R.B. 7/NOV/17 "Uma bela e merecida facada nas constas dos sindicalistas"



"Uma bela e merecida facada nas constas dos sindicalistas"

São Paulo, 7 de novembro de 2017 (TERÇA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve cair, devolvendo os ganhos do pregão anterior, acompanhando as perdas das principais bolsas mundiais e influenciada negativamente pelas declarações de Temer admitindo que não conseguirá aprovar a Reforma da Previdência e (2) o DÓLAR pode subir, recuperando uma parte das perdas de ontem, seguindo a esperada piora do “humor” na bolsa tupiniquim e acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 0,5%, após um pregão com bom volume de negócios (R$ 9,3bi) e boa volatilidade, no qual a bolsa tupiniquim terminou o dia impulsionada pela valorização das commodities, diante da agenda política e econômica esvaziada e (2) o DÓLAR caiu -1,4% à R$ 3,26, realizando lucros após fechar o pregão anterior no maior patamar desde 4/JUL/17, ajudado pelo comportamento do câmbio no exterior e influenciado pelo mesmo motivo que animou a bolsa tupiniquim.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 0,1%, registrando uma nova máxima em 21 anos, sustentada por ações de empresas que divulgaram balanços positivos e de petrolíferas e China 0,5%, impulsionada por um rali de ações de consumo, (2) da EUROPA, próximas da estabilidade e sem direção única, Inglaterra 0,1%, França -0,1% e Alemanha -0,1%, com os investidores monitorando eventos políticos na região, notícias corporativas e indicadores da zona do euro e (3) dos EUA, renovando recordes históricos de alta, S&P 0,1%, DJ 0,1% e NASDAQ 0,3%, desta vez impulsionadas pelas empresas do setor de energia, como Chesapeake Energy (11,8%), Apache (7,0%) e Chevron (1,8%), apoiadas pela disparada dos preços do petróleo, que subiu 3% e fechou no maior patamar em 2 anos.

Confirmando que a autoridade monetária norte-americana manterá seu perfil desenvolvimentista, William Dudley, presidente do FED de NY, afirmou que a instituição provavelmente terá de deixar a inflação "superar um pouco o nível de 2%" e que a recorrente baixa de preços do país não é "necessariamente uma coisa ruim".

Pior do que o registrado em SET/17 (56,7pts), porem um pouco melhor do que o esperado pelo “mercado” (55,9pt), o índice de gerentes de compras composto da zona do euro, que engloba indústria e serviços, caiu para 56,0pts em OUT/17.

Aproveitando para comprar na baixa, apenas nos 10 primeiros meses deste ano os investimentos chineses no Brasil movimentaram ao menos US$ 10,84bi, já que as aquisições feitas por empresas chinesas saltaram de 6, no ano passado, para 17 e as expectativas para 2018 são para um crescimento ainda maior, com a chegada de novas companhias de grande porte e uma maior diversificação.

Mantendo, respectivamente em 3,08% e em 4,02%, suas “apostas” para a inflação medida pelo IPCA em 2017 e 2018, em ambos os casos patamares abaixo do centro da meta do BC (4,5%), o “mercado” também segue esperando que a taxa básica de juros feche o ano em 7,0% e que o PIB do país cresça 0,73% neste ano e 2,5% no próximo.

Confirmando que cada dia mais o governo tupiniquim, como um Robin Hood às avessas, tira dos pobres para dar aos ricos, segundo um estudo da Secretaria de Acompanhamento Econômico, do Ministério da Fazenda os subsídios concedidos pela União na forma de renúncias tributárias ou taxas de juros mais baixas do que as de mercado cresceram de 3,0% do PIB em 2003 para 6,2% do PIB em 2016.

Estimulando o mercado financeiro tupiniquim, porem abrindo uma enorme brecha para a corrupção, o Conselho Monetário Nacional baixou o valor que órgãos de regime próprio de previdência de funcionários públicos podem aportar em fundos imobiliários e de participações em empresas.

Podendo ajudar a melhorar ainda mais o resultado já expressivo do superávit da balança comercial brasileira, o presidente Temer deu aval ao Congresso para reduzir, de 4% para 3%, o percentual dos royalties pagos por empresas sobre a exploração de minério de ferro.

Ontem o petróleo subiu 3% e fechou o dia no maior nível em 2 anos, diante (1) da prisão de ministros e líderes da Arábia Saudita e (2) da perspectiva de redução significativa na produção da Líbia.

-    A Eletrobras disparou 5,4%, diante das expectativas em torno da programação para privatização da referida estatal, cuja proposta será encaminhada por Temer ao Congresso por meio de 2 Projetos de Lei.
-    A Qualcomm subiu 1,2% na bolsa de NY, após a Broadcom anunciar que pretende comprar a fabricante de chips por US$ 100bi.
-    A Intel subiu 1,4% e Advanced Micro Devices saltou 7,4%, ambas na bolsa de NY, após o Wall Street Journal reportar que as 2 companhias estão se unindo para competir com um rival comum, a Nvidia, cujas ações subiram 0,5%.

Política:

Dando “uma bela e merecida facada nas constas dos sindicalistas”, o presidente Temer decidiu contrariar as centrais sindicais e “avisou” que não irá propor por meio de medida provisória alternativas de custeio para as entidades trabalhistas, que deixarão de receber o imposto sindical obrigatório a partir da semana que vem.

Por conta do “lobby nefasto das construtoras”, na semana passada, de maneira discreta, a Câmara dos Deputados sepultou a proposta que flexibilizava o uso do FGTS para abater dívidas do financiamento estudantil.

Perdendo mais uma oportunidade para ficar calado, o senador petista Lindbergh afirmou que o PCdoB comete erro ao lançar candidato próprio em um momento em que o ex-presidente Lula é alvo de ataques.

De olho nos cargos dos tucanos, o centrão diz que o Planalto deveria chutar o PSDB antes de ser chutado e, para acelerar este processo, nesta semana a disposição dos parlamentares deste grupo é a de não votar nem sequer um projeto do governo.

Finalmente rendendo-se à realidade dos fatos, porem covardemente colocando a culpa na população, na imprensa e no Congresso Nacional, ontem o presidente Temer admitiu, pela primeira vez, que a Reforma da Previdência não será votada durante seu governo.

Sofrendo com a escassez cada dia maior de dinheiro roubado para pagar a mortadela e o suco dos seus apoiadores comprados, as centrais sindicais decidiram ontem convocar para sexta-feira um protesto contra a vigência da reforma trabalhista e a aprovação da previdenciária.

Símbolo da decadência intelectual do PSDB, a tucana Luislinda Valois, que é ministra dos Direitos Humanos e que na semana passada afirmou que é “trabalho escravo” receber apenas o salário de ministra, que supera os R$ 30mil, avisou ontem ao seu partido que quer se candidatar a deputada federal em 2018.

Enfrentando os índices de aprovação mais baixos da história de um presidente tupiniquim, o governo Temer começou a firmar um acordo com 11 ministérios para a criação de um gabinete de crise permanente na área da comunicação, que deverá funcionar ao longo de todo o ano eleitoral de 2018.

Ontem, depois de longos e inexplicáveis 7 meses, Cármen Lúcia, presidente do STF, finalmente autorizou o remanejamento de 5 servidores do STF para o gabinete de Edson Fachin, relator da Lava Jato, que precisa despachar 80 inquéritos.

Crítica:

Prejudicando, de forma mesquinha e autoritária, a empresa que ele detém 4% das ações, assim como já fez com o Grupo Pão de Açúcar, agora Abílio Diniz disputa com os fundos de pensão a troca de comando na BRF, dona das marcas Sadia e Perdigão.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário