R.B. 21/JUL/16 "Para a malandragem tupiniquim o dinheiro público é o dinheiro dos outros"



"Para a malandragem tupiniquim o dinheiro público é o dinheiro dos outros"

São Paulo, 21 de julho de 2016 (QUINTA-FEIRA).

Mercados e Economia:

Hoje (1) a BOVESPA deve subir, retornando à sua trajetória rumo aos 65.000pts após a realização de lucros de ontem, acompanhando o desempenho ascendente das principais bolsas mundiais e o crescimento das "apostas" de que em AGO/16 o Brasil ficará definitivamente "livre de Dilma" e (2) o DÓLAR pode cair, seguindo o "humor positivo" da bolsa e influenciado pelos sinais dados pelo Copom de que a taxa básica de juros da economia brasileira não deve cair na sua próxima reunião, que ocorrerá em AGO/16.

Ontem, no BRASIL, (1) a BOVESPA caiu -0,2%, realizando lucros uma pequena parte dos lucros após subir por 10 pregões consecutivos, apesar do bom desempenho das bolsas de NY e da alta das commodities e (2) o DÓLAR caiu -0,2% à R$ 3,25, revertendo os ganhos da abertura, quando na máxima avançou 0,5%, diante da ansiedade do "mercado" em torno da maneira de pensar do novo Copom, presidido agora por Ilan Goldfajn.

Também ontem, nas principais bolsas (1) da ÁSIA, realizando lucros recentes, Japão -0,2% e China -0,3%, com os investidores se mostrando cautelosos antes do início da temporada de balanços, (2) da EUROPA, recuperando as perdas da abertura, Inglaterra 0,5%, França 1,1% e Alemanha 1,6%, beneficiadas pela divulgação de bons resultados corporativos, como e principalmente o da Volkswagen, que avançou 6,1% após divulgar um lucro operacional bem melhor que o esperado (7,5bi de euros) no primeiro semestre deste ano e (3) dos EUA, S&P 0,4%, DJ 0,2% e NASDAQ 1,1%, impulsionadas pela valorização das commodities e também pela divulgação de bons resultados corporativos, como o da Microsoft tendo, que subiu 5,31% após a empresa anunciar que, reverteu o prejuízo do período anterior, acumulou um lucro líquido de US$ 3,12bi no quarto trimestre fiscal.

Como que antecipando aquilo que o Copom diria no final do dia, na manhã de ontem Alejandro Werner, diretor para o departamento de Hemisfério Ocidental do FMI, alertou que, apesar do otimismo inicial do "mercado" com Temer, o governo brasileiro precisa, no curto prazo, aprovar e implementar as medidas de ajuste fiscal para melhorar as contas públicas e, no médio prazo, reduzir as pressões de gastos insustentáveis.

Seguindo o que esperava o "mercado", o Copom decidiu manter, pela oitava vez seguida, a taxa básica de juros da economia brasileira em 14,25% e, mostrando-se mais "duro" e prolixo do que das ultimas vez, citou em seu comunicado (1) os desafios no cenário externo, principalmente para as economias emergentes, (2) os riscos domésticos para o cumprimento do cenário básico de inflação e (3) as incertezas quanto à aprovação e implementação dos ajustes necessários na economia.

Como, antes da degola definitiva de Dilma, Temer não quer mexer em vespeiro, Eliseu Padilha, ministro da Casa Civil, "garantiu" que o governo interino esgotará "todas as suas alternativas" para evitar a realização de um contingenciamento nas despesas federais previstas para este ano.

Após Eliseu Padilha, ministro da Casa Civil, dizer que Temer tem simpatia pela redução dos juros pelo BC e pelos bancos públicos, a presidência da Republica divulgou declaração, por meio de sua assessoria de imprensa, ressaltando que a autoridade monetária brasileira tem plena autonomia para definir a taxa de juros e que a política monetária tem como prioridade combater a inflação.

Mostrando a que nível chegou a precariedade do setor elétrico tupiniquim, que aliás foi a maior vítima da incompetência gerencial e técnica da ex-presidenta Dilma, segundo o Tribunal de Contas da União, Das 31 maiores distribuidoras de energia do país, responsáveis por 96% do faturamento do setor, 23 estão com risco elevado de insustentabilidade financeira.

Com o "imperialismo etílico tupiniquim" galgando patamares cada dia mais elevados, os reguladores antitruste norte-americanos aprovaram a compra por US$ 107bi da SABMiller, a segunda maior cervejaria do mundo, pela Anheuser-Busch InBev, a maior do mundo e que é comandada por brasileiros, depois de garantir um acordo com as empresas para a venda de ativos nos EUA e para preservar a concorrência de cervejeiros artesanais independentes.

-    A Kroton caiu -5,0%, realizando lucros após acumular uma alta de 59,2% em 2016.
-   A Smiles subiu 7,7%, influenciada pela expectativa de melhora nos seus resultados trimestrais, cuja divulgação está marcada para 5/AGO/16.

Política:

"Mostrando serviço", Ronaldo Nogueira, ministro do Trabalho, "avisou" que o governo Temer enviará ao Congresso até o final do ano 3 propostas na área trabalhista, (1) a atualização da CLT, fortalecendo a negociação coletiva, (2) a regulamentação da terceirização, o que obviamente desagrada as centrais sindicais, e (3) a transformação do Programa de Proteção ao Emprego em algo permanente.

Ainda precisando ser "generoso", ontem Temer, mesmo em meio a um esforço de ajuste fiscal, decidiu sancionar sem vetos as propostas que concedem reajuste salarial de 41,5% para servidores do Poder Judiciário e de 12% para funcionário do Ministério Público, o que segundo previsões trará um impacto de R$ -22,3bi nos cofres públicos até 2019.

Mostrando que quanto mais a Polícia procura mais ela acha bandidos no PT, ontem o petista Emídio de Souza, o presidente estadual do referido partido, teve o bloqueio de seus bens determinado pela Justiça por ter contratado uma ONG sem licitação por R$ 878 mil em 2008, quando ele era prefeito de Osasco.

Fazendo uma excelente propaganda, ontem Temer "mandou avisar" que, em esforço para reduzir as despesas públicas, o governo pretende reduzir em 25% os gastos com publicidade em 2017, ressaltando que os principais afetados pelo corte de despesas devem ser as empresas estatais, como Correios e Eletrobrás, que aliás enfrentam sérios problemas financeiros.

Crítica:

Como "para a malandragem tupiniquim o dinheiro público é o dinheiro dos outros", na Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial, que entre FEV/15 e ABR/16 foi comandada pelo marido da miss bumbum Miami 2013, as viagens ao exterior davam direito a diárias de até € 700 e, independentemente do destino, os funcionários viajavam sempre de classe executiva.

PAZ, amor e bons negócios;
Alfredo Sequeira Filho

O "R.B." representa uma opinião, não uma indicação, é proibida sua reprodução, sem a devida autorização, e qualquer crítica, dúvida ou sugestão, favor contatar: alfredo@relatoriobrasil.com

Conheça e indique nosso Blog: www.relatoriobrasil.com
Curta nossa página no Facebook: www.facebook.com/relatoriobrasil



Nenhum comentário:

Postar um comentário