R.B. 24/FEV/17 "A autoridade monetária tupiniquim mostrou que é Nutella"



"A autoridade monetária tupiniquim mostrou que é Nutella"

São Paulo, 24 de fevereiro de 2016 (SEXTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve voltar a cair, ainda realizando lucros recentes e também em um movimento de cautela antes do feriado de Carnaval, desta vez acompanhando as perdas das principais bolsas mundiais e o recuo das commodities e (2) o DÓLAR pode subir, em um “ajuste técnico” após as quedas recentes, influenciado pela esperada piora do “humor” na bolsa brasileira e também seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -1,6%, devolvendo os ganhos da abertura e realizando lucros recentes, com os investidores “frustrados” com a decisão do Copom de cortar a Selic em “apenas” 0,75% e novamente com destaques de queda para Vale (-4,1%) e Petrobrás (-0,9%) e (2) o DÓLAR caiu -0,5% à R$ 3,06, para fechar o dia no menor patamar desde JUN/15, acompanhando a trajetória internacional da moeda norte-americana, diante da redução das “apostas” de alta dos juros nos EUA.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão -0,1% e China -0,3%, realizando lucros recentes, à medida que investidores digeriam a ata do Fed (“BC” dos EUA) e se preocuparam com “rumores” de reestruturação em alguns dos principais postos-chave de sua equipe econômica chinesa, incluindo o ministério do Comércio, o regulador bancário e o órgão de planejamento estatal, uma vez que os atuais ocupantes estão para atingir a idade de aposentadoria, de 65 anos, (2) da EUROPA, Inglaterra -0,4%, França -0,1% e Alemanha -0,4%, prejudicadas pela divulgação de balanços negativos, somo o do banco Barclays (-2,6%) e o da farmacêutica Bayer (-2,6%), pela retração do preço do cobre e pela queda do índice de confiança alemão e (3) dos EUA, sem uma tendência única, apesar do DJ ter superado o maior patamar da história pela pela 10ª sessão consecutiva, S&P 0,1%, DJ 0,2% e NASDAQ -0,4%, com ações do setor de biotecnologia, como Intercept Pharmaceuticals (-5,6%) e Nvidia (-9,3%), pressionando a Nasdaq, e alguns investidores começando a avaliar que o “mercado” está contabilizando muito mais otimismo do que deveria.

Apresentando mais uma “luz no fim do túnel”, registrando o melhor resultado desde JAN/13, em JAN/17 as contas do governo federal tiveram um superávit primário (receitas menos despesas antes do pagamento de juros) de R$ 18,9bi, o que representa um crescimento real (descontada a inflação do período) de 21,4% na comparação com JAN/16.

-    Perdendo bastante força, o IGP-M de FEV/17 registrou inflação de apenas 0,08%, contra 0,64% em JAN/17 e 1,29% em FEV/16.

Com a inflação convergindo para a meta, as expectativas para o IPCA de 2017 já abaixo de 4,5% e a recessão econômica ainda forte, “a autoridade monetária tupiniquim mostrou que é Nutella” ao decidir cortar a taxa básica de juros em apenas -0,75% na reunião do Copom desta semana.

Dando o primeiro passo para atrair investidores privados para projetos de saneamento, o BNDES lançou ontem os editais para a contratação de estudos dos Estados que se habilitaram a participar do programa de concessões do governo para o setor e o primeiro lote inclui Pernambuco, Maranhão, Pará, Amapá, Sergipe e Alagoas.

“Apostando” na recuperação da economia tupiniquim, a Nissan, na contramão de outras montadoras, anunciou que pretende contratar 600 funcionários em 2017, criar um segundo turno para a sua única fábrica no País, localizada no sul do RJ e investir R$ 200 milhões no projeto de implantação da produção do Nissan Kicks.

Derrubando barreiras e monopólios, que causam danos sérios à competitividade tupiniquim, ontem o presidente Temer sancionou, sem vetos, uma lei que autoriza o Banco Central a comprar papel-moeda no exterior, o que é resultado de um longo processo de decadência da Casa da Moeda brasileira, que foi criada em 1694, ainda no Brasil Colônia.

-    A Natura caiu - 6,2, após a empresa anunciar que apurou lucro líquido consolidado de R$ 201,8mi no quarto trimestre, patamar -38,8% menor do que no mesmo período de 2015.

Política:

Apesar de dizer logo nas primeiras declarações que vai manter distancia da Lava Jato, o deputado federal peemedebista Osmar Serraglio, que foi escolhido por Temer para ocupar o Ministério da Justiça, atendendo uma demanda da bancada do PMDB na Câmara, é um parlamentar ligado à ala de Eduardo Cunha dentro do seu partido e relator da CPI dos Correios, berço das apurações sobre o escândalo do mensalão do PT na Câmara.

A central sindical Pública, que representa servidores dos 3 poderes, apresentou uma denúncia contra o secretário de Previdência, Marcelo Caetano, à Comissão de Ética Pública da Presidência, ressaltando que há um conflito de interesses por ele ocupar, ao mesmo tempo, um cargo no conselho de administração da Brasilprev, empresa de previdência privada.

Paparicando os tucanos, o presidente Temer se reuniu no Palácio da Alvorada com Aécio Neves, presidente do PSDB, para discutir "institucionalmente" com ele a indicação para que a pasta se mantivesse sob o guarda-chuva do PSDB, principal aliado da gestão peemedebista e fiador do ajuste fiscal do governo.

Atendendo uma demanda do presidente da Câmara, o democrata Rodrigo Maia, que fez críticas abertas ao colega, Temer decidiu que destituir o deputado André Moura, do PSC, do posto de líder do governo na Câmara e vai colocar no seu lugar o deputado Aguinaldo Ribeiro, do PP.

Diante da decisão do TSE de ouvir delatores da Odebrecht no caso que pede a cassação da chapa Dilma-Temer, a defesa do peemedebista passou a avaliar medidas para tentar adiar o desfecho do julgamento e para isto pode apresentar novas testemunhas, solicitar oitiva de pessoas mencionadas ou até novas perícias.

Rodrigo Rocha Loures, assessor especial de Michel Temer que assumirá o mandato de deputado com a nomeação de Osmar Serraglio, deve ser designado vice-líder do governo na Câmara e terá a importante tarefa de pacificar a base aliada e eliminar arestas.

Crítica:

Servindo de lição, bastante dolorosa, para jovens que antes da crise trocavam de emprego mais do que de sapato, de acordo com dados divulgados ontem pelo IBGE, entre trabalhadores na faixa de 14 a 17 anos de idade, a taxa de desemprego subiu de 10,9% no quarto trimestre de 2015 para 39,7% no quarto trimestre do ano passado.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil


Nenhum comentário:

Postar um comentário