R.B. 12/ABR/17 "O Brasil está dominado e é comandado por uma gang de bandidos"



"O Brasil está dominado e é comandado por uma gang de bandidos"

São Paulo, 11 de abril de 2017 (QUARTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em queda, influenciada pela instabilidade das principais bolsas mundiais e pressionada principalmente pela divulgação da lista de Fachin, que deve “azedar” o clima políticos e dificultar a aprovação da Reforma da Previdência e (2) o DÓLAR pode seguir em alta, pressionado pelos mesmos motivos que devem derrubar a bolsa tupiniquim e também influenciado pelas “apostas” de corte de no mínimo -1,0% da taxa básica de juros na reunião do Copom de hoje.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -0,4%, revertendo uma abertura positiva, acompanhando as perdas das demais bolsas mundiais e prejudicada pelo anúncio de que Edson Fachin, ministro do Supremo Tribunal Federal, determinou a abertura de inquérito contra 9 ministros de Temer, 29 senadores e 42 deputados federais e (2) o DÓLAR subiu 0,2% à R$ 3,14, em um pregão marcado pela forte volatilidade, diante das expectativas para a reunião do Copom e dos temores com a tensão geopolítica.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, sem uma tendência única, Japão -0,3%, prejudicadas pela valorização da moeda local (o iene) frente ao dólar e pelo aumento das preocupações geopolíticas e China 0,6%, terminando a sessão no maior nível em 15 meses, impulsionada por ações dos setores que devem se beneficiar da recém-lançada nova zona econômica de Xiongan, (2) da EUROPA, também sem uma tendência única, em uma sessão marcada pela tensão diante do cenário geopolítico global, Inglaterra 0,2%, França -0,1% e Alemanha -0,5%, divididas entre a divulgação de indicadores divergentes do continente, como a queda inesperada de -0,3% da produção industrial da zona do euro em FEV/17 e o aumento maior do que o esperado do índice alemão de expectativas econômicas ZEW para 19,5pts em ABR/17 e (3) dos EUA, S&P -0,1%, DJ -0,1% e NASDAQ -0,2%, pressionadas por uma maior busca por segurança, diante do aumento da tensão geopolítica, e com destaques de queda para as ações dos bancos, como Morgan Stanley (-0,8%) e Goldman Sachs (-0,5%).

Hoje, após o fechamento do pregão, termina a reunião do Copom e, diante de um cenário de inflação caindo para baixo do centro da meta (4,5%), estagnação da economia e intensificação da tensão política, o mínimo que a autoridade monetária tupiniquim pode fazer é cortar a taxa básica de juros do país em -1,0%, dos atuais 12,25% para 11,25%, porem uma redução mais intensa e corajosa não seria criticada por “quase ninguém”.

Coberta de razão, a equipe econômica do presidente Temer acredita que a divulgação dos inquéritos abertos contra ministros e congressistas deve atrasar a pauta de votações das reformas propostas pelo governo, em especial a da Previdência, dificultando sua aprovação e aumentando as pressões pela flexibilização dos projetos.

Ascendendo uma luz no fim do túnel, mesmo ficando praticamente estável ao crescer apenas 0,1% entre JAN/17 e FEV/17, a produção industrial brasileira fechou o segundo mês, na série com ajuste sazonal, com expansão em 9 dos 14 locais pesquisados pelo IBGE, com destaque positivo para Santa Catarina (2,8%) e destaque negativo para Pernambuco (-7,8%).

Buscando novas fontes de recursos e também visando estimular a economia e a geração de empregos, o Conselho Nacional de Política Energética aprovou ontem a oferta de 12 novas áreas do pré-sal em leilões até 2019, ressaltando que que todas têm potencial "para mais de bilhão de barris".

Apresentando números cada dia mais auspiciosos, ontem a Companhia Nacional de Abastecimento anunciou uma elevação, de 107,6 milhões para 110,2 milhões, da suas projeções para a safra 2016/17 de soja brasileira, o que, se confirmado, será o melhor resultado da história.

-    A Tesla subiu 3,2% na bolsa de NY e, apenas 1 semana após superar a Ford, ontem superou a GM em valor de mercado e assim se tornou a montadora mais valiosa dos EUA, num momento em que o setor se torna cada vez mais dependente de softwares e tecnologias de energia.
-    A Azul subiu 6,7%, na sua estreia na bolsa tupiniquim, que “coincidentemente” foi o mesmo dia em que o governo Temer anunciou que o percentual máximo de capital estrangeiro nas empresas áreas tupiniquins subiu de 20% para 100%.
-    A United Airlines caiu -1,1% na bolsa de NY, pressionada pela alta do petróleo e seguindo o desempenho das demais ações do setor aéreo, apesar do estardalhaço feito pela mídia, principalmente tupiniquim, após um vídeo com policiais tirando à força um passageiro de um voo da companhia nos EUA, o que é bom ressaltar está de acordo com as leis do referido país.

Política:

Todos os 5 ex-presidentes vivos (Sarney, Collor, FHC, Lula e Dilma), o atual presidente Temer, 9 governadores, 8 ministros, 71 parlamentares (sendo 24 senadores, 47 deputados, o presidente do Senado e o Presidente da Câmara) e dezenas de outros políticos foram formalmente acusados e serão investigados pela justiça por conta da delação da Odebrecht, o que confirma que “o Brasil está dominado e é comandado por uma gang de bandidos”.

Mostrando bastante otimismo, o deputado peemedebista Carlos Marun, que é o presidente da comissão que analisa o projeto de reforma da Previdência, afirmou que a proposta será aprovada com no mínimo 350 votos na Câmara, o que representa mais de 68% dos 513 deputados.

Diante da lista de Fachin, que até FHC sabia o teor antes da divulgação, foi adiado, por falta de quórum no plenário da Câmara, mais uma vez a votação do programa de socorro aos Estados em calamidade financeira, tema que passa por idas e vindas desde o fim do ano passado.

Praticamente aniquilando suas chances de ser candidato a presidente pelo PSDB, Alckmin, governador de SP, recebeu, segundo os delatores da Odebrecht, R$ 10,7mi em caixa dois do departamento de propina da referida construtora por intermédio de seu cunhado,
o “empresário” Adhemar Cesar Ribeiro.

-    Maluf, atualmente considerado ladrão de galinha, Tiririca, o palhaço, e Bolsonaro, o reacionário de direita, são 3 políticos polêmicos, prosaicos e bastante criticados pela mídia que ficaram fora da lista de Fachin.
-    Todo animado, enquanto aliados e adversários buscavam informações sobre seus inquéritos, Dória, prefeito tucano de SP, posava para selfies e recebia aplausos a bordo de um voo da Emirates, rumo à Coreia do Sul.
-    Na cúpula do PT, uma delação de Palocci, que está cada dia mais pendendo para isto, é vista como algo capaz de mudar o patamar da crise e selar definitivamente o destino de Lula, que é a cadeia.

Crítica:

Com sua já tradicional “cara de bonzinho”, ontem, “coincidentemente” poucas horas antes da divulgação da lista de Fachin, o ex-presidente FHC divulgou um vídeo em seu facebook sugerindo que todos os partidos e políticos do país se unissem para trabalhar à favor do Brasil, "virando a página" da Lava Jato.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário