R.B. 5/MAI/17 "Repetindo a mesma mentira que contam os petistas"



"Repetindo a mesma mentira que contam os petistas"

São Paulo, 5 de maio de 2017 (SEXTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, tentando recuperar as perdas acumuladas no mês (-0,8%), acompanhando o movimento ascendente das principais bolsas mundiais e a valorização das commodities e (2) o DÓLAR pode cair, devolvendo a alta acumulada no mês (0,5%), influenciado pelos leilões de venda do BC e pela esperada melhora do “humor” na bolsa tupiniquim.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -1,9%, alheia ao desempenho das demais bolsas mundiais, com bom volume de negócios (R$ 9,1bi) e prejudicada pelo forte recuo das commodities, como o petróleo (-4,8%), e pelo crescente desconforto com o cenário político tupiniquim e (2) o DÓLAR subiu 0,8% à R$ 3,18, acompanhando a piora do “humor” na bolsa, diante do aumento das “apostas” de que será difícil para o governo conseguir os votos necessários no plenário para aprovar a reforma da Previdência.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão a bolsa continuou fechada devido a um feriado local e China -0,2%, prejudicada pela divulgação de um fraco indicador de atividade no setor de serviços, que em ABR/17 se expandiu no ritmo mais lento em quase 1 ano, (2) da EUROPA, Inglaterra 0,2%, França 1,3% e Alemanha 1,0%, novamente impulsionadas por bons balanços corporativos, como o HSBC (2,9%), e pela consolidação das “apostas” de vitória do candidato centrista, Emmanuel Macron, nas eleições francesas e (3) dos EUA, sem uma tendência única e próximas da estabilidade, S&P -0,1%, DJ 0,1% e NASDAQ 0,1%, divididas entre o péssimo desempenho das empresas do setor de energia, diante da forte queda do petróleo (-4,8%), e as boas notícias do cenário político local, por conta da aprovação das reformas da Saúde e do pacote de US$ 1,1tri para financiar o governo.

Desesperadamente em busca de novas fontes de receita para cumprir a meta fiscal deste ano, o governo Temer estuda leiloar as sobras de energia das distribuidoras, já que estima que essa medida poderá destravar o setor e atrair até R$ 27bi para os cofres da União se todo o excesso de energia estiver à venda.

Desta vez sem esconder sua preocupação, que acabou se refletindo na queda da bolsa tupiniquim, ontem Meirelles, ministro brasileiro da Fazenda, afirmou que para que a reforma da Previdência alcance o objetivo do governo de controle de gastos e ajuste fiscal, o projeto não pode mais ser "fundamentalmente alterado".

Provando mais uma vez que, no geral, é cada dia mais um pior negócio “investir em tijolo” no Brasil, nos últimos 12 meses, quando levada em consideração a inflação acumulada no período (4,14%), o preço médio de venda dos imóveis no país registrou uma queda real de -3,32%.

Ascendendo uma luz no final do túnel, no primeiro trimestre deste ano a indústria de eletroeletrônicos ampliou em 4,3% sua produção na comparação com o mesmo período de 2016, o que representa a primeira alta trimestral desde 2014.

Mostrando mais uma vez que no Brasil não é um bom negócio pagar as contas em dia, o Palácio do Planalto e seus aliados no Congresso devem oferecer benefícios a empresas e produtores rurais com dívidas com o fisco para reduzir as resistências à reforma da Previdência sem precisar fazer novas concessões na proposta que muda as regras das aposentadorias.

Atualmente trabalhando para fazer as empresas sobreviverem à crise, no primeiro trimestre deste ano a Desenvolve SP, agência de desenvolvimento do Estado de SP, elevou em 187% suas linhas de crédito para capital de giro e apenas 11% seus desembolsos para investimentos, ambos na comparação com o mesmo período de 2016.

Segundo uma pesquisa feita pela consultoria Mercer, na opinião da maioria dos responsáveis por gestão de ativos de renda variável nas maiores instituições financeiras tupiniquins, os setores de bancos, energia elétrica e varejo são os mais promissores em 2017, e seguros, telecomunicações e mineração são os menos atrativos para este ano.

Um estudo da S&P Dow Jones Índices, divisão da S&P Global, apontou que nos últimos 5 anos só 27,7% dos gestores de fundos de ações conseguiram bater o indicador usado como referência no mercado financeiro.

Política:

Partindo para o ataque, já que é a melhor coisa que lhe resta fazer, o presidente Temer afirmou ontem, coberto de razão, que a campanha contra a reforma da Previdência proposta pelo Planalto vem dos "poderosos" e não dos mais pobres.

“Repetindo a mesma mentira que contam os petistas”, acreditando como eles que assim ela pode virar verdade, o presidente Temer defendeu uma distinção entre caixa 2 e propina na apuração dos episódios delatados por ex-executivos da Odebrecht em acordo de delação com a Operação Lava Jato.

Apesar da reforma da Previdência ter sido aprovada na comissão da Câmara, as principais lideranças da base aliada já admitem que o conturbado cenário político em Brasília deve jogar a aprovação final da matéria no plenário do Congresso para o segundo semestre deste ano.

Com a justiça de aproximando da corrupção do governo tucano de SP, ex-dirigentes da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos e ex-executivos de empresas do setor de trens passaram à condição de réus pelo suposto envolvimento na prática de crimes ligados à formação de cartel para fraudar licitações da linha 5 do Metrô.

Acreditando que sua vitória é possível, o deputado Jair Bolsonaro  acelerou as negociações para trocar seu partido atual, o PSC, pelo “Muda Brasil”, legenda que ainda está em processo de criação e é patrocinada pelo ex-deputado Valdemar Costa Neto, condenado no mensalão.

A decisão, acertada aliás, do ministro Edson Fachin de empurrar para o plenário o habeas corpus de Antonio Palocci causou irritação generalizada na segunda turma do Supremo, que é formada por uma maioria de “petistas de toga.

No jantar em que debateu a reforma da Previdência diante do presidente Temer, a cúpula do PSDB ressaltou a aliança com o governo mas disse que só topa fechar questão sobre as mudanças nas regras de aposentadoria se o PMDB, partido do presidente, o fizer antes.

Crítica:

Mais morféticos, mas também mais quebrados, segundo uma pesquisa da GFK os brasileiros são o povo que mais gosta de férias sem nada para fazer, já que 71% preferem esse tipo de descanso, contra 41% da média global.

Defendendo bandidos, a justiça de SP mandou soltar 3 militantes do grupo anarco-terrorista MTST que quebraram a cidade durante os protestos de sexta-feira da semana passada.

Defendendo heróis, a Associação dos Oficiais da Polícia e do Corpo de Bombeiros Militar de Goiás realizou ontem um café da manhã em apoio ao capitão Augusto Sampaio de Oliveira, afastado do policiamento ostensivo após agredir um baderneiro, que mesmo com 33 anos se classifica como “estudante”, durante os protestos de sexta-feira passada.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário