R.B. 15/AGO/16 "Ladrão que rouba ladrão também deve ir para a prisão"



"Ladrão que rouba ladrão também deve ir para a prisão"

São Paulo, 15 de agosto de 2016 (SEGUNDA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, para fechar novamente no maior patamar desde 18/SET/14, com bom volume de negócios por conta do vencimento de opções, beneficiada pela valorização das commodities e acompanhando a trajetória ascendente das principais bolsas mundiais e (2) o DÓLAR pode seguir em alta, influenciado pelos sinais de que a autoridade monetária tupiniquim atuará para conter a valorização do real e assim manter a competitividade das exportações brasileiras.

Sexta-feira, no BRASIL, (1) a BOVESPA subiu 0,1%, com bom volume de negócios (R$ 7,6bi) e dividida entre o movimento de realização de lucros das bolsas de NY e o bom desempenho das ações da Petrobrás (0,8%), que anunciou seu primeiro lucro trimestral após 3 prejuízos consecutivos e (2) o DÓLAR subiu 1,5% à R$ 3,18, seguindo a trajetória internacional da moeda norte-americana e impulsionado pelos leilões de compra, em um volume cada dia maior, do BC, que dá sinalizações de que está “desconfortável” com o patamar atual da taxa de câmbio.

Também sexta-feira, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, Japão 1,1% e China 1,6%, seguindo o tom positivo das ações dos EUA e do petróleo no dia anterior e deixando indicadores chineses mais fracos do que o esperado em segundo plano, (2) da EUROPA, sem uma direção única, Inglaterra 0,1%, França -0,1% e Alemanha -0,2%, em um dia marcado por dados macroeconômicos locais mistos, como a alta menor do que o esperado do PIB da zona do euro (0,3%) e o aumento da produção industrial da região (0,6%) superior às expectativas e (3) dos EUA, realizando lucros recentes, S&P -0,1%, DJ -0,2% e NASDAQ -0,1%, prejudicadas pela desaceleração da economia da China e pela estagnação das vendas no varejo do país.

Com o “Imperialismo chinês” estendendo seus tentáculos rapidamente no país, as empresas brasileiras, barateadas pelo câmbio e com problemas financeiros, viraram alvo de investidores chineses, que nos 7 primeiros meses deste ano desembolsaram US$ 10,6bi em aquisições no Brasil, o que representa mais do que o dobro dos US$ 5bi registrados no ano passado inteiro.

Um dos principais "vilões" da inflação no Brasil, o leite vive uma crise nos EUA, já que com os preços para o produtor recuando -13% neste ano e atingindo o menor patamar em 7 anos, a associação norte-americana dos produtores de leite pediu ao governo do presidente Obama que compre o equivalente a US$ 150 milhões em queijo, para ajudar não só os fabricantes diretamente, mas também a elevar o preço do produto.

Contrariado com a resistência do Congresso em aprovar medidas de ajuste fiscal, Ilan Goldfajn, presidente do BC tupiniquim, afirmou que a economia brasileira se "estabilizou e parou de cair", porem alertou que interesses coletivos precisam prevalecer sobre os individuais para o Brasil voltar a crescer.

Coberto de razão, Marcelo Caetano, secretário de Previdência Social do governo Temer, afirmou que o rápido e acentuado envelhecimento da população brasileira, mais acelerado que o enfrentado por países ricos, requer que o Brasil aprove uma reforma da Previdência "por uma questão matemática, e não ideológica", ressaltando que sem mudanças nas regras de aposentadoria, restam duas alternativas (1) o aumento de impostos ou (2) o corte de despesas em outros setores, como saúde e educação.

Apresentando novos sinais positivos da economia brasileira, (1) nos 6 primeiros meses deste ano as vendas de medicamentos no país aumentaram 12% na comparação com igual período de 2015, (2) a porcentagem dos empresários das micro e pequenas empresas do Estado de SP que acreditam em melhora da situação subiu de 20% no começo do ano para 28% atualmente e (3) no primeiro semestre deste ano as vendas do chocolate brasileiro ao exterior cresceram 15,6%, em volume, em relação ao mesmo período de 2015.

Confirmando que estava errada a estratégia dos governos petistas de privilegiar os negócios com os países do Mercosul, nos 6 primeiros meses deste ano as vendas brasileiras aos países do Mercosul caíram -13,9% em relação ao mesmo período de 2015, com destaque negativo para a “queridinha” Venezuela (-62,6% na mesma base de comparação).

Ajudando os exportadores, que têm reclamado da valorização do real frente ao dólar desde o início do ano, o que torna os produtos brasileiros menos competitivos no exterior, na sexta-feira (1) o presidente Temer afirmou que a orientação do governo é que deve ser mantido um certo equilíbrio no câmbio e (2) o BC leiloou 15.000 contratos de swap cambial reverso, equivalentes à compra futura de dólares, no montante de US$ 750 milhões.

Colhendo os frutos da dilapidação petista aos cofres públicos, Com o BNDES, com aumento substancial das provisões para risco de crédito e forte baixa no valor de seus ativos, registrou, no primeiro semestre deste ano de 2016 seu primeiro prejuízo em 13 anos, de R$ -2,2bi.

Política:

Com o objetivo de sair do legislativo e ir para o executivo, quase 15% dos deputados federais quer abandonar Brasília em 2017, já que ao menos 69 congressistas disputarão a vaga de prefeito em OUT/16 e PMDB e PT, que tem as maiores bancadas do Congresso, lideram também no número de candidatos, com 9 cada um.

Apontado, com toda a razão, como linha auxiliar do PT, o PC do B, que quer sobreviver ao fim do governo Dilma, vive situação especial nestas eleições municipais, já que todas as 6 mulheres da bancada de deputados federias do partido são candidatas, sendo que 5 à prefeita e 1 à vice.

Usando uma estratégia que, apesar de baixa, já funcionou outras vezes no passado, o PT quer aliar a insatisfação dos governadores do Norte e do Nordeste com a renegociação das dívidas estaduais à ausência de visitas de Temer às regiões para colar no presidente a imagem de sectário.

Apesar do lobby contrário dos donos de cartório, o Planalto decidiu abraçar a proposta de criação de um cadastro único de cidadãos com base nos dados biométricos coletados pela Justiça Eleitoral, unificando os dados em uma “Identificação Civil Nacional” para evitar fraudes fiscais e em benefícios sociais, substituindo a carteira de identidade atual e possibilitando também a integração de serviços oferecidos pelos governos estaduais e federal.

Além de criticar indiretamente Temer, a carta que Dilma mandará aos senadores, que obviamente não foi escrita por ela, deve se comprometer com o Senado a assegurar a independência das investigações da Polícia Federal e a não indicar para a sua equipe de governo condenados por corrupção caso retorne ao cargo.

Para não criar atritos desnecessários com Meirelles, que certamente é o principal fiador do governo com os donos do PIB do Brasil, a Casa Civil vai excluir o Banco Central do decreto que deixou nas mãos do ministro da Casa Civil as decisões de nomeações em postos federais.

Crítica:

Como “ladrão que rouba ladrão também deve ir para a prisão”, o que a Odebrecht desconfiava aconteceu, já que segundo investigações da Polícia Federal alguns dos seus executivos de fato embolsaram dinheiro que deveria ter sido destinado para o pagamento de propina para políticos e para funcionários da Petrobrás.

Dando uma boa ideia para reduzir o número de caloteiros no Brasil, alguns escritórios de advocacia do país têm recorrido a uma espécie de brecha do novo Código de Processo Civil para pedir que juízes suspendam direitos de devedores de dirigir ou viajar, por exemplo, como uma forma de pressão para convencer o inadimplente a pagar o que está devendo quando existem indícios de ocultação de patrimônio.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário