R.B. 8/FEV/18 "Mais um passo da manjada trajetória do herói"



"Mais um passo da manjada trajetória do herói"

São Paulo, 8 de fevereiro de 2018 (QUINTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve voltar a cair, rumo aos 80.000pts, seguindo a trajetória internacional das principais bolsas mundiais e prejudicada pela crescente piora do ambiente político no país, diante do provável fracasso da reforma da previdência e das manobras para livrar Lula da cadeia e permitir sua candidatura presidencial e (2) o DÓLAR pode subir, influenciado pelos mesmos motivos que devem derrubar a bolsa tupiniquim e pelo corte da taxa básica de juros brasileira, que reduz os juros reais e consequentemente a atratividade por “investimentos” em renda fixa no país.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu 1,3%, devolvendo uma parte da forte alta do pregão anterior, influenciada pelo recuo das commodities e com os investidores começando a entender que a reforma da previdência não será aprovada e (2) o DÓLAR subiu 1,0% à R$ 3,27, acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana e impulsionado pela piora do “humor” na bolsa tupiniquim, mesmo diante de um leilão de venda do BC.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, sem uma tendência única, Japão 0,2%, devolvendo quase todos os ganhos da abertura, diante das exportadoras e China -1,8%, diante de preocupações sobre a falta de liquidez, já que o BC local não agiu nos mercados monetários pelo 10º dia consecutivo, (2) da EUROPA, recuperando perdas recentes, Inglaterra 1,9%, França 1,8% e Alemanha 1,6%, beneficiadas pelo anúncio de que Angela Merkel, a brilhante chanceler da Alemanha, fechou um acordo de coalizão com Partido Social-Democrata, o que lhe garante mais um mandato e (3) dos EUA, ainda realizando lucros, S&P -0,5%, DJ -0,1% e NASDAQ -0,9%, desta vez pressionadas pela forte queda nos preços do petróleo e pelos “temores” de que uma medida que estenda o financiamento ao governo do país não seja aprovada no Congresso e desencadeie uma nova paralisação do governo federal já amanhã.

Ontem, após o fechamento do pregão e no mesmo dia que o BC indiano manteve sua taxa básica de juros em 6% ao ano, o BC tupiniquim, seguindo o que esperava cerca de 90% do “mercado”, decidiu, de forma unanime, cortar em -0,25% a Selic, de 7,00% para 6,75%, o que representa o menor patamar da história brasileira, e indicou que chegou ao fim o ciclo de reduções iniciado em OUT/16.

Como, nas internas, já não conta com a aprovação da reforma da Previdência para este ano, o governo Temer começou a articular uma agenda de medidas, baseadas principalmente na microeconomia, para chegar com algum fôlego até o fim de 2018, como (1) o cadastro positivo e (2) a privatização da Eletrobras.

Com premissas estatizantes, o que gera bastante apoio na socialista população tupiniquim, e fingindo não entender o que é livre mercado, Vital do Rêgo Filho, ministro do Tribunal de Contas da União, afirmou que o preço mínimo pedido pelo governo para privatizar a Eletrobrás (R$ 12,2bi) é muito baixo.

Por conta de uma combinação nefasta de monopólio bancário, inadimplência elevada, preços dos imóveis astronômicos e fora da realidade e população sem educação financeira, apesar da taxa básica de juros da economia tupiniquim está em 6,75%, o que representa o menor patamar da história, na média os juros cobrados pelos bancos nos financiamentos imobiliários está em 10,5% ao ano.

Influenciado pela redução substancial das “apostas” de aprovação da reforma da Previdência e do aumento das “apostas” de alta mais intensa e rápida dos juros nos EUA, nos 5 primeiros pregões de FEV/18 o fluxo de investimentos externos na Bolsa tupiniquim ficou negativo em R$ -585,3 milhões.

Pedro Parente, atual presidente da Petrobrás, alertou que não faz sentido em falar em privatização da referida petrolífera neste momento, ressaltando que a empresa está passando por um processo de reestruturação financeira e que pesquisas apontam resistência da população à proposta.

-    A Snap disparou 47,6% na bolsa de NY, após a companhia superar as previsões de analistas no balanço do quarto trimestre do ano passado.

Política:

Logo após o PSD, que é cortejado por Alckmin, admitir que o ministro da Fazenda deve perder o apoio da sigla para disputar a Presidência da República, Meirelles, cuja competência técnica só é menor que sua autoestima, “avisou” que estuda migrar para outra legenda da base aliada do Palácio do Planalto para ser o candidato governista e lembrou que quando FHC se candidatou, em 1994, seu nome também parecia inviável.

Provando que, apenas com a exceção do partido NOVO, não existe ideologia partidária no Brasil, Marina Silva, pré-candidata da Rede à Presidência da República, afirmou ontem que o voto pertence ao político e não ao partido.

Com o governo fingindo que fez reforma e o “mercado” fingindo que acredita, a nova proposta para a Previdência, classificada como “pior que meia boca”, não resolve o problema do rombo das contas públicas.

Dando “mais um passo da manjada trajetória do herói”, hoje Luciano Huck encontra-se hoje com “conselheiro velho” FHC para uma conversa que será fundamental para uma “decisão final” sobre sua candidatura à presidente, que se ocorrer terá apoio do DEM e de boa parte do PSDB, aniquilando assim as pretensões presidenciais de Alckmin e de Rodrigo Maia.

Mostrando, pela enésima vez, que tem a capacidade de juntar “o pior da esquerda com o pior da direita”, ontem Bolsonaro, que é um completo idiota, afirmou que nunca foi favorável ao aborto, o que contraria uma declaração sua dada no ano de 2000.

Aproveitando-se da urgência do governo em encontrar novas fontes de recursos para sustentar a enorme e improdutiva maquina publica tupiniquim, o senador Benedito de Lira, que é relator do projeto de lei para legalizar jogos de azar no Brasil, quer aprovar o texto neste mês na Comissão de Constituição e Justiça e enviar a matéria para o plenário do Senado em seguida.

Auferindo menos de 10% das intenções de voto em todos os cenários, o tucano Alckmin, candidato à presidente “queridinho” do mercado financeiro tupiniquim, afirmou ontem que não pensa em privatizar o Banco do Brasil, ressaltando que se for eleito somente privatizará "o que for possível" das 147 estatais brasileiras.

Aumentando a treta interna no PSDB, Doria, prefeito de SP, pediu ao partido que antecipe a realização de prévias que vão escolher o candidato tucano ao governo paulista, o que vai contra a vontade de Alckmin, quer apoiar a candidatura do atual vice-governador paulista, Marcio França, em troca do apoio do PSB à sua candidatura ao Palácio do Planalto.

Coordenador do grupo anarco-terrorista MTST, Guilherme Boulos, esteve com o ex-presidente Lula há alguns dias para avisar que sua candidatura ao Palácio do Planalto pelo PSOL está se consolidando.

Crítica:

Apesar de mais de 90% dos brasileiros certamente se acusarem voluntariamente do referido “delito”, a pedido do próprio Gilmar Mendes, a Polícia Federal abriu inquérito para apurar ofensas contra o ministro em um voo comercial no fim do mês passado.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário