute com aliados como proceder caso seja determinada sua prisão, que ao que tudo indica pode ocorrer ainda esta semana.

Com dúvidas sobre a viabilidade do ex-prefeito Luiz Marinho como candidato a governador de SP, setores do PT voltaram a defender o nome do ex-prefeito Fernando Haddad para a corrida ao Palácio dos Bandeirantes.

Sem garantias de que terá a legenda do PMDB para disputar a presidência do Brasil, já que ao que tudo indica Temer tentará a reeleição, Meirelles, ministro tupiniquim da Fazenda, busca outros partidos para seu projeto presidencial e até agora a melhor opção é o PRB, partido controlado pelos picaretas da Igreja Universal.

Crítica:

Ontem, em uma eleição nada democrática, Putin, que na realidade é um ditador, foi reeleito com cerca de 75% dos votos para comandar a Rússia ao menos até 2014, reforçando sua mão em meio a um confronto crescente com o Ocidente.

“Colhendo os doces frutos da força do seu lobby” e provando que “no Brasil quem paga impostos em dia perde vantagens competitivas”, os bancos e as fabricantes de bebidas foram os setores que conseguiram os maiores abatimentos em suas dívidas dentro do Refis, o programa de parcelamento de débitos tributários da União, com cortes ultrapassaram 50% do valor da dívida inscrita.

Os 8 principais pontos que fazem o R.B. apoiar oficialmente o partido NOVO são (1) não usar fundo partidário, (1) ter processo seletivo para candidatos, (3) dirigentes não podem ser candidatos, (4) permite apenas 1 reeleição em cargos legislativos, (5) propõe um Estado focado apenas em saúde, segurança e educação, (6) prega a diminuição e a simplificação dos impostos, (7) trabalha por menos Estado e menos burocracia e (8) defende a privatização de todas as estatais.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário