R.B. 12/JUN/17 "Benevolentes e nada republicanas"



"Benevolentes e nada republicanas"

São Paulo, 12 de junho de 2017 (SEGUNDA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em queda, ampliando a baixa registrada na semana passada (-0,4%) e devolvendo mais uma parte da valorização acumulada no ano (3,3%), influenciada pelo aumento da crise política brasileira e acompanhando as perdas das demais bolsas mundiais e (2) o DÓLAR pode subir, para fechar o dia acima dos R$ 3,30, seguindo a esperada piora do “humor” na bolsa brasileira e influenciado pela ausência do BC na ponta vendedora.

Sexta-feira no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -0,9%, diante da crescente indisposição dos investidores em tomar riscos por conta das incertezas que se colocam na cena política, desta vez por conta dos “rumores” de desembarque do PSDB da base aliada, e também influenciado pela manutenção da tendência de baixa das commodities e (2) o DÓLAR subiu 0,9% à R$ 3,29, rumo aos R$ 3,30, acompanhando a esperada piora do “humor’ na bolsa brasileira e também seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana.

Também sexta-feira, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 0,5% e China 0,3%, “comemorando” o anúncio de que a inflação chinesa ao consumidor ficou abaixo do esperado, o que pode fazer com o governo do país estenda os estímulos à economia, (2) da EUROPA, Inglaterra 1,0%, França 0,7% e Alemanha 0,8%, beneficiados pela perspectiva de uma separação mais "suave" entre o Reino Unido e a União Europeia após o resultado das eleições gerais britânicas, que deu vitória ao partido da primeira-ministra Theresa May e (3) dos EUA, sem uma tendência única, S&P -0,1%, DJ 0,4% e NASDAQ -1,8%, divididas entre a realização de lucros do setor de tecnologia e a valorização das ações dos bancos.

Ainda “agindo como Poliana”, Meirelles, ministro brasileiro da Fazenda e que sabe que é o único pilar de confiança do governo Temer, (1) afirmou que a reforma trabalhista já foi votada na comissão especial do Senado, (2) disse que o "importante" é que as reformas continuem avançando, (3) descartou colocar a independência do BC como prioridade neste momento e (4) “garantiu” que, até o fim de 2017, o país voltará a ter uma taxa de investimentos positiva.

Abrindo espaço para o Copom seguir cortando a Selic em -1,0% na sua próxima reunião, que ocorrerá apenas nos dias 25 e 26/JUL/17, o IPCA de MAI/17 ficou em 0,31% e com isto a inflação tupiniquim acumulada os últimos 12 meses está em 3,60%, o que representa o menor patamar dos últimos 10 anos.

Apesar das incertezas políticas e econômicas, segundo 4 das maiores empresas do setor de fusões e aquisições que atuam no Brasil nos últimos 3 meses as diligências feitas por consultorias cresceram em relação ao ano passado e também ao começo de 2017.

Segundo a opinião de todos os 7 integrantes do Comitê de Datação de Ciclos Econômicos, que é um grupo formado pela FGV que se dedica a marcar o início e o fim de períodos de expansão e queda da atividade no Brasil, é prematuro concluir que a recessão tupiniquim acabou.

Ressaltando que as condições oferecidas são "benevolentes e nada republicanas", o procurador Fernando dos Santos Lima, que é um dos coordenadores da força-tarefa da Operação Lava Jato, criticou duramente a Medida Provisória editada pelo governo Temer que permite ao BC fechar acordos de leniência com banqueiros e instituições financeiras.

Política:

Se aproveitando do aumento do “poder de barganha” diante da crise política, entidades do setor privado aumentaram a pressão para que uma legislação para o licenciamento ambiental mais flexível seja levada a votação.

Provando pela enésima vez que “bandidos se juntam em bandos”, mais de 20 dias após o Supremo Tribunal Federal determinar que o senador tucano Aécio Neves fosse afastado do mandato, o Senado ainda não cumpriu a decisão da corte.

Seguindo o que ocorre em países comandados por ditadores, como Rússia, Venezuela e Cuba, o presidente Temer determinou que a agencia brasileira de inteligência espionasse Edison Fachin, ministro do STF que é o responsável pela relatoria das investigações da operação Lava Jato.

Coberta de razão, Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal, reagiu duramente diante da informação de que o ministro da Corte Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato, estaria sendo espionado pela Agência Brasileira de Inteligência a pedido do presidente Temer.

“Defensor de bandidos”, Gilmar Mendes, ministro do TSE que foi responsável pela absurda absolvição da chapa Dilma-Temer, afirmou que uma eventual condenação do presidente lançaria o país em um quadro de incertezas.

Comandada por Dória, o prefeito de SP que jogou “na lama” sua credibilidade em troca do apoio do PMDB à sua candidatura à presidente em 2018, hoje a cúpula do PSDB deve confirmar que o partido ficará na base aliada de Temer.

Crítica:

Provavelmente “bancado” pelos lobistas da nefasta indústria petrolífera, são cada dia maiores os rumores de que a oferta de lítio não seja capaz de acompanhar o aumento da demanda com a expansão na produção de veículos elétricos.

Como tem certeza da impunidade, na véspera da divulgação do acordo de delação premiada que fecharam com o Ministério Público Federal, os acionistas controladores da Friboi venderam R$ 10mi em ações da companhia.

Nada é mais importante que o Estado Democrático de direito, já que sem o respeito à lei voltamos à idade média, onde a única lei era "olho por olho dente por dente", por isto foi com tristeza que vi amigos que respeito defendendo a atitude inaceitável e criminosa de um tatuador, que supostamente fez justiça com as próprias mãos.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil


Nenhum comentário:

Postar um comentário