R.B. 8/AGO/16 "Por esperarmos o pior"



"Por esperarmos o pior"

São Paulo, 8 de agosto de 2016 (SEGUNDA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, ampliando a valorização já acumulada no ano (32,8%), beneficiada pela valorização das commodities, acompanhando o movimento ascendente das principais bolsas mundiais e impulsionada pela entrada de novos investidores e (2) o DÓLAR pode subir, em um “ajuste técnico” após 4 pregões consecutivos de baixa, seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana e pressionado pelos leilões de compra do BC.

Sexta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 0,1%, depois de passar a tarde à deriva, oscilando ao redor da estabilidade, para fechar a semana acumulando valorização de 0,6%, beneficiada pela valorização das bolsas de NY e sustentada pelo bom desempenho da Vale (1,0%), na esteira da recuperação do minério de ferro no mercado chinês e (2) o DÓLAR caiu -0,7% à R$ 3,17, registrando novo piso do ano e o menor patamar desde 21/JUL/15, diante de boas notícias do cenário internacional e de um alívio no desconforto dos investidores com o cenário político e fiscal brasileiro.

Também sexta-feira, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, próximas da estabilidade, Japão -0,1% e China -0,2%, com os investidores mostrando cautela antes da publicação de novos dados sobre criação de postos de trabalho nos EUA, (2) da EUROPA, recuperando as perdas da abertura, Inglaterra 0,8%, França 1,5% e Alemanha 1,4%, com destaques de alta para as ações dos setores de construção, como Barratt Developments (2,7%) e Berkeley Group (2,9%), e automobilístico, como Volkswagen (3,7%) e Daimler (2,9%) e (3) dos EUA, S&P 0,9%, DJ 1,0% e NASDAQ 1,1%, beneficiadas pela divulgação de dados do mercado de trabalho do país mostrando que em JUL/16 a geração de vagas (255 mil) foi muito mais alta do que o previsto por analistas (179 mil).

Apesar do ainda elevado patamar da taxa básica de juros (14,25%), que em tese desestimula os investimentos mais arriscados, o percentual de participação das pessoas físicas no volume negociado diariamente na Bovespa saltou de 16,0% em JUN/16 para 19,6% em JUL/16, atingindo assim o maior patamar em 4 anos e estimulado pela valorização de mais de 30% do Ibovespa nos 7 primeiros meses do ano.

Como o governo federal tem menos dinheiro em caixa e agora, após o afastamento de Dilma, mais responsabilidade administrativa, nos 6 primeiros meses deste ano as compras de artigos médicos e veterinários pelo Estado, que representam 31% de todos os seus desembolsos com materiais e serviços, caíram cerca de -10% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Já que no período de 12 meses encerrado em MAR/16 mais da metade das companhias tupiniquins de capital aberto não conseguiu gerar recursos suficientes para cobrir despesas com juros e parcelas de suas dívidas, pode-se dizer que as perspectivas de retomada da economia brasileira são ameaçadas pela asfixia financeira das empresas privadas, que estão atoladas em dívidas e encontram dificuldades para voltar a investir.

Diante da percepção de que a crise do setor privado é de difícil solução, alguns economistas começam a defender a tese de que, para sair da recessão, corrigir os desequilíbrios do governo, aumentar o crédito e reduzir os juros será insuficiente e, para tirar as empresas do atoleiro, é preciso que o governo reduza impostos.

Segundo dados oficiais do Serasa, nos 7 primeiros meses deste ano 1.098 empresas entraram com pedido de recuperação judicial, número bem maior do que os 627 requerimentos auferidos no mesmo período de 2015, quando já se registrava crescimento de 32% em relação a 2014.

A forte desvalorização já registrada pelo dólar neste ano (-19,7%) começa a ameaçar o bom desempenho da balança comercial tupiniquim, principalmente os setores automotivo e calçadista, cujos coeficientes de exportação, que mostra o quanto da produção é vendida para o exterior, atingiram respectivamente 25,4% e 32,8% no trimestre móvel encerrado em MAI/16.

Expondo mais uma vez a falta de infraestrutura do Brasil, segundo uma pesquisa recente feita pela Confederação Nacional da Indústria com 847 empresários de todo o país, os custos com transporte, principalmente as tarifas cobradas em portos e aeroportos, foram apontados como o maior entrave às exportações.

Jogando mais uma “pá de cal” nos já extremamente caros e criticados planos de previdência privada existentes no país, estes investimentos, cuja principal vantagem era ser um bom instrumento para sucessão patrimonial, vêm sendo tributados por parte dos Estados brasileiros na hora da transmissão da herança.

Política:

Provando mais uma vez que Temer quer sempre o mínimo de confusão possível, foi decidido que os militares serão poupados na proposta de reforma da Previdência Social que o governo promete encaminhar ao Congresso até o fim do ano, mantendo um regime separado e que já é responsável por 45% do déficit da previdência dos funcionários públicos.

Mostrando que são quase nulas as chances de Dilma se salvar da ultima etapa do processo de impeachment no Senado, segundo previsões dos próprios petistas já existem 64 senadores, dos 54 necessários, propensos a votar pela queda definitiva da referida ex-presidenta.

Atingindo aquele que, alem de ser um forte candidato à sucessão presidencial, é a principal ponte entre PMDB e PSDB, segundo a delação premiada de executivos da Odebrecht, o tucano Serra, atualmente ministro das Relações Exteriores do Governo Temer, recebeu em 2010 R$ 23mi da empreiteira via caixa 2.

Aliados Temer andam apreensivos pois veem setores do PSDB tomando uma distância cada dia maior do governo e avaliam que isto começou a se intensifica quando o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, do DEM, lançou o atual presidente do país como candidato à reeleição em 2018.

Sem votos, mas com muito poder, Kassab, ministro das comunicações de “dono” do PSD, acertou com o presidente Temer e com o presidente do Senado, o peemedebista Renan Calheiros, a indicação de Juarez Quadros para a presidência da Anatel no lugar de João Rezende.

Com o tucano João Dória, seu candidato, com menos de 10% dos votos até nas regiões mais ricas de SP, o PSDB verifica em suas pesquisas internas que Celso Russomanno, do PRB, está a frente dos rivais na disputa para prefeito em qualquer região da cidade, classe social ou idade dos entrevistados.

Perdendo qualquer tipo de senso de realidade, a bancada de deputados federais do PT divulgou ontem uma nota acusando Gilmar Mendes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral, de não estar à altura do cargo e de ser um "militante da direita brasileira" por ele ter retomado a tramitação, no tribunal, da apuração para saber se o PT foi financiado por R$ 52mi desviados da Petrobras.

Crítica:

"Por esperarmos o pior", a festa de abertura da Olimpíada do RJ não decepcionou, porem tão danoso como o “complexo de virar-latas”, que faz tudo que é brasileiro ser considerado ruim, é o ufanismo tupiniquim de achar que uma bela festa, feita da base da gambiarra, apaga os danos causados ao patrimônio públicos pela corrupção presente em 99,9% das obras destes jogos.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil




Nenhum comentário:

Postar um comentário