R.B. 8/JUN/17 "O gringo sabe que o segredo é comprar na baixa e vender na alta"



"O gringo sabe que o segredo é comprar na baixa e vender na alta"

São Paulo, 8 de junho de 2017 (QUINTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve cair, diante da crescente indisposição dos investidores em tomar riscos por conta das incertezas que se colocam na cena política, desta vez por conta dos “rumores” de desembarque do PSDB da base aliada, e também influenciado pela manutenção da tendência de queda das commodities e (2) o DÓLAR pode subir, rumo aos R$ 3,30, acompanhando a esperada piora do “humor’ na bolsa brasileira e também seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 0,3%, com baixo volume de negócios (R$ 6,5bi) e, mesmo com a queda do petróleo, com os investidores “comemorando” a aprovação da reforma trabalhista na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado e (2) o DÓLAR caiu -0,1% à R$ 3,27, com baixa volatilidade e pressionado pelos leilões de venda do BC.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 0,1% e China 1,2%, impulsionadas por sinais de alívio na regulação bancária chinesa, (2) da EUROPA, após alguma volatilidade, Inglaterra -0,6%, França -0,1% e Alemanha -0,1%, com destaques de queda para as petrolíferas, como a Shell (-1,3%), prejudicadas pela forte baixa do petróleo (-5,0%), diante de uma nova alta dos estoques norte-americanos e (3) dos EUA, iniciando um movimento de recuperação após 2 pregões seguidos de perdas, S&P 0,2%, DJ 0,2% e NASDAQ 0,4%, com destaques de alta para as ações dos bancos e com os investidores acreditando que o testemunho preparado pelo ex-diretor do FBI, James Comey, não causará prejuízo ao presidente Trump.

Como “o gringo sabe que o segredo é comprar na baixa e vender na alta”, embora a taxa de investimento da economia brasileira esteja em queda há 3 anos consecutivos, com retração acumulada de 30% desde 2013, no primeiro trimestre deste ano a fatia estrangeira no investimento agregado da economia brasileira chegou a 18,6%, o que representa o maior nível desde DEZ/02.

Indicando que entende pouco do Brasil, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico elevou, de 0,0% para 0,7%, suas “apostas” para o crescimento do PIB tupiniquim, ressaltando que (1) a economia global está a caminho de registrar neste ano a expansão mais forte em 6 anos, (2) a ampliação do comércio mundial está ajudando a compensar o cenário mais fraco nos EUA e (3) barreiras na forma de protecionismo e regulações precisam ser suspensas para garantir uma expansão mais forte.

Provavelmente fazendo “jogo de cena”, já que promessas destes tipo nunca saem do papel, Paulo Rabello de Castro, novo presidente do BNDES, “garantiu” que pretende triplicar o valor dos empréstimos para capital de giro de pequenas e médias empresas no segundo semestre deste ano.

Comprovando com números que, sem mamar nas tetas amigas do BNDES os empresários tupiniquins tem dificuldades para se sustentar, a soma das dívidas das 20 maiores empresas brasileiras em recuperação judicial cresceu 14% nos 5 primeiros meses deste ano chegou a R$ 154bi.

Apresentando “mais uma luz no final do túnel”, no primeiro trimestre deste ano as vendas do varejo têxtil brasileiro cresceram 4,7% em número de peças e 7,6% em receita, ambos na comparação com o mesmo período de 2016, o que representou a primeira melhora destes indicadores desde 2013.

-    A Petrobrás caiu -2,3%, prejudicada pelo forte recuo do petróleo em NY (-5,0%) e mesmo após anunciar uma nova política de preços e um aumento do botijão de gás em 6,7%.

Política:

Fingindo que a crise política não existe, ou acreditando que ela não vai atrapalhar, (1) Meirelles, ministro da Fazenda, afirmou acreditar que a reforma da Previdência possa ser votada ainda este mês e (2) Munício de Oliveira, presidente do Senado, disse ser possível acelerar a tramitação da reforma trabalhista.

Indicando porque muito banqueiro ainda apoia Temer, ontem, em meio à crise política causada pelas delações da Lava Jato, o referido presidente do Brasil assinou uma medida provisória que permite ao BC fechar acordos de leniência com pessoas físicas ou jurídicas do setor financeiro que confessarem a prática de infração às normas legais.

Comprovando mais uma vez que bandidos se juntam em bandos, ontem Roberto Jefferson, que foi condenado e pivô do escândalo do mensalão e atualmente é o presidente nacional do PTB, se reuniu com o presidente Temer, a quem chamou de “amigo”, e saiu do encontro ressaltando que as acusações contra o presidente são "absolutamente injustas" e que seu partido se manterá na base aliada e se posicionará contra uma eventual denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República.

Apesar do apoio declarado de Dória, está ganhando força nas bancadas do PSDB na Câmara e do Senado a movimentação para um desembarque do governo de Temer, com entrega dos ministérios mas mantendo o apoio à agenda de reformas.

Defensor da mudança da constituição para a convocação de eleições diretas em uma eventual queda do governo Temer, ontem Joaquim Barboza, que se acovardou e renunciou ao cargo quando era presidente do Supremo Tribunal Federal, admitiu pela primeira vez sua intenção de se candidatar a presidente da República.

Com uma opinião diferente da de Dória, ontem, em encontro com representantes de fundos de investimento, Tasso Jereissati, presidente do PSDB, assumiu o discurso de que, se Temer conseguir se segurar no cargo, haverá a “sarneyzação” de seu governo, ressaltando que os tucanos deveriam sair da base aliada o quanto antes.

Seguindo seu “jogo de cartas marcadas”, o Tribunal Superior Eleitoral, comandado por Gilmar Mendes e totalmente dominado por Temer, continuará hoje seu “circo de horrores” para inocentar a chapa Dilma-Temer.

Crítica:

A campanha eleitoral britânica, que tem seu desfecho hoje, passou distante do tema economia, que será o mais importante do país nos próximos anos, já que o foco principal dos debates entre os candidatos foi o terrorismo, que tem assustado cada dia mais os súditos da rainha.

Em 2011, quando era vice de Dilma, Temer usou o jatinho do dono da Friboi para ir à Comandatuba, na Bahia, participar de um evento da LIDE, grupo empresarial até então comandado por Dória, que atualmente é prefeito de SP e que defende a permanência do PSDB na base aliada.

Além de acolherem os piores políticos do Universo, os partidos políticos brasileiros devem quase R$ 120mi aos cofres públicos, sendo que alguns desses débitos estão inscritos na Dívida Ativa da União há mais de 30 anos.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil


Nenhum comentário:

Postar um comentário