R.B. 30/JUN/17 "Paraíso da corrupção"



"Paraíso da corrupção"

São Paulo, 30 de junho de 2017 (SEXTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, porem novamente com baixo volume de negócios, com o objetivo de zerar a baixa acumulada no mês (-0,8%), diante da manutenção da trajetória de alta das commodities e dos sinais de recuperação das principais bolsas mundiais e (2) o DÓLAR pode cair, seguindo a esperada melhora do “humor” na bolsa tupiniquim, acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana e apresentando alguma volatilidade diante da “briga” para a formação da cotação de fechamento do mês.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 0,4%, mesmo com as perdas das bolsas de NY, ainda beneficiada pela recuperação dos preços das commodities e desta vez também impulsionada pela aprovação da Reforma Trabalhista na Comissão de Constituição de Justiça do Senado e (2) o DÓLAR subiu 0,6% à R$ 3,30, recuperando as perdas da abertura (-0,4%), para fechar o dia acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana,  também impulsionado pelo anúncio do Governo Central de que em MAI/17 o país teve o pior déficit primário da história.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 0,5% e China 0,5%, impulsionadas por ações do setor financeiro e de mineradoras, bem como por papéis de tecnologia, que reverteram as perdas recentes, (2) da EUROPA, Inglaterra -0,5%, França -1,9% e Alemanha -1,8%, com os dados bastante positivos das economias europeia e alemã elevando as expectativas de que o BC Europeu vai retirar estímulos monetários e (3) dos EUA, registrando as maiores baixas diárias desde MAI/17, S&P -0,9%, DJ -0,8% e NASDAQ -1,4%, com destaques de queda para as ações do setor de tecnologia, como Apple (-1,5%), Facebook (-1,4%) e Microsoft (-1,9%).

Elevando os “temores” de retirada dos estímulos monetários e de elevação mais intensa dos juros, ontem foi anunciada a revisão do desempenho do PIB dos EUA no primeiro trimestre deste ano, que passou de 1,2% para 1,4%, que foi fruto do aumento inesperado dos gastos dos consumidores e de um salto nas exportações.

Coberto de razão, o empresário José Efromovich, que está prestes a anunciar a união de sua companhia aérea, Avianca Brasil, com a Avianca Holdings, afirmou que lamenta a instabilidade da política no país em um momento em que a empresa precisa se expandir, porem ressaltou que a Lava Jato não pode acabar antes de atingir todos os culpados.

Superando até as “piores apostas do mercado”, que estavam entre R$ -12,1bi e R$ -27,7bi, em MAI/17 o Governo Central tupiniquim registrou um déficit primário de R$ -29,4bi, o que representa o pior resultado da história para o mês e gerou ainda mais preocupação em relação à necessidade de aprovação da reforma da Previdência, além da grande possibilidade de aumento de impostos, o que poderá pesar ainda mais sobre o desempenho da economia brasileira.

Implementando a primeira dedução em 17 anos, ontem o Conselho Monetário Nacional anunciou que a meta de meta de inflação, que desde 2005 estava em 4,5% ao ano, será de 4,25% em 2019 e de 4% em 2020, o que, segundo Meirelles, ministro brasileiro da fazenda, indica que o Brasil está iniciando uma convergência aos padrões internacionais.

Tentando tranquilizar o mercado, mas ao mesmo tempo transparecendo um enorme apego ao cargo, ontem Ilan Goldfajn, presidente do BC, “garantiu” que permanece na equipe econômica mesmo que o presidente Temer caia.

Se preparando para abrir sua caixa de maldades, a equipe econômica do presidente Temer já estuda um aumento de tributos cobrados na venda de combustíveis para compensar a perda de receitas com a recessão, turbinada pela crise política, e fechar as contas deste ano sem descumprir a meta estabelecida para redução do rombo no Orçamento.

Ascendendo uma “luz no final do túnel” da economia tupiniquim, segundo projeções do instituto de executivos do varejo em JUL/16 a inadimplência de pessoas físicas deverá ficar próxima a 5,9%, projeção que é 0,3% menor que o nível observado no mesmo período de 2016, o que equivale a uma queda de -6,2%.

Política:

Fazendo o setor produtivo comemorar, porem também indicando que Temer comprou todo mundo, a greve prevista para hoje não teve a adesão dos metroviários e dos motoristas e cobradores de ônibus, que provavelmente receberam do referido presidente do Brasil a garantia de manutenção do escabroso imposto sindical.

Escancarando uma enorme ojeriza com a classe política, segundo pesquisar recentes (1) 83% dos brasileiros acreditam que Temer teve envolvimento direto nos esquemas de corrupção, (2) a taxa de reprovação do prefeito tucano João Doria subiu de 39% em MAI/17 para 52% em JUN/17, (3) a rejeição a Aécio Neves está em 91%, (4) Lula é reprovado por 68% dos brasileiros e (5) Sergio Moro tem o apoio de 63% da população do país.

Há forte resistência entre os deputados à suspensão do recesso para a rápida votação da denúncia, como quer o Planalto e o presidente Temer já foi avisado de que, se quiser encerrar o assunto ainda em JUL/17, terá que apresentar sua defesa à CCJ até a próxima terça-feira (4/JUL/17).

Aceitando convite até para enterro, desde que lá tenha um deputado para ele comprar, ontem o presidente Temer almoçou na casa do deputado Heráclito Fortes, do PSB do PI, que apelidou de “quinta sem lei” os almoços que oferece praticamente todas as semanas a políticos em sua casa, em Brasília.

Contando as horas para assumir o posto mais elevado da política tupiniquim, porem fazendo um enorme esforço para não transparecer isto, Rodrigo Maia, presidente da Câmara e sucessor imediato de Temer, afirmou aos principais caciques de seu partido, o DEM, que não atuará para blindar ou salvar o referido peemedebista no processo de votação das denúncias contra ele.

-    Apesar de oficialmente o PSDB ainda ser da base do governo Temer, segundo indicações 6 dos 7 tucanos da Comissão de Constituição e Justiça devem votar contra o presidente.
-    Mostrando que ainda tem coragem, Doria, prefeito de SP, afirmou para jornalistas que se fosse presidente privatizaria o Banco do Brasil ou a Caixa.

Crítica:

Com o Brasil passando recibo de “paraíso da corrupção” para todo o mundo, o "Washington Post", que vinha acompanhando a longa crise brasileira por agências, publicou ontem uma reportagem própria destacando que Temer, acusado por corrupção, deve ser salvo por políticos também sob suspeita.

Prender Aécio, Lula e Temer não dá, mas, mostrando uma habilidade cada dia maior do Estado tupiniquim de meter o bedelho no livre mercado e de criar dificuldades para depois vender facilidades, ontem o Ministério da Justiça e Segurança Pública abriu uma investigação sobre supostas irregularidades da venda de hand spinner.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário