R.B. 27/ABR/17 "A doutrinação política na educação"



"A doutrinação política na educação"

São Paulo, 27 de abril de 2017 (QUINTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve cair, acompanhando o recuo das commodities e as perdas das principais bolsas mundiais e também influenciada negativamente pelo placar baixo alcançado pelo governo Temer na aprovação da reforma trabalhista e pelos “temores” com a dimensão da greve marcada para amanhã e (2) o DÓLAR pode voltar a subir, mesmo diante do anúncio de mais um leilão de venda do BC, seguindo a esperada priora do “humor” na bolsa tupiniquim e também a trajetória internacional da moeda norte-americana.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -0,4%, após mais um pregão marcado pela forte volatilidade, em um dia de tensão por conta da tramitação da reforma trabalhista no plenário da Câmara, cujo desfecho é fundamental para modernizar o país e para elevar as chances de avançar na reforma da Previdência e (2) o DÓLAR subiu 0,7% à R$ 3,17, para fechar o dia no maior patamar desde MAR/17, influenciado pelo mesmo motivo que derrubou a bolsa tupiniquim e também acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana, diante do anúncio do ousado plano de reforma tributária de Trump nos EUA.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 1,1% e China 0,2%, seguindo o bom desempenho dos mercados acionários de NY no dia anterior e também impulsionadas pela divulgação de bons resultados corporativos, (2) da EUROPA, acompanhando a melhora do “humor global”, Inglaterra 0,2%, França 0,2% e Alemanha 0,1%, “animadas” pela divulgação de pesquisas indicando que candidato centrista à presidência da França, Emmanuel Macron, está mantendo larga liderança nas pesquisas ante Marine Le Pen, da extrema-direita e com destaques de alta para as ações dos bancos, como Barclays (1,6%) e Credit Suisse (2,7%) e (3) dos EUA, S&P 0,1%, DJ 0,1% e NASDAQ 0,1%, sustentadas pelo anúncio de Steven Mnuchin, Secretário de Tesouro do país, que confirmou que o programa de reforma tributária incluirá um corte na taxa de impostos às empresas de 35% para 15%.

Mostrando que a economia tupiniquim segue “sem forças para crescer”, (1) em MAR/17 a arrecadação administrada pela Receita Federal totalizou R$ 97,3bi, o que representa uma queda real (descontada a inflação do período) de -1,54% na comparação com o mesmo mês do ano passado e (2) a arrecadação com o Imposto de Importação somou R$ 3,8bi no mês passado, montante -10,9% inferior do que o registrado em MAR/16.

Além de facilitarem a corrupção, causarem distorções, quebrarem as contas públicas e prejudicarem a competitividade do país, segundo o Ministério Público carioca 77,5% dos benefícios fiscais concedidos no RJ são inconstitucionais, por não terem sido aprovados pelo Confaz, que é o órgão federal de política fazendária.

Provando, pela enésima vez, a enorme insegurança regulatória e a imensa burocracia tupiniquim, ontem, “após 13 longos anos” do início do processo, o governo finalmente concedeu a licença ambiental para o Porto de Santos, que é o maior da América Latina, o que vai permitir a redução do custo da apólice de seguros do porto, aumentando sua competitividade.

“Sonhando acordada”, principalmente diante da legislação protecionista e da insegurança regulatória ainda vigentes no Brasil, ontem a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis anunciou que, com o objetivo de atrair outros agentes para o setor, estuda aprimorar os contratos das 3 grandes rodadas de licitação de blocos exploratórios de óleo e gás previstas para este ano.

Comandada pelos melhores e mais respeitados executivos do Brasil, a Anheuser-Busch InBev, maior cervejaria do mundo, anunciou ontem que, apesar do declínio das vendas de cerveja nos últimos 2 anos, continua convencida do potencial do mercado consumidor tupiniquim, destacando como fatores positivos o crescimento populacional, a disposição dos consumidores para comprar marcas premium mais caras e a maior atratividade do país para os investidores estrangeiros.

Coberto de razão, Guilherme Campos, presidente dos Correios, disse que a decisão dos trabalhadores da empresa de entrar em greve "dá argumentos para a parte que defende a privatização" da estatal, que a cada dia mais se mostra economicamente inviável.

-    O Bradesco subiu 1,7% e, após o fechamento do pregão o banco anunciou que registrou lucro líquido contábil de R$ 4,1bi nos 3 primeiros meses do ano, o que representa uma redução de -1,2% na comparação com o mesmo período de 2016 e um aumento de 13,3% na comparação com o ultimo trimestre do ano passado.
-    A Vale caiu -2,0%, porem na manhã de hoje a empresa anunciou que, beneficiada pelo preço do minério de ferro, seu lucro líquido do primeiro trimestre cresceu 25% na comparação com o mesmo período de 2016, atingindo R$ 7,9bi, o que representa o melhor resultado trimestral desde 2013.

Política:

Copiando o prefeito Doria, de SP, que já tinha feito seu anúncio na parte da manhã, ontem à tarde o presidente Temer “avisou” que, apesar de respeitar o direito à greve, cortará o ponto dos servidores públicos que faltarem ao trabalho para atender ao chamado de Lula e da CUT de fazer uma paralização amanhã em protesto contra as reformas trabalhista e da previdência.

Após ressaltar que a atual legislação trabalhista é arcaica, alertando que prejudica profundamente o país o fato de uma legislação da década de 40 ainda estar ativa no século 21, Dória, prefeito de SP, “avisou” que que vai cortar o ponto de funcionários da prefeitura que aderirem ao movimento de greve previsto para esta sexta-feira.

Ontem, depois de mais de 14 horas de sessão, o plenário da Câmara dos Deputados finalmente concluiu a aprovação, por 296 votos a 177, a reforma trabalhista, por uma das prioridades legislativas do governo de Temer, porém, apesar da vitória, o governo não conseguiu atingir mais de 308 votos, como queria, para sinalizar que tem votos suficientes para aprovar a reforma da Previdência, que, por se tratar de emenda à Constituição, essa reforma precisa do apoio de pelo menos 60% dos congressistas (308 de 513 deputados).

Legislando em causa própria e com o objetivo claro de conter e/ou constranger a operação Lava Jato, ontem, após uma reunião que adentrou a madrugada passada e contou com parlamentares de diversos partidos, o Senado chegou a um acordo e aprovou, por 54 votos a 19, o projeto de lei, de autoria do “senador-coronel” Renan Calheiros, que endurece as punições por abuso de autoridade atribuídas a agentes públicos, incluindo juízes, promotores e policiais.

Com foi voto vencido, o ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, reagiu com ironia ao comentar a decisão de colegas dele na Segunda Turma da corte, quase toda formada por indicados por Dilma ou Lula, que soltou 2 presos da Lava Jato (1) João Carlos Genu, ex-tesoureiro do PP e (2) José Carlos Bumlai, pecuarista, amigo e provavelmente comparsa de Lula.

Mesmo os petistas tradicionais que antes diziam que Palocci, ex-estrela do PT, não teria coragem de centrar fogo em Lula em sua delação pela relação próxima que os dois tinham antes da Lava Jato agora admitem que o ex-presidente não será poupado na colaboração.

Crítica:

Provocando um intenso e importante debate sobre “a doutrinação política na educação”, escolas particulares tradicionais, e obviamente caríssimas, de SP, decidiram cancelar suas aulas amanhã por conta da decisão dos professores de cruzarem os braços e aderirem a greve convocada por Lula e pela CUT contra as reformas da previdência e trabalhista.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário