R.B. 17/NOV/17 "Avessos a qualquer tipo de novidade"



"Avessos a qualquer tipo de novidade"

São Paulo, 17 de novembro de 2017 (SEXTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve cair, devolvendo parte dos ganhos do pregão anterior, influenciado pelo recuo das principais bolsas mundiais e pressionada pelo aumento das “apostas” de que a reforma da Previdência não será aprovada este ano e de que o Brasil vai “pregar fogo” nas eleições presidenciais de 2018 e (2) o DÓLAR pode subir, com “boas chances” de recuperar o patamar dos R$ 3,30, seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana e impulsionado pela expectativa de redução do fluxo positivo de recursos externos, já que cedo ou tarde as agências internacionais de classificação de risco devem reduzir a “nota” brasileira.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 2,4%, recuperando perdas recentes e, diante de uma agenda doméstica bastante escassa, acompanhando o movimento ascendente das principais bolsas mundiais em um dia de bom volume de negócios (R$ 9,2bi) e destaques de alta para as ações dos bancos, como Santander (5,5%), Banco do Brasil (4,7%) e Itaú (2,5%) e (2) o DÓLAR caiu -0,9% à R$ 3,28, também em um “ajuste técnico” diante de altas recentes, influenciado por um cenário externo mais favorável a ativos de risco após a divulgação de que a inflação dos EUA está menor do que se esperava.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, sem uma tendência única, Japão 1,5%, revertendo uma sequência de 6 pregões seguidos de queda, acompanhando o movimento ascendente das principais bolsas mundiais no dia anterior e com destaques de alta para blue chips como Nintendo (3,9%), Fast Retailing (2,2%) e SoftBank (2,2%) e China -0,1%, prejudicada pelo recuo das commodities, (2) da EUROPA, recuperando perdas recentes, Inglaterra 0,2%, França 0,7% e Alemanha 0,6%, impulsionadas pela divulgação de indicadores animadores da região, como o aumento das vendas do varejo do Reino Unido, o crescimento das vendas de carros novos na União Europeia e (3) dos EUA, S&P 0,8%, DJ 0,8% e NASDAQ 1,3%, refletindo positivamente a aprovação da proposta de reforma tributária elaborada do presidente Trump na Câmara e com destaques de alta para as ações das empresas de tecnologia como Apple (1,2%), Google (1,2%), Twitter (2,3%) e Netflix (1,8%).

Reduzindo a urgência de elevação dos juros nos EUA, (1) o índice de preços ao consumidor norte-americano registrou alta de apenas 0,1% em OUT/17, patamar ligeiramente abaixo das “apostas do mercado” e (2) a quantidade de norte-americanos que entraram com pedidos de auxílio-desemprego subiu inesperadamente na semana passada, atingindo 249 mil em números ajustados sazonalmente, patamar acima do esperado (235 mil).

Segundo Jyrki Katainen, vice-presidente da Comissão Europeia, apesar de grandes obstáculos que ainda restam na mesa de negociação, como cotas para produtos agrícolas e acesso a licitações, União Europeia e Mercosul nunca estiveram tão perto de fechar um acordo, o que pode acontecer já no mês que vem.

“Avessos a qualquer tipo de novidade”, principalmente se estas ameaçarem o monopólio dos “bancões” tupiniquins, o BC e a CVM divulgaram ontem comunicados alertando a respeito dos riscos do uso de bitcoins como forma de investimento e ressaltando esta operação é parecida com as pirâmides financeiras.

Enquanto no Brasil, onde os bancões ditam as leis e mandam na CVM e no BC, nos EUA a American Express introduziu pagamentos instantâneos baseados em blockchain (sistema capaz de criar banco de dados único, seguro e certificado) usando a Ripple, uma fintech para clientes corporativos norte-americanos enviarem fundos para empresas com sede no Reino Unido, reduzindo o custo, a demora e a complexidade de processos pesados.

Ajudando no controle da inflação, Petrobrás anunciou que reduzirá em -3,8% os preços da gasolina a partir de hoje, o que representa a maior queda em um único dia desde o início de JUL/17, quando a empresa começou a ajustar os valores dos produtos vendidos às distribuidoras quase que diariamente.

Com o claro objetivo de levantar dinheiro para sair do negócio, a SBF, dona das redes de lojas de calçados Centauro e By Tennis, pediu na CVM registro de companhia para fazer uma oferta inicial de ações, que supostamente seriam listadas no Novo Mercado da B3, que por sua vez é um segmento de maior governança corporativa da Bolsa.

-    A Natura disparou 10,1%, animada com a divulgação de seu balanço, que foi bem recebido pelos analistas.

Política:

Completando 1 no de cadeia, Sergio Cabral, o segundo maior picareta da política tupiniquim, que só perde para Lula, já foi condenado a 72 anos de prisão em 3 sentenças e, com mais 13 denúncias ajuizadas, sua pena deve superar os 300 anos em crimes como corrupção, lavagem de dinheiro, pertencimento a organização criminosa e evasão de divisas.

Apesar de se dizer um liberal, Doria, prefeito de SP, sancionou ontem uma lei que institui cobrança de Imposto sobre Serviços para empresas de transmissão de conteúdo pela internet, como Netflix e Spotify.

Torrando R$ 20 mi em recursos públicos, o governo Temer vai lançar uma campanha publicitária para defender a reforma da Previdência na televisão e o foco será “atacar privilégios" dos servidores públicos, que segundo a peça publicitária trabalham pouco, ganham muito e se aposentam cedo.

Cada dia mais populista, já que acredita que assim agradará mais gente e se manterá no poder, o presidente Temer, partindo da premissa de que honestidade é algo raro no Brasil, defendeu ontem um projeto de lei complementar que cria um cadastro nacional para beneficiar empresas sem dívidas com o poder público.

Mostrando que consegue encontrar idiotas para escuta-la até na Alemanha, a ex-presidenta Dilma afirmou ao jornal alemão Frankfurter Allgemeine Zeitung que o terceiro ato do golpe será uma eventual proibição da candidatura de Lula à presidente em 2018.

Com 99,99% de certeza de que seus comparsas da Assembleia Legislativa do RJ irão agir para tira-lo da cadeia, o deputado estadual e peemedebista Jorge Picciani, que comanda o legislativo carioca, se entregou na tarde de ontem à Polícia Federal, no centro da capital fluminense.

Atuando em benefício de bandidos, o ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, encaminhou ao seu colega Dias Toffoli a análise do recurso em que a Procuradora-Geral da República, Raquel Dodge, pede para restabelecer o sigilo da delação premiada do marqueteiro Renato Pereira.

As mudanças no primeiro escalão do governo devem ficar restritas a 2 pastas de tucanos, já que, com o consenso e o aval da base aliada, o chanceler Aloysio Nunes, do PSDB, não deve entrar na reforma.

Membro da executiva nacional do PMDB, João Henrique de Almeida Sousa, ex-ministro de Transportes e hoje na presidência do Conselho Nacional do Sesi, começou a circular como possível substituto do tucano Antonio Imbassahy na Secretaria de Governo.

Líderes da base já enviaram recados ao Planalto de que as mudanças na Esplanada dos Ministérios não serão suficientes para alavancar a aprovação da reforma da Previdência, já que argumentam, com toda a razão, que há risco de a Câmara assumir o ônus das mudanças e o Senado depois engavetar a proposta para não enfrentar o tema em ano eleitoral.

Criados nos últimos meses, diante do cenário de descrença em políticos e partidos, movimentos como o Agora!, o Acredito e a Frente pela Renovação discutem uma aproximação para buscarem juntos renovação política nas eleições de 2018.

Crítica:

Começando a puxar o fio de uma meada que deve encrencar a vida de alguns banqueiros do Itaim-bibi, o marqueteiro Renato Pereira disse em sua delação que fez um contrato fictício com o Banco Opportunity para repassar dinheiro de caixa dois, em espécie, ao banco de Daniel Dantas.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário