R.B. 22/NOV/16 "Verdadeiros patrões do Brasil"



"Verdadeiros patrões do Brasil"

São Paulo, 22 de novembro de 2016 (TERÇA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve seguir em alta, ainda “com boas chances” de fechar o ano próxima dos 65.000pts, diante das “apostas” de (a) queda da taxa básica de juros, (b) retomada da economia tupiniquim, (c) valorização das commodities, (d) aprovação das reformas e (e) um governo “pró-mercado” de Trump nos EUA e (2) o DÓLAR pode cair, ainda acompanhando a melhora do “humor” na bolsa tupiniquim e a trajetória internacional da moeda norte-americana, porem deve-se ressaltar que a tendência ainda é de alta, diante das expectativas de alta dos juros nos EUA e queda da Selic no Brasil.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 1,8%, bom volume de negócios (R$ 10,8bi) por conta do vencimento de opções, para recuperar o patamar dos 61.000pts e fechar 61.070aos pts, impulsionada pela valorização do petróleo (4,3%) e acompanhando o movimento ascendente das principais bolsas mundiais e (2) o DÓLAR caiu -1,1% à R$ 3,34, influenciado pela melhora do “humor” na bolsa brasileira e seguindo a valorização internacional das moedas dos países emergentes e exportadores de matérias-primas.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, nos maiores patamares em 10 meses, Japão 0,8%, com as exportadoras beneficiadas pela desvalorização da moeda local (iene) frente ao dólar e China 0,8%, impulsionada por expectativas de que seguradoras ampliem investimentos e por corretoras, cujas ações subiram à espera do lançamento da parceria operacional entre as bolsas de Shenzhen e de Hong Kong, (2) da EUROPA, Inglaterra 0,1%, França 0,6% e Alemanha 0,2%, impulsionadas por empresas relacionadas a commodities, como Shell (1,5%) e Total (4,7%), já que o preço do petróleo atingiu o nível mais alto em 3 semanas diante do aumento das expectativas dos investidores de que o cartel da OPEP poderá chegar a um acordo para cortar a produção na reunião da semana que vem e (3) dos EUA, nos maiores patamares da história, S&P 0,7%, DJ 0,5% e NASDAQ 0,9%, com destaques de alta para as ações de bancos, da área de saúde e de outros setores que devem se beneficiar com as políticas de Trump.

Rendendo-se à realidade e ressaltando que as novas projeções não tem relação com a vitória de Trump nos EUA, ontem o Ministério da Fazenda reduziu, de 1,6% para 1,0%, sua previsão para o crescimento da economia brasileira no próximo ano, aproximando-se assim das estimativas mais “modestas” feitas por analistas do mercado nas últimas semanas e ressaltando que a mudança foi feita por causa dos efeitos da recessão econômica sobre o mercado de crédito para as empresas, que encareceu nos últimos meses.

Como a economia tupiniquim está demorando em dar sinais de recuperação, o “mercado” reduziu pela segunda semana consecutiva, desta vez de 6,84% para 6,80%, suas “apostas” para a inflação medida pelo IPCA neste ano e também diminuiu novamente, agora de -3,37% para -3,40%, suas estimativas para o desempenho do PIB do país em 2016.

Ontem, durante a reunião com o Conselhão (formado por 96 líderes empresariais tupiniquins), o presidente Temer e o ministro da Fazenda, Meirelles, fizeram um apelo para que o setor privado "faça propaganda positiva do governo", defendendo medidas impopulares, e tenha um "maior engajamento" para ajudar o país a sair da crise.

“Verdadeiros patrões do Brasil”, ontem, durante reunião com Temer, o “empregado número 1”, (1) Luiz Trabuco, presidente do Bradesco, afirmou que o país já tem "condições estruturais" para uma queda mais acentuada da taxa básica de juros (Selic) e (2) Roberto Setubal, presidente do Itaú, recomendou que o governo leve adiante, o quanto antes, as reformas da Previdência, trabalhista e a política.

Ressaltando, pela enésima vez, que as reservas internacionais do país, de cerca de US$ 373bi, são um seguro para o Brasil e contribuem para reduzir o risco, Ilan Goldfajn, presidente do BC, afirmou que a autoridade monetária continua monitorando o mercado para garantir liquidez e tem um papel no fortalecimento do regime de câmbio flutuante e na retomada da confiança, com o controle da inflação.

-    O Banco do Brasil subiu 7,8%, com o “mercado” otimista com o anuncio do plano de reestruturação da referida estatal, que espera economizar R$ 2,9bi ao ano com o fechamento de agencias e aumento de produtividade.

Política:

Atuando sorrateiramente, a comissão especial da Câmara dos Deputados deve votar hoje o pacote de propostas contra a corrupção em meio a muita polêmica e a articulações de bastidor para aprovar de forma "simbólica", ou seja, sem votação nominal, uma ampla e explícita anistia a alvos da Lava Jato.

Confirmando, como já se “suspeitava”, que a corrupção de Sergio Cabral continuou após ele eleger Pezão como seu sucessor, o atual secretário estadual de Obras do RJ, José Iran Peixoto Jr., recebeu por e-mail uma cobrança de "caixinha" do antecessor no cargo, Hudson Braga, preso na Operação Calicute sob suspeita de receber propina nas obras do Estado.

Ainda apenas em caráter reservado, integrantes da Comissão de Ética dizem já ver elementos suficientes para que Geddel Vieira Lima seja enquadrado na legislação sobre conflito de interesse, que veda qualquer “atuação como intermediário de interesses privados”.

Agindo para tentar reduzir a crise financeira do seu estado, o peemedebista José Ivo Sartori, governador do Rio Grande do Sul, anunciou na tarde de ontem um a extinção de 11 órgãos e a redução de secretarias, de 20 para 16, e a privatização de 3 companhias, medidas que ainda precisam ser aprovadas pela Assembleia Legislativa e, no caso das privatizações, votadas em plebiscito.

Indicando para onde Lula deve tentar fugir quando receber a informação de que a Polícia Federal está indo busca-lo, ontem Tabaré Vázquez, presidente do Uruguai, afirmou, em SP, que aceitaria asilo a políticos brasileiros, ressaltando que o Uruguai é um país de braços abertos para qualquer um que chega para trabalhar, viver e conviver com os uruguaios.

-    Coberta de razão, a Advocacia-Geral da União vai determinar nos próximos dias desconto de salário para servidores em greve e decidir que quem não cumprir a regra pode incorrer em crime de responsabilidade.
-    Alckmin tem dedicado parte de sua agenda semanal ao projeto presidencial de 2018, já que o referido governador paulista passou a receber, rotineiramente, deputados federais de todo o país no Bandeirantes.
-    Após dizer, em evento do PSDB, que “o partido vai ter candidato, sim, a governador em SP”, Pedro Tobias, que comanda a seção paulista tucana, apresentou o ministro da Justiça Alexandre de Moraes como “sucessor de Alckmin”.

Crítica:

Coberto de razão, já que a crise tupiniquim estimula “aventuras ilegais na terra do Tio Sam”, segundo dados oficiais o Consulado dos EUA no Brasil elevou este ano para 15% o índice de rejeição de vistos para turistas brasileiros, quase o triplo de 2015 (5,36%) e quíntuplo (3,2%) de 2014.

-    Ontem foi divulgado que a política de controle da inflação por meio do congelamento da gasolina, praticada exaustivamente pela presidenta Dilma, gerou perdas de cerca de R$ -40bi para os produtores de etanol somente de 2011 a 2014.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil


Nenhum comentário:

Postar um comentário